historia de édipo rei psicanálise

Resumo da História de Édipo

Posted on Posted in Psicanálise e Cultura

O mito ou História de Édipo ou Édipo-Rei é um dos mais marcantes na cultura do Ocidente. Veremos um resumo da história de Édipo. Freud formulou o Complexo de Édipo a partir desta tragédia grega de Sófocles, um conceito que se mostrou fundante na teoria psicanalítica.

A formação da personalidade humana

Saber como somos e porque agimos como agimos é um dos desafios não apenas acadêmicos, mas também para o nosso desenvolvimento humano em todas as fases da vida. Olhar para nossas atitudes e saber porque agimos de determinada forma nos ajuda a prever e corrigir as atitudes que consideramos inadequadas.

Existem diversas teorias sobre o comportamento humano. Hipócrates faz parte das centenas de personalidades que procuraram explicar nossas atitudes. Mas antes de explicar o modo que agimos, é importante saber os primórdios que nos levam a agir.

Este artigo não tem o objetivo de abordar o comportamento humano em toda as suas vertentes, iremos sim nos deter no comportamento sexual sobre a influência de fatos ocorridos durante a formação da personalidade humana.

Um breve resumo da vida do psicanalista Sigmund Freud

Uma das personalidades mais respeitados e estudadas em nossos dias é o psicanalista austríaco Sigmund Freud. Sigismund Schlomo Freud nasceu em Freiberg, na Morávia, então pertencente ao império austríaco, no dia 6 de maio de 1856.

Filho de Jacob Freud, pequeno comerciante e de Amalie Nathanson, de origem judaica, foi o primogênito de sete irmãos. Aos quatro anos de idade, sua família muda-se para Viena, onde os judeus tinham melhor aceitação social e melhores perspectivas econômicas.

Desde pequeno, mostrou-se brilhante aluno. Aos 17 anos, ingressou na Universidade de Viena, no curso de Medicina. Durante os anos de faculdade, deixou-se fascinar pelas pesquisas realizadas no laboratório fisiológico, dirigido pelo Dr. E. W. Von Brucke. De 1876 a 1882, trabalhou com esse especialista e depois no Instituto de Anatomia, sob a orientação de H. Maynert.

A história de Édipo como base para a compreensão de um processo psíquico

Freud concluiu o curso em 1881 e resolveu tornar-se um clínico especializado em neurologia. Freud esteve à frente de seu tempo, dedicado ao estudo do comportamento humano.

Estudou por uma década sozinho e suas ideias não eram aceitas, na verdade, foi hostilizado pelo meio acadêmico de sua época. Hoje entendemos muito dos seus estudos.

Como o ser humano, ele não poderia acertar em tudo, mas com toda certeza ele mais acertou do que errou em suas teorias. Muito do que ele descobriu e teorizou tem sido estudado por anos e ainda temos muito a compreender.

Freud encontrou na mitologia grega um grande substrato para a compreensão dos processos psíquicos de seus pacientes. Freud analisou com bastante interesse os artistas e suas obras, os mitos e a religião, e conferiu um especial destaque aos sonhos.

Resumo da História de Édipo ou Édipo-Rei

O ano de 1899 foi marcado pela publicação de sua grande obra “A interpretação dos sonhos”.

A interpretação dos sonhos é o trabalho maior de Sigmund Freud. Ela inaugurou a era da Psicanálise e mudou para sempre a maneira como o ser humano percebe a si mesmo.

Trabalho tão genial hoje quanto à época de sua primeira publicação, “A interpretação dos Sonhos” é considerada uma das obras fundadoras da contemporaneidade e que mais influenciaram o pensamento do século XX.

A mitologia foi usada por ele para explicar muitos dos comportamentos humanos. O mito tem um papel importante no pensamento freudiano. Um dos contos mais conhecidas é a história de Édipo.

1. A desobediência de Laio

Laio, rei da cidade de Tebas e casado com Jocasta, foi advertido pelo oráculo de que não poderia gerar filhos e, se esse mandamento fosse desobedecido, o mesmo seria morto pelo próprio filho, que se casaria com a mãe.

O rei de Tebas não acreditou e teve um filho com Jocasta. Depois, arrependeu-se do que havia feito e abandonou a criança numa montanha com os tornozelos furados para que ela morresse.

A ferida que ficou no pé do menino é que deu origem ao nome Édipo e, consequentemente à história de Édipo, que significa pés inchados. O menino não morreu e foi encontrado por alguns pastores, que o levaram a Polibo, o rei de Corinto. Ele o criou como filho legítimo.

Já adulto, Édipo também foi até o oráculo de Delfos para saber o seu destino.

2. Desvendando o enigma da Esfinge

O oráculo disse que o seu destino era matar o pai e se casar com a mãe. Espantado, ele deixou Corinto e foi em direção a Tebas. No meio do caminho, encontrou com Laio, que pediu para que ele abrisse caminho para passar.

Édipo não atendeu ao pedido do rei e lutou com o rei até matá-lo.

Sem saber que havia matado o próprio pai, Édipo prosseguiu sua viagem para Tebas.

No caminho, encontrou-se com a Esfinge, um monstro metade leão, metade mulher, que atormentava o povo de Tebas, pois lançava enigmas e devorava quem não os decifrasse.

O enigma proposto pela esfinge era o seguinte: Qual é o animal que de manhã tem quatro pés, dois ao meio dia e três à tarde?

Ele disse que era o homem, pois na manhã da vida (infância) engatinha com pés e mãos, ao meio-dia (idade adulta) anda sobre dois pés e à tarde (velhice), precisa das duas pernas e de uma bengala. A Esfinge ficou furiosa por ter sido decifrada e se matou.

3. Desfecho da história de Édipo

O povo de Tebas saudou Édipo como seu novo rei, e entregou-lhe Jocasta como esposa. Depois disso, uma violenta peste atingiu a cidade e Édipo foi consultar o oráculo. Ele respondeu que a peste não teria fim, enquanto o assassino de Laio não fosse castigado.

Ao longo das investigações, a verdade foi esclarecida e Édipo provocou a própria cegueira, enquanto Jocasta se enforcou.

O Complexo de Édipo: a compreensão de Freud

Freud fez uso desta história de Édipo para idealizar o Complexo de Édipo, a fase que ocorre dos 3 e 4 anos e vai até os 6 e 7 anos.

O Complexo de Édipo pode ser considerado um dos conceitos fundamentais da teoria freudiana. Esta fase é comum e universal do desenvolvimento infantil, marcado pela “disputa” entre a criança e o progenitor do mesmo sexo, pelo amor do progenitor do sexo oposto. Como exemplo, o menino disputa com seu pai o amor da mãe.

As consequências das intercorrências no desenvolvimento infantil

Todas as fases são importantes e, caso não sejam passadas de forma sadia, trarão consequências para toda a vida. No caso da história de Édipo as consequências vem do medo da castração dos meninos e nas meninas a ausência do pênis.

O saudável é que as meninas aceitem a ausência de um pênis e que os meninos diminuam o medo da castração.

Conclusão

Mesmo na vida adulta é possível vermos sequelas da infância e podemos tomar como norte a história de Édipo.

Rapazes podem na vida adulta, viver subjugados à figura do pai, com medo da castração. Muitas neuroses podem ter a origem justificada por uma passagem mal sucedida por esta fase.

O presente Resumo da História de Édipo Rei e sua relação com a Psicanálise foi criado por Valdecir Santana, exclusivamente para este blog. Deixe seu comentário abaixo, com dúvidas e sugestões. Aproveite e inscreva-se no nosso Curso de Formação em Psicanálise Clínica.

 

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *