psicanálise e psicopatologia

Psicanálise e Psicopatologia: uma compreensão necessária

Posted on Posted in Transtornos e Doenças

Neste artigo, vamos tratar da relação entre Psicanálise e Psicopatologia. Entender a ideia de psicopatologia, como a psicanálise a define e a trata.

O que é psicanálise e psicopatologia?

A psicopatologia é uma área da psiquiatria que estuda as doenças relacionadas à mente humana, a etimologia da palavra que vem do grego psikhe (mente) pathos (sofrimento) e logos (estudo). Nesse sentido, a psicopatologia é o estudo das enfermidades que podem acometer a saúde mental do sujeito.

A psicopatologia nasceu na França no século XX e seu método psicopatológico foi criado por Théodule Ribot que deu início a propiciar as descobertas de outras psicopatologias de alguns autores, como Karl Jasper e a sua psicopatologia fenomenológica. Os aspectos mais marcantes de determinados transtornos podem ser observados no analisado através da alteração abrupta do comportamento original, a impossibilidade de praticar as atividades rotineiras que eram de fácil execução, e a área psicoafetiva do sujeito sendo afetada.

Entretanto há muitas patologias da psique humana, que não impossibilitam o indivíduo por inteiro, como é o caso não generalista da ansiedade, que se não for crônica o indivíduo pode viver sem muita interferência e ser eficaz na vida em sociedade, trabalho e também em seus relacionamentos. O que norteia a psicopatologia é o manual do DSM-5 que contém todas as patologias referente a mente humana, seus respectivos males, disfunções e transtornos.

Freud, Psicanálise e psicopatologia

A muitas doenças que são mais graves hoje em dia do que na época em que Freud deu seguimento aos estudos das neuroses, exemplo da depressão que hoje está presente na sociedade de forma constante causando até mesmo a incapacidade cognitiva de reação, pensamentos negativos sobre si e sobre a vida em geral, como é no caso da depressão que trás a morte do eu (ego) seguindo na pulsão de morte “thanatos”.

A psicopatologia na psicanálise

Na psicanálise a psicopatologia também se faz presente como é o caso das neuroses e psicose, o objetivo da psicanálise é atenuar sintomas através da cura pela fala, com o livre fluxo de pensamentos onde sem restrições o analisado se sente confortável (ou não) para expor suas ideias, seus pensamentos e angústias.

A psicopatologia traz uma grande quantidade de doenças relacionadas à mente, tais como a ansiedade, depressão, esquizofrenia, transtorno bipolar e muitos outros. Alguns desses sofrimentos psíquicos podem ser até mesmo incapacitantes, como é o caso da esquizofrenia que na psicanálise também é chamada de psicose. “As emoções não expressas nunca morrem.

Elas são enterradas vivas e saem de piores formas mais tarde.” Sigmund Freud Freud o pai da psicanálise deu o primeiro passo para o tratamento dos sintomas das neuroses, e na psicanálise envolve o acompanhamento do sujeito para a melhora de um determinado sintoma e angústia que o afeta, segundo o cid 10 existem vários tipos de transtorno ligados às neuroses que se enquadram no F40-F48 Transtornos neuróticos, transtornos relacionados com o “stress” e transtornos somatoformes. a neurose também é muito associada a ansiedade e seus males.

Falando da psicose

Quando se fala em psicose se remete ao termo mais pejorativo que é a loucura, na psicose se observa quadros característicos de um transtorno um pouco mais severo do que nas neuroses. Na psicose se observa um quadro clínico muitas vezes medicamentoso, porém não é impossível atenuar seus sintomas com a psicanálise, na psicose observa-se em seus sintomas delírios, alucinações, pensamentos desorganizados, fala confusa e sem congruência além de movimentos estereotipados.

O que é Perversão? Freud fala sobre perversão em uma conotação sexual, sendo que se durante a infância o processo de desenvolvimento psicossexual da criança for reprimido ou traumático essas emoções podem trazer sintomas para a vida do sujeito quando adulto. A psicopatologia da perversão possui comportamentos perversos bem característicos, tais como:

  • Voyeurismo: Um impulso sexual ligado a observação do ato sexual ou pessoa despida
  • Fetichismo: também relacionado à obtenção do prazer com um ou mais objetos.
  • Sadismo: O sadismo é observado em indivíduos que só sentem prazer através do sofrimento do outro.
  • Masoquismo: O indivíduo se submete a determinada humilhação, sofrimento psíquico e físico para obtenção de prazer.

Conclusão

As perversões como a necrofilia, zoofilia, cropofilia e outros também são observados em clínicas. Esses são os principais transtornos em psicopatologia ligados a psicanálise, o tripé psicopatológico formado por Neurose, Psicose, e Perversão.

A análise Entrementes a psicanálise tenta trazer do inconsciente uma verdade recalcada, escondida lá no fundo onde nem mesmo o indivíduo quer enxergar, onde nem mesmo ele ousa chegar perto, pensar em lembrar ou tocar no assunto, porque tudo que chegue próximo daquilo que foi traumatizante para esse sujeito o remete a distância, e esse é o papel do psicanalista trazer a luz o que está imerso e tira o indivíduo desse sofrimento que nem mesmo ele que sofre sabe qual é o motivo. “Todo tratamento psicanalítico é uma tentativa para libertar o amor recalcado”. Sigmund Freud

Leia Também:  Falta de amor próprio e ao próximo

Este artigo sobre psicanálise e psicopatologia foi escrito por Leonardo Damasceno Silva ([email protected]), formado em psicanálise clínica aqui mesmo na Ibpc (Contato: 71987235501).

2 thoughts on “Psicanálise e Psicopatologia: uma compreensão necessária

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.