psicopatia e psicanálise

Psicopatia e Psicanálise: como funciona a mente psicopata

Posted on Posted in Psicanálise

Neste artigo, vamos tratar sobre a  psicopatia e psicanálise, e a forma como a psicanálise entende a mente do psicopata. Quais as relações entre superego, psicopatia e psicanálise?

 Psicopatia e psicanálise: Uma breve definição de Psicopatia

A palavra psicopata vem do grego: psique = mente; pathos = doença. Existem inúmeros conceitos, definições e direções de pesquisa que tentam definir a personalidade psicopática.

Existem métodos de ensino que observam a influência do ambiente na formação de psicopatas. Por outro lado, existem outros entendimentos de que os psicopatas são patológicos, ou mesmo defeitos congênitos.

Estruturalmente, as personalidades psicopáticas têm características predominantemente narcísicas. Seu desenvolvimento revela uma marca profunda adquirida nas fases iniciais da vida que dificulta a integração e a adaptação progressiva nas fases posteriores.

A  psicopatia e psicanálise

A predominância de fantasias destrutivas perturba o processo de identificação e diferenciação entre eu e não-eu e, por outro lado, leva ao surgimento de poderosas defesas baseadas em identificações onipotentes, dissociativas e projetivas com o objetivo de manter um frágil equilíbrio para evitar psicose ou “surto de crime” segundo B. Joseph (1973, p. 116).

O ego do psicopata é primitivo, todo-poderoso e implacável quando se trata de se proteger de respostas raivosas difusas. Os psicopatas exibem um desenvolvimento cognitivo que compensa parcialmente a falta de bons objetos internos, de modo a promover a diferenciação da autolimitação e o teste da realidade em um sentido limitado.

Psicopatas e o funcionamento do Superego

Para entendermos o modo de funcionamento do nosso aparelho psíquico, Freud organizou duas tópicas. A Primeiro Tópica: Ics, Pcs e Cs e a Segunda Tópica: *Ego, *Id e Superego.

O Superego segundo Freud, pode ser definido como grupo de funções psíquicas ligado às aspirações ideais, aos padrões de exigências e às proibições morais, ou seja, faz parte do Superego todo o processo de educação e controle social, de maneira sistemática e assistemática.

O Superego também dá origem dentro do Ego, a um sentimento de culpa e remorso e até mesmo de reparar supostos erros cometidos. Podemos dizer que o Superego tem três objetivos:

  1. Resistir (por meio de punição ou culpa) a qualquer impulso de violar as regras e os ideais que ele estabeleceu (consciência moral);
  2. Forçar o ego a agir moralmente (mesmo que irracionalmente)
  3. Conduzir o indivíduo à perfeição – nos gestos, pensamentos e palavras (eu ideal).

O superego,  psicopatia e psicanálise

O superego se forma depois do ego, pois a criança luta para internalizar os valores adquiridos dos pais e da sociedade para receber amor e carinho. Pode funcionar de forma bastante primitiva, punindo não apenas as ações tomadas pelo indivíduo, mas também os pensamentos; outra característica sua é o pensamento binário (tudo ou nada, certo ou errado, sem meio termo).

Pode-se dizer que “o superego é o herdeiro do *complexo de Édipo” porque é nesse ponto que ocorre a primeira condenação ou quebra do tabu do incesto. Os psicopatas têm um id dominante e um superego muito enfraquecido, o que dificulta seu remorso e acentua a falta de consciência moral.

O superego nem sempre é consciente, e muitos valores e ideais podem ser ignorados pelo ego consciente.

A culpa e o arrependimento

Segundo o médico e Psicanalista Francisco Daudt os psicopatas têm um superego contra o qual lutam constantemente, ultrapassando limites compulsivamente. Os psicopatas são imunes à culpa e ao arrependimento, os derivados mais comuns do superego. Eles acabam tendo o prazer sádico da transgressão, coisa essa que funciona como vício.

Esse vício tem explicação na neurociência pois o sentimento de prazer é uma das principais forças que nos faz agir, ao sentir prazer os neurotransmissores produzem dopamina, chamada de “molécula do prazer”.

Podemos concluir que um Superego desequilibrado, ou seja, ausente de remorso ou culpa constrói uma personalidade perversa e viciada em prazer, que buscará esse prazer compulsivamente em coisas ou pessoas, sem senso de moral ou ética.

Não há cura Psicanalítica

Não há cura psicanalítica para esse tipo de perversão (psicopatia), pois, sem um Superego equilibrado e operante não existe na psique um controle necessário das ações do indivíduo para um bom convívio em sociedade.

QUERO INFORMAÇÕES PARA ME INSCREVER NA FORMAÇÃO EM PSICANÁLISE

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    * Ego – O ego é a parte consciente da nossa psique, responsável por interpretar a realidade, memória, emoções e percepção – relação do indivíduo com o meio – e mediador ente o Id e o superego.

    * ID – O id seria nossa parcela mais instintiva, que privilegia desejos, vontades, ímpetos, sem conhecer freios morais e éticos e fica totalmente no nosso inconsciente.

    * Complexo de Édipo – O Complexo de Édipo é um fenômeno descrito pelo psicanalista Freud para designar uma altura do desenvolvimento infantil em que a criança desenvolve sentimentos amorosos pelo progenitor do sexo oposto e hostis em relação ao progenitor do mesmo sexo.

    Conclusão

    O menino começa a manifestar de forma exagerada a preferência pela mãe. O menino passa a desejar que a mãe exista somente para ele, torna-se ciumento em relação ao pai e faz tudo para eliminá-lo da sua convivência com a mãe.

    Ao mesmo tempo, ou posteriormente, sente-se culpado e experimenta remorsos em relação ao pai. A mesma coisa acontece com a menina: ela passa a desejar o pai e a repelir a mãe”.

    Leia Também:  O que é Psicopatia Infantil: manual completo

    Este artigo sobre psicopatia e psicanálise foi escrito por Viviane Rodrigues (instagram: @vivipsica_analise), professora há mais de dezoito anos e a vida toda intrigada pela mente humana; é especialista em Neuropsicologia e atualmente se profissionalizando em Psicanálise.

    4 thoughts on “Psicopatia e Psicanálise: como funciona a mente psicopata

    1. Maura Alessandra disse:

      Excelente artigo. Gostei muito. Bem explicado.

      1. Viviane Silva Rodrigues Lima disse:

        Muito obrigada pelo retorno Maura. Adoraria que me acompanhasse no instagram @vivipsica_analise, posto muito conteúdo por lá também.

    2. Carlos Eduardo Ferreira de Azevedo disse:

      Que conteúdo extraordinário! Bem objetivo e muito esclarecedor. Aprendi muito!

      1. Viviane Silva Rodrigues Lima disse:

        Muito obrigada pelo retorno Carlos, fico feliz e honrada em contribuir com você. Adoraria que me acompanhasse no instagram @vivipsica_analise, posto muito conteúdo por lá também.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *