tipos de pensamentos intrusivos

Pensamentos Intrusivos: tipos, exemplos e como evitar

Posted on Posted in Comportamento, Conceitos e Significados

Ao longo do dia, nossa mente trabalha sem descanso. E nesse processo de elaborar e decifrar pensamentos e ideias, milhões de coisas vão surgindo na nossa cabeça. E é nesse momento que surgem os pensamentos intrusivos.

Esses pensamentos, não precisam apresentar algo ruim. Inclusive, pode ter um teor animador. Não é possível evitá-los de maneira 100% eficaz, mas é possível tratá-los e aprender a conviver com eles.

O que é pensamento intrusivo

Os pensamentos intrusivos não afetam um tipo de pessoa específica. Todos estamos sujeitos a eles. São pensamentos que surgem na nossa mente sem ter um motivo específico. É importante dizer que eles não estão relacionados ao caráter de alguém.

Em geral, estão ligados à ansiedade, mas ela não é fator determinante para que eles surjam. Sendo assim, eles podem ou não fazer sentido quando aparecem.
Variam muito de uma pessoa para outra, mas, no geral, estão conectados a um trauma, um medo ou um acontecimento do passado.

Sobre o medo

A origem desses pensamentos intrusivos está, na maioria dos casos, ligada a algum medo. E isso, mesmo apesar de o medo ser algo natural do ser humano e estar relacionado ao nosso instinto de sobrevivência.

Inclusive, por sua vez, o medo causado por esses pensamentos é normal. Ele apresenta uma avaliação errada que a pessoa faz da situação, acreditando na chance real de que algo ruim irá acontecer.

A principal forma de lidar com o medo é entender que ele não é real e que não há chance de a situação imaginada ocorrer.

Tipos de pensamentos intrusivos

Alguns tipos de pensamentos intrusivos, são:

  • Autoestima: representa pensamentos que nos fazem sentir incômodo com nossa aparência. Nesse caso, pode, também, estar relacionado a algum tipo de ansiedade.
  • Obsessivos: são pensamentos desagradáveis, constantes e insistentes. Além disso, são indesejados. A pessoa que os tem sente culpa por tê-los por não concordar com o conteúdo deles buscando não seguir como fazer o que eles sugerem que ela faça.
  • Relacionamentos: acontecem quando pensamos sobre pessoas com as quais nos relacionamos, nossa família, amizades e colegas de trabalho. Quando esses pensamentos surgem, trazem a ideia de que não somos dignos do amor que recebemos.
  • Religiosos: são ideias provocadas pela sensação de se estar cometendo um pecado. Nesse caso, a pessoa acredita estar agindo contra a vontade de deus.
  • Sexuais: são pensamentos conectados às ideias baseadas em desejos eróticos com pessoas onde seria impensável ter uma relação. Como familiares ou colegas de trabalho.
  • Violentos: acabam sendo os pensamentos que sugerem atos de violência contra alguém que você ama ou contra uma pessoa desconhecida.

Exemplos de pensamentos intrusivos

Alguns exemplos de pensamentos intrusivos, são:

  • Se jogar nos trilhos do metrô em uma estação lotada.
  • Empurrar alguém de uma sacada.
  • Agredir uma pessoa desconhecida.
  • Fazer o mal por vontade própria a alguém que você gosta.
  • Se jogar de um veículo em movimento.
  • Machucar um animal por diversão.
  • Desejar ter relações sexuais com um irmão ou uma irmã.
Leia Também:  Bom Dia: 30 melhores mensagens para você enviar

Quando são mais comuns

Esse tipo de pensamento acontece com qualquer pessoa, em qualquer momento. Uma vez que o cérebro não para de assimilar informações, é normal termos pensamentos indesejáveis de vez em quando.

Porém, esses pensamentos são mais comuns em pessoas que apresentam TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), estresse pós-traumático, transtornos de ansiedade, depressão e depressão pós-parto.

A origem, frequência e tratamento, variam de pessoa para pessoa. E é possível tratá-lo com ajuda especializada como, por exemplo, de psicanalistas.

Aprenda a lidar com eles

Ter pensamentos intrusivos não é algo ruim. Na verdade, eles fazem parte de quem somos e nos ajudam a nos conhecer melhor. Inclusive, podem indicar que precisamos cuidar mais de algo em nós.

O que esses pensamentos costumam transmitir, quando ruins, não quer dizer que será realidade. Eles são apenas ideias, e isso não significa que irão mesmo acontecer. Portanto, não representam uma realidade verdadeira, apenas uma idealização dela.

Em alguns casos, quando os pensamentos são excessivamente constantes, a pessoa precisa mudar algo em sua vida. A transformação na rotina pode ajudar a lidar com eles, ou até mesmo a acabar com eles.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Quando pensamentos intrusivos não são bons

    Quando sua qualidade de vida é afetada por seus pensamentos, é sinal de que algo não vai bem. Se os pensamentos intrusivos são negativos e persistem, é necessário buscar ajuda especializada. Eles podem estar conectados a algum medo, e a psicanálise pode ajudar a entender isso.

    Além disso, podem estar relacionados a algum trauma ou acontecimento passado. E é por esse motivo que não devem ser ignorados. Eles podem representar que algo não está bem e precisa de atenção.

    Assim, o pensamento não é bom quando ele é fixo, e sua vida passa a ser organizada em função de uma ideia que não é real.

    Quando pensamentos intrusivos são bons

    Pensamentos intrusivos não são só ruins. Eles podem surgir como ideias ou momentos de reflexão ao longo de nossa vida. São aquelas ideias deslocadas, que aparecem do nada e perduram um tempo em nossas mentes.

    Como os pensamentos ruins, os temas são muito variados. Mas são pensamentos que nos causam alegria e felicidade, uma sensação de bem-estar. Esse tipo de pensamento pode decorrer de situações que nos dão prazer.

    Portando, viajar, estar com amigos ou familiares, ou fazer uma atividade que você gosta, podem despertar pensamentos intrusivos bons.

    Como tratar

    É possível controlar a situação quando somos acometidos por pensamentos indesejados. Assim, é necessário manter a calma quando eles surgirem. Exercícios de respiração podem auxiliar a alcançar um estado de relaxamento.

    Uma dica recomendada por especialistas, é não ignorar os pensamentos negativos. No caso, observá-los, mas sem dar muita significância. Quanto mais significância eles receberem, mais irão perdurar e incomodar.

    Além disso, outra forma de lidar com esses pensamentos é, por exemplo, a meditação. Meditar ajuda a esvaziar a mente e a relaxar o corpo. Dessa forma, é possível manter a calma quando surgir uma ideia indesejada.

    Considerações finais

    Pensamentos intrusivos fazem parte da nossa experiência humana. Eles podem ser tanto ruins como bons, e acontecem com todos nós em algum momento das nossas vidas. Em algumas pessoas com mais intensidade do que em outras.

    Leia Também:  Como viver o agora (intensamente)

    Existem formas para se tratar pensamentos intrusivos, e uma delas é a própria psicanálise. Entender com mais profundidade quem somos, ajuda a lidar com esses pensamentos. Além de trabalhar a nossa qualidade de vida.

    Devemos lembrar sempre que vivemos em constante evolução e aprendizado. Por isso, esses pensamentos, estão conectados a esse processo. E, dessa forma, devem ser encarados como uma parte de nós sobre a qual precisamos compreender.

    Saiba mais

    E se você se interessou pelo assunto dos pensamentos destrutivos, acesse nosso site e conheça nosso curso de psicanálise clínica. Por isso, saiba como a psicanálise pode te ajudar nessa questão ou como ela lida com esse processo do pensamento humano fazendo um curso 100% online e com certificado!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *