poder da empatia

Poder da Empatia: definição, tipos e dicas práticas

Posted on Posted in Conceitos e Significados

Para começar a entender de onde vem o poder da empatia, vamos ao dicionário Merriam-Webster, o qual define empatia, em parte, como “a ação de compreender, estar ciente, ser sensível e experimentar indiretamente os sentimentos, pensamentos e experiências de outra pessoa, seja do passado ou do presente, sem que os sentimentos, pensamentos e experiências sejam totalmente comunicados de maneira objetivamente explícita”.

Definição ou Significado de Empatia

Em suma, ela é a capacidade de entender emocionalmente o que as outras pessoas sentem, ver as coisas do ponto de vista delas e se imaginar no lugar delas. Essencialmente, é se colocar na posição de outra pessoa e sentir o que ela está sentindo.

A empatia significa que quando você vê outra pessoa sofrendo, como depois que ela perdeu um ente querido, você é capaz de se imaginar instantaneamente passando pela mesma experiência e sentir o que ela está passando.

Embora as pessoas possam estar bem sintonizadas com seus próprios sentimentos e emoções, entrar na cabeça de outra pessoa pode ser um pouco mais difícil. A capacidade de sentir empatia permite que as pessoas entendam as emoções que os outros estão sentindo.

Sinais da Empatia

Para muitos, ver outra pessoa com dor e responder com indiferença ou até hostilidade direta parece totalmente incompreensível. Mas o fato de algumas pessoas responderem dessa maneira demonstra claramente que a empatia não é necessariamente uma resposta universal ao sofrimento dos outros.

Se você está se perguntando se é uma pessoa empática, aqui estão alguns sinais que mostram que você tem essa tendência:

• Você é bom em realmente ouvir o que os outros têm a dizer.

• As pessoas costumam falar sobre seus problemas.

• Você consegue perceber o que os outros sentem.

• Você costuma pensar em como as outras pessoas se sentem.

• Outras pessoas vêm até você para pedir conselhos.

• Muitas vezes você se sente oprimido por eventos trágicos.

• Você tenta ajudar os outros que estão sofrendo.

• Você é bom em dizer quando as pessoas não estão sendo honestas.

• Você, às vezes, se sente esgotado ou sobrecarregado em situações sociais.

• Você se preocupa verdadeiramente com os outros.

• Você acha difícil estabelecer limites em seus relacionamentos.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Entendendo os tipos de Empatia

    Existem vários tipos de empatia que uma pessoa pode experimentar. Os três tipos de empatia são:

    • A empatia afetiva: envolve a capacidade de entender as emoções de outra pessoa e responder adequadamente. Essa compreensão emocional pode levar alguém a se preocupar com o bem-estar de outra pessoa, ou pode levar a sentimentos de angústia pessoal.

    • A empatia somática: envolve ter uma reação física em resposta ao que outra pessoa está experimentando. As pessoas, muitas vezes, acabam experimentando fisicamente o que o outro sente. Quando você vê alguém se sentindo envergonhado, por exemplo, você pode ficar ruborizado ou ter uma dor de estômago.

    • A empatia cognitiva: envolve ser capaz de entender o estado mental de outra pessoa e o que ela pode estar pensando em resposta à situação. É o que os psicólogos citam como teoria da mente ou a capacidade do indivíduo pensar a respeito do pensamento alheio.

    Potenciais Armadilhas a Empatia

    Ter muita empatia faz com que você se preocupe com o bem-estar e a felicidade dos outros. Isso também significa, no entanto, que às vezes você pode ficar sobrecarregado e esgotado por sempre pensar nas emoções de outras pessoas. Isso pode levar à fadiga da empatia. A fadiga da empatia refere-se à exaustão que você pode sentir emocional e fisicamente após ser repetidamente exposto a eventos estressantes ou traumáticos.

    Você também pode se sentir entorpecido ou impotente, isolar-se e ter falta de energia. A fadiga da empatia é uma preocupação em determinadas situações, como ao atuar como cuidador. Estudos também mostram que, se os profissionais de saúde não conseguem equilibrar seus sentimentos de empatia (empatia afetiva, em particular), isso também pode resultar em fadiga por compaixão.

    Outras pesquisas associaram níveis mais altos dela a uma tendência à negatividade emocional, aumentando potencialmente o risco de sofrimento empático. Pode até afetar seu julgamento, fazendo com que você vá contra sua moral com base na empatia que sente por outra pessoa.

    Leia Também:  Divórcio dos pais na infância: efeitos na vida adulta

    Impacto da Empatia

    Sua capacidade de experimentar empatia pode afetar seus relacionamentos. Estudos envolvendo irmãos descobriram que quando a empatia é alta, os irmãos têm menos conflito e mais carinho um com o outro. Em relacionamentos amorosos, ter empatia aumenta sua capacidade de perdoar. Nem todo mundo experimenta empatia em todas as situações.

    Alguns indivíduos podem ser mais naturalmente empáticos, mas as pessoas também tendem a se sentirem mais empáticas com alguns e menos com outros. Alguns dos fatores que desempenham um papel nessa tendência incluem:

    • Como você percebe a outra pessoa

    • Como você atribui os comportamentos do outro indivíduo

    • O que você culpa pela situação da outra pessoa

    • Suas experiências e expectativas passadas

    Experiência e expressão

    A pesquisa descobriu que existem diferenças de gênero na experiência e expressão da empatia, embora esses achados sejam um pouco mistos. As mulheres pontuam mais em testes de empatia, e estudos sugerem que as mulheres tendem a sentir mais empatia cognitiva do que os homens.

    No nível mais básico, parece haver dois fatores principais que contribuem para a capacidade de experimentar empatia: genética e socialização. Sabe-se que há a transmissão genética de características que contribuem para a personalidade geral, como a predisposição à simpatia, empatia e compaixão.

    Por outro lado, as pessoas também são socializadas por seus pais, colegas, comunidades e sociedade. A forma como as pessoas tratam ou como se sentem em relação aos outros, muitas vezes, é um reflexo das crenças e valores que foram incutidos em uma idade muito jovem.

    10 Dicas para Praticá-la

    Ela, por felicidade, é uma competência que pode ser aprendida e desenvolvida. Se você deseja desenvolver suas habilidades de empatia, há algumas coisas que você pode fazer:

    • Trabalhe em ouvir as pessoas sem interromper

    • Fique atento à linguagem corporal e outros tipos de comunicação não verbal

    • Tente entender as pessoas, mesmo quando você não concorda com elas

    • Questione as pessoas para se informar melhor sobre elas e suas vidas

    • Imagine-se no lugar de outra pessoa

    • Fortaleça sua conexão com os outros para saber mais sobre como eles se sentem

    • Procure identificar preconceitos que você possa ter e como eles afetam sua empatia pelos outros

    • Procure maneiras pelas quais você é semelhante aos outros em vez de se concentrar nas diferenças

    • Esteja disposto a ser vulnerável, abrindo-se sobre como se sente

    • Envolva-se em novas experiências, dando-lhe uma melhor visão de como os outros nessa situação podem se sentir

    • Envolva-se em organizações que impulsionam a mudança social

    Este artigo sobre o poder da empatia foi escrito por Jorge G. Castro do Valle Filho([email protected]com), Médico (PUC/RS). Pós-graduado em Diagnóstico por Imagem e Membro Titular do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR). Especialização em Neurociência e Neuroimagem pela Johns Hopkins University (EUA). MBA em Gestão de Pessoas pela Universidade de São Paulo (USP). Mestrado em Gestão de Cuidados da Saúde pela MUST University (EUA). Certificação em Inteligência Emocional, Mentalidade de Alta Performance e Gestão de Emoções pelo Instituto Brasileiro de Coaching (IBC).

    One thought on “Poder da Empatia: definição, tipos e dicas práticas

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.