psicoses de defesa

Psicoses de defesa: definição e principais tipos

Posted on Posted in Conceitos e Significados

São mecanismos e psicoses de defesa a resistência de proporcionar informações retidas no funcionamento mental do paciente, devido essas resistências de defesa da informação é necessário que o psicanalista comece por analisar o porquê dessa resistência. Através de estudos chegou se ao entendimento de que resistência não sinônimo de defesa.

Entendendo sobre as psicoses de defesa

Devido que a defesa é feita através de uma estrutura integral psicológica e a resistência se dá devido a tentativa do paciente para se defender das supostas ameaças da análise do psicanalista, a resistência se opõe ao analista durante seu trabalho, pois o ego se opõe ao processo do analista.

Esses mecanismos de defesa, o próprio nome já diz, defesa, são usados para que o individuo não sofra com a realidade que foi cometida para dar esses traumas, ou seja o Ego usa essas ações psicológicas para reduzir as manifestações iminentemente perigosa, colocando em perigo a integridade do ego.

O paciente usa muita resistência geralmente para se defender de algo que para ele ainda não está sendo fácil de expressar e colocar para fora, é visível para o terapeuta perceber suas resistências através de seu comportamento.

Psicoses de defesa e os pacientes

A forma de sentar-se, cruzar os braços, evitar o contato visual, manter-se em silencio, sair do consultório sem olhar para trás, tudo isso são formas de resistência de defesa. O paciente desenvolve esses procedimentos para tentar intimidar o terapeuta e assim criar uma defesa do seu próprio problema, pois o ego entende que essa exposição com o terapeuta pode ser algo prejudicial, e assim criar várias formas de se defender para se afastar de algo que ele acha que quando mexer irá lhe causar dores e medo, pois o ego não quer sair da zona de conforto.

A resistência das defesas do ego é a resistência da repressão, ele não quer ser repreendido então irá dificultar de toda maneira o acesso as informações.

Existe várias formas de resistência, quando o paciente fixa em um período de tempo, por exemplo: quando ele só tem recordações do passado, só fica naquele período de tempo, onde não há espaço para presente e nem futuro, ou mesmo um passado próximo, isso é uma defesa, pois existe a resistência de não falar dos outros períodos de tempos, ele cria uma fixação no tempo, só aquele momento é o que importa na sua via, esse processo é denominado como fixação no tempo.

Sinais de resistência

Um dos sinais mais frequentes de resistência é o uso de chavões, é quando o paciente evita usar os termos que vem em sua cabeça para mostrar que isso não incomoda, e usa palavras vazias, palavras que não tem nada a ver com o que condiz.

Ausência de sonho, é uma forma de resistência, quando o paciente evita falar sobre seus sonhos ou diz que não sonha, é uma forma de dificultar o processo do psicanalista de interpretar os sonhos e chegar em seu ponto que onde está repreendido pelo ego, por isso eles alegam não ter sonhos ou que não se lembra.

O Ego acaba criando uma resistência que deriva do ganho resultante da doença, em melhoras palavras, o ego após passar pelo trauma desenvolve uma aceitação da doença, fazendo com que ela faça parte dele, essa aceitação cria um processo em que o ego comporta-se aceitando que esse processo faça parte dele. Esse processo secundário faz com que o paciente acaba se tornando vítima dele mesmo, agindo com agressividade e julgando pessoas que convivem com eles, dificultando o convívio.

Leia Também:  Trilogia das Cores: 10 dicas para entender Kieslowski

Psicoses de defesa e a neurose de compensação

Esse ganho secundário pode virar uma neurose de compensação, onde o paciente está desenvolve sintomas psiquiátricos induzidos, exacerbados ou prolongados como resultados sociais ou socioculturais.

O ego cria um sistema de defesa para que ele possa ter controle sobre a situação, o medo de ser banido, julgado, humilhado e o medo maior de ser aniquilado, faz com que esse mecanismo de defesa controle a pulsão, organize o ego e assegure o amor ao objeto.

Esse processo de angústia do ego que produz a repreensão, que através da repreensão surgem os freios emocionais poderosos, os quais vem as normas morais, pudor, repugnância, vergonha, a repressão está incluída na vida adulta do homem civilizado, ela é indispensável para a estruturação do desejo humano. Porém quando exacerbada essa atividade repressora passa a compor doenças do estado histérico.

Considerações finais

As neuroses de forma geral são aspectos clínicos de repressão, dentro desse processo se desenvolver dificuldade na fala como gagueira, desorganização, timidez, esquecimentos, sintomas comportamentais, enfim uma forma de recalcar a pulsão.

A auto piedade também é uma forma de defesa do indivíduo, pessoas que se queixam muito, se posicionam como coitados, se colocam como vítimas, isso é devido traumas obsessivos da vida passada, onde a pessoa esconde situações traumáticas que ela não quer expor.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    O individuo que vive mentindo para si mesmo, que diz que da próxima vez será melhor, esse é o negador, ele nega a si mesmo a realidade, ele se ilude deixando tudo para depois, a criação de fantasia e devaneios sem a correspondente ação realizadora do ato fazer, isso e mecanismo de defesa típica de quem não quer enfrentar a realidade externa e interna, esses são alguns mecanismos de defesas.

    O presente artigo foi escrito pela autora Nici Costa([email protected]), formanda em psicanálise pelo IBPC.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *