redes sociais e toc

Redes sociais e TOC: entenda as relações

Posted on Posted in Transtornos e Doenças

Com o presente artigo você entenderá a relação das redes sociais e toc. A humanidade vive um alto grau de interação através da revolução nos meios de comunicação. As informações são rápidas, acessamos o mundo todo em segundos. Continue a leitura e entenda mais sobre o assunto.

Entendendo as redes sociais e toc

As redes sociais são canais de reconhecimento, competência, ação, sentimento de identidade, do eu. Podemos assim definir de maneira ampla que elas são um sistema aberto em permanente construção, esta se constrói tanto individualmente quanto coletivamente.

Nesse mundo virtual desenvolvemos papeis nas relações com outras pessoas e grupos sociais. Porém, esse processo já causa preocupação.

Algumas dessas ferramentas, se usadas sem controle e critério, podem gerar descontrole emocional, como nomofobia, transtorno obsessivo, compulsivo (Toc) e outros.

Nomofobia

Medo incontrolável por ficar longe do celular ou outros equipamentos eletrônicos similares (tablet, computadores), sem acesso à rede, dependência digital, essa é uma das síndromes desse tempo de conexões, presente na vida de muitas pessoas.

Segundo especialistas 30% dos brasileiros tem uma relação extremamente abusiva com a internet e 5% da população já é considerada dependente digital.

Sintomas

Do mesmo modo como ocorre com outros vícios os sintomas da privação da tecnologia como já foi constatado podem causar irritabilidade, ansiedade, taquicardia, tremores, desatenção, sudorese intensa e dores de cabeça.

Redes sociais e toc

O grande problema disso é que, com o acúmulo dessas emoções negativas, outras doenças graves podem se manifestar como o transtorno obsessivo, compulsivo. (TOC). Assim vamos analisar dentro da psicanálise o que é transtorno obsessivo compulsivo (Toc) e como pode ser evitado. Definição — Transtorno Obsessivo, Compulsivo (toc). Podemos definir como crises recorrentes de obsessões e compulsões.

Obsessões, redes sociais e toc

Obsessão são pensamentos, ideias, imagens que tomam a mente de forma insistente, sem que a pessoa queira. Foge do controle, não consegue evitar. Esses Pensamentos repetitivos e persistentes geram medo, ansiedade, uma enorme sensação de desconforto.

Para obter algum alívio dos sintomas, a mente cria alguns “rituais”, comportamentos estranhos, diferentes, que são denominados de compulsões.

Caso não o façam acreditam que algo terrível pode acontecer-lhes. Esses comportamentos escravizam e transformam-se num obstáculo não só para a rotina diária da pessoa, afeta também a vida da família inteira.

Compulsões

As compulsões são comportamentos de ordem obsessiva, é a forma que o cérebro encontra para se libertar dos pensamentos que causam dor. Tudo é muito difícil é preciso seguir regras, etapas rigorosas como forma de obter alivio os sintomas da ansiedade.

A dependência com as redes sociais geram esses “rituais”.

Pensamentos negativos

A obsessão e a compulsão entram num processo sem fim, como um círculo vicioso, ou seja, no momento que a pessoa tem pensamentos negativos, ela começa a criar formas de aliviar esses sintomas. Esses sintomas diminuem quando os “rituais” são realizados.

Gatilho Mental

Processo se resume; pensamento obsessivo, ritual, alívio ao sintoma. Assim o cérebro é recompensado inconscientemente pelas obsessões que criou. Gera então uma espécie de gatilho mental, produção de pensamentos obsessivos para receber novas recompensas compulsivas.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Tudo isso causa desgaste tanto na pessoa como na família que se vê obrigada a conviver com todos os “rituais”. Por isso pode ser que o tratamento do TOC também envolva as pessoas que convivem com os prejuízos causados pelo transtorno.

    Leia Também:  Narcóticos Anônimos: história, princípios e endereços

    Causas: redes sociais e toc

    Vários fatores podem ocasionar os sintomas, suas causas não estão bem definidas, trata-se de um problema multifatorial. Especialistas sugerem a existência de alterações na comunicação entre determinadas zonas cerebrais que utilizam a serotonina (neurotransmissor que atua no cérebro, estabelecendo comunicação entre as células nervosas, regula funções como humor, sono, apetite, ritmo cardíaco, ansiedade, temperatura corporal e emoções).

    Fator psicológico e histórico familiar (genética) também está entre as possíveis causas desse distúrbio de ansiedade. Caso alguém possua uma pré-disposição, o meio onde a pessoa vive pode desencadear os sintomas mais facilmente.

    Exemplos, traumas durante o parto, infecções, já que deixam sequelas tanto físicas, quanto mentais, emocionais e comportamentais. Abusos físicos e psicológicos durante os primeiros anos da vida conseguem ser capazes de mudar a postura comportamental.

    Redes sociais e toc: tipos

    Existem dois tipos de Transtorno obsessivo-compulsivo. O subclínico — as obsessões e rituais se reproduzem com frequência, mas não afeta a vida da pessoa; e o Transtorno obsessivo e compulsivo as obsessões persistem até que venha ser realizado a ação da compulsão para aliviar a ansiedade.

    Sintomas

    No geral esses comportamentos repetitivos se desenvolvem nas áreas da limpeza, perfeccionismo, checagem ou conferência, contagem, organização, simetria, colecionismo, e esses processos podem variar ao longo da evolução da doença. Fica quase impossível resistir à compulsão, não importa qual seja! Nesse caso a pessoa é tomada por um grande desconforto que aumentará ainda mais a sua fixação.

    Gestos repetitivos passam a ser produzidos como forma de conferência da ação que acaba de ser realizada. Todo esse processo gera ansiedade o paciente passa a sofrer antecipadamente, aumentando assim sua angústia, e muitas vezes a situação nem acontece. Exemplificando: verificar a escova de dente, diversas vezes no banheiro se colocou no local certo.

    Checar várias vezes se ao sair fechou a porta. Pessoas que não tocam em maçanetas das portas com medo de bactérias. Lavar as mãos compulsivamente, nunca vestir uma roupa de determinada cor ou não levantar da cama com o pé esquerdo necessidade de acessar as redes, minuto a minuto, entre outros.

    Transtorno obsessivo compulsivo e redes sociais

    Os jovens sentem necessidade de permanecer conectados o tempo todo. O mundo virtual cria possibilidade para que sejam autores de sua própria história, capazes de fazer algo sozinho e de experimentar no mundo irreal, coisas em que temem fracassar na realidade concreta. Tudo isso gera ansiedade quando não é bem administrado o tempo de permanência nas redes.

    Segundo especialistas o Transtorno obsessivo-compulsivo é alimentado pela ansiedade e quem já possui algum tipo de tendência ao distúrbio, com as redes sociais (Facebook, Twitter, instagran e outras) esses sintomas podem agravar.

    O transtorno passa a ser perceptível quando a pessoa passa a sentir uma vontade incontrolável de atualizar o perfil, ou seguir outras pessoas, o que elas fazem o que estão publicando. São observados sintomas como: ansiedade, mal-estar, medo, desconforto, repetição, pensamentos negativos, sofrimento em decorrência das obsessões e compulsões recorrentes.

    Redes sociais e toc: Tratamento

    TOC, não tem cura o termo às vezes é banalizado e comparado com simples manias. Já foi identificado que esse é um transtorno grave que pode causar prejuízos emocionais e altos níveis de stress, abala a vida profissional, familiar, amorosa, familiar.

    O tratamento de TOC pode ser feito através da utilização medicamentosa ou não, aliada a psicoterapia pode conduzir o paciente a lidar com suas emoções e sentimentos de forma mais positiva, reduzindo e/ou tratando os sintomas, transtornos e doenças mentais, atividades físicas, ajuda também.

    Leia Também:  Tratamento do TOC na psicanálise: 15 coisas a saber

    As pessoas que convivem com indivíduos que apresentam esses sinais, podem orientar para que este procure um profissional para que obtenha um diagnóstico adequado do problema. E obtenha novamente seu bem-estar e qualidade de vida.

    Considerações Finais

    Nesse tempo de pandemia as redes se tornaram obrigatórias em quase todas as áreas de nossa vida e o uso descontrolado desses equipamentos eletrônicos pode gerar problemas psíquicos graves, se faz necessário que mais pessoas conheçam os limites físicos e emocionais, o curso de Psicanálise, traz ferramentas valiosas para auxiliar em várias áreas de nossas vidas, inclusive essa que foi tratado no texto acima.

    Se inscreva em nosso curso de Psicanálise 100% EAD. Além de identificar quais pontos te ajudam em seu desenvolvimento, as aulas proporcionam autoconhecimento, desenvolvimento e transformação social.

    O presente artigo foi escrito por Denise Cristina Bento Fernandes([email protected]). Historiadora.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *