personalidade narcisista

Personalidade Narcisista: conceito e consequências no âmbito familiar

Posted on Posted in Transtornos e Doenças

A personalidade narcisista e o transtorno de personalidade narcisista estão ligados a organização de personalidade em que o indivíduo se enxerga de uma forma exagerada, apresentando a necessidade de reconhecimento por parte dos outros, somados a arrogância e falta de empatia nos relacionamentos interpessoais.

Entendendo sobre a personalidade narcisista

Freud coloca o narcisismo não só como um distúrbio psicológico, mas também como uma fase do desenvolvimento humano. “A sua ideia base é a de que o narcisismo (narcisismo primário) é uma forma de sexualidade infantil necessária ao desenvolvimento, situada entre o autoerotismo e o amor objetal, em que o Eu se torna objeto de investimento libidinal” (Macedo, 2005). À fase de autoerotismo é somada uma imagem unificada do Eu que ainda é uma mera diferenciação do não-Eu, isto é, compreensão do interno e externo e de que se é um Eu separado do Outro.

Assim, a criança passa de uma sexualidade em que a satisfação é anárquica e desarticulada de um todo (realizada parcialmente no corpo) para uma sexualidade investida na nova unidade adquirida de representação de si, que é complexa, total e vivida como possuidora de toda a perfeição e onipotência (Freud, citado por Macedo, 2005). Kohut (cit por Fuks, 2003) explica as perturbações narcísicas como mecanismos de defesa que aparecem coma perda ou afastamento de uma figura de vínculo, formando um trauma que põe em causa, e a segunda via é a aproximação excessiva: a total satisfação das necessidades narcísicas impedindo às frustrações.

Este processo não permite ao sujeito desenvolver uma expressão sentimental ideal quando vivencia contrariedades ou situações que diminuam seu romantizado poder. Consequentemente, esta expressão emocional ocorre com perda de controle e agressividade ou, ainda por isolamento e fuga. “O indivíduo vulnerável responde à ferida narcísica real com um retraimento vergonhoso ou com fúria narcísica.” (Fuks, 2003)

Consequências no Âmbito Familiar

Outro lado ainda deve ser considerado, o quanto a família é afetada com os episódios de fúria vivenciado pelo indivíduo que sofre o referido transtorno. O narcisismo considera a nível inconsciente, a dinâmica interpessoal a nível de apoio para corrigir suas fraquezas e deficiências ( VENTURA E PEDRO, 2010). Consequentemente , trazendo como representação somática, um comportamento errático, bruto, grosseiro, agressivo e muitas vezes violento.

Como por exemplo o marido que agride fisicamente a esposa, ou ainda a esposa que por meio da ofensa agride moralmente e verbalmente o marido. Trazendo como consequência, a formação de angústias também por parte do seu cônjuge que se vê exposto ao comportamento destrutivo da pessoa da qual ele criou expectativas, da qual esperava compreensão, afetividade e segurança, atribuindo a este uma responsabilidade emocional pesada dentro do relacionamento.

Surge então um conflito, onde de um lado se encontra o narcisista apresentando seus episódios somáticos agressivos e o outro cônjuge, buscando uma estrutura emocional capaz de livrá-lo das angústias ligadas ao distúrbio do outro e a responsabilidade emocional pelo seu relacionamento, o que o leva a agir com complacência, buscando a satisfação das necessidades do cônjuge, ou um posicionamento rígido para com as ações agressivas do narcisista, trazendo como consequência uma falência emocional vivenciados pelos cônjuges. Deve ser considerado ainda como isso afeta os filhos participantes do relacionamento que vive esta dinâmica.

Personalidade narcisista e o ambiente familiar

Neste sentido: “ A família é o principal espaço de socialização do indivíduo. Permite a criança seu crescimento e desenvolvimento, construindo sua formação com base em aspectos históricos, culturais e sociais, de determinado povo, e agregado por diversas gerações, no decorrer da vida, o ser humano absorve a realidade e a transfere para a sua subjetividade. Esta apropriação ocorre por meio da linguagem e diversas práticas afetivas dento do ambiente familiar.

A linguagem demonstra a apropriação feita pelo indivíduo e permite o entrelaçamento das práticas e culturas existentes por parte dos pais para com os filhos” (SILVA,2022). Desta forma, um ambiente onde a criança é exposta a qualquer tipo de violência física, verbal, ou moral, trará como consequência a formação de uma estrutura egóica fraca, deficiente para formular o equilíbrio emocional entre suas instâncias, pois dispõe de uma formação do superego debilitada, angustiada, conforme versa SILVA,2022: “ Deve ser considerado ainda, a importância da família na construção do ego e do superego, no processo de formação do indivíduo.

O superego busca regular os desejos do id, com base em uma formação composta por conteúdos introjetados pelos pais, e o ego, tem sua formação na primeira infância, no relacionamento com os pais, figurado nas ordens e limitações trazidas por eles, formando emoções subjetivas, construindo desta forma o ego”. Neste sentido deve ser considerado o caráter nocivo que o ambiente formado pela existência do transtorno narcisista traz para família, restando portanto a seguinte reflexão: como trazer conforto as angústias existentes dentro do panorama familiar ora apresentado?

Leia Também:  Depressão e suicídio: sinais, relação e prevenção

Benefícios da Psicanálise na Estrutura Familiar

Faz-se necessário que o indivíduo narcisista vivencia o processo psicanalítico, com o objetivo de conseguir compreender suas angústias, considerando que as estruturas psíquicas e os traços de personalidade são complexos e inconscientes. O tratamento permitirá ao narcisista o enfrentamento e a conclusão da existência dos seus transtornos, em meio a um processo de autoconhecimento, beneficiando também a seus familiares.

Neste sentido: “ Existem diversos benefícios de estudar psicanálise, os conhecimentos psicanalíticos permitem agregar diversos aspectos positivos nos relacionamentos familiares, por meio do conhecimento da construção psicanalítica, do entendimento da formação do sentimento de amor do indivíduo, do estudo dos aspectos que trazem tensões aos relacionamentos e por permitir ao indivíduo caminhar no processo de autoconhecimento o que traz domínio sobre suas emoções e ações” (SILVA,2021).

O processo psicanalítico, segue portanto permitindo o conhecimento das fragilidades, medos e das necessidades emocionais trazendo ao narcisista o entendimento de suas angustias, suprindo assim, as necessidades emocionais do paciente e de seus familiares, conforme SILVA,2021: “ Deve ser considerado ainda, o benefício para a família do processo de autoconhecimento de seus componentes.

Conclusão

Este aspecto permite a pessoa lidar com seus sentimentos, dentro de um contexto influenciado por pensamentos, frustrações, realizações e tantos outros fatores, e a origem destes fatos é capaz de trazer prejuízo a sua rotina e a estrutura familiar. Por meio de somatizações aquilo que é desconhecido ao indivíduo, emerge trazendo medos e angústias, e na maior parte das vezes este indivíduo trata apenas do que conhece, do que sente”.

Este artigo sobre personalidade narcisista foi escrito por WALLACE LUIZ ([email protected]). Sou licenciando em história e tenho interesse no estudo da psicanálise, em decorrência de como este estudo permite o conhecimento pessoal, processo que traz ao indivíduo e as pessoas a sua volta, a plenitude em bem estar e qualidade de vida.

One thought on “Personalidade Narcisista: conceito e consequências no âmbito familiar

  1. Muito bom artigo! Realmente muitas vezes convivemos com pessoas com tais doenças. E consideramos como algo normal!
    E na realidade, são pessoas que estão precisando de ajuda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.