se colocar no lugar do outro

Se colocar no lugar do outro: definição e 5 dicas para fazer

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

Para muitos, a ideia de se colocar no lugar do outro esbarra em experiências individuais. Por mais que a necessidade de sensibilizar seja latente, alguém pode encontrar dificuldades em se ligar com o outro, ficando assim sem entender seu valor. Entenda melhor a razão de você deve se colocar no lugar do outro.

 

Nada de suposições

Um erro bastante comum quando fala em se colocar no lugar do outro é a suposição. Graças a uma certa falta de sensibilidade, decidimos especular o que acontece ao invés de descobrir de fato. Com isso, levantamos hipóteses a respeito de determinada situação sem saber a real dimensão desta.

A suposição aqui assume uma forma daqueles que não querem ou sabem como se envolver. Isso porque ela é mais “segura”, por assim dizer. Você consegue montar uma lista do que pode estar acontecendo, mas sem se ligar diretamente naquilo. Em geral, isso acaba por distanciar as partes em um momento de bastante necessidade.

A fim de evitar isso, sempre demonstre coragem e pergunte diretamente o que deseja saber. Graças a isso, terá uma resposta de verdade, mais esclarecida e direta sobre o que pode estar acontecendo com o outro. Ademais, isso demonstra o seu interesse em relação ao bem-estar dos outros. Mesmo que não tenha uma resposta, isso mostra uma maior sensibilização.

 

Empatia: a arte de se colocar no lugar do outro

Empatia significa se sensibilizar com a situação de alguém, de modo a sentir o que este também sente. Quando se fala em se colocar no lugar do outro, essa ferramenta assume papel fundamental nessa escolha. Por meio dela, destrinchamos toda a situação vivenciada pelos entes queridos, entendendo seu ponto de vista e suas ações.

Assim que você se propor a ser mais empático, construirá os caminhos que te levam a ter sucesso nos relacionamentos. Isso porque você aprende com a vivência de terceiros, partilhando também da sua. Sem que percebam em primeiro momento, essa ligação permite que cresçam juntos, ensinando o valor em ser humilde.

Além disso, a percepção das dificuldades que os outros possuem nos faz refletir sobre as nossas. Às vezes, acreditamos estar enfrentando a maior injustiça do mundo. Pensarmos ser alvos da conspiração universal que visa nos derrubar. Quando vemos os empecilhos que os outros vivenciam, percebemos que nossas dificuldades podem ser menores.

 

Por que se colocar no lugar do outro?

Para muitos, se colocar no lugar do outro é um gasto de energia. Infelizmente, isso acaba por dar indícios de sua conduta, já que demonstra a sua insensibilidade. A conversa e entendimento entre as pessoas proporcionam a possibilidade de ter um apoio sempre que estas precisarem. Em alguns casos, se não for assistido, um indivíduo pode perder tudo o que tem.

A ideia de se colocar no lugar do outro é compreender o momento ao qual esse vivencia. Você abre mão temporariamente de suas vivências e caminhos aos quais escolheu e enxerga sob a ótica do outro. Não existem exigências, emissões desnecessárias ou reclamações, mas, sim, atenção, dedicação, neutralidade e paciência.

Assim que decidir ser mais empático, você abre as portas ao respeito, entendendo as suas diferenças. Além disso, evita a criação de mágoas, discussões e até disputas sem sentidos. Ser empático e se humanizar e humanizar o outro, dando a chance de partilhar sua vida. Embora nos enxerguemos como comunidade, pouco agimos como tal.

Leia Também:  Empatia: conceito e 7 atitudes para desenvolver

 

Controle Emocional

Ao se colocar no lugar do outro é preciso também estabelecer um filtro para proteger a si mesmo. Isso porque o envolvimento profundo pode acabar afetando negativamente aquele que se dispôs a sentir. Dada a falta de resiliência adequada, muitos acabam por tomar as dores e se machucar com elas. Com isso, mergulham em:

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Sofrimento

A sensibilidade ultra disposta acaba por captar toda a angústia de alguém e fundi-la no empático. É como se sua mente abrisse espaço para criar uma persona que se assemelhe ao outro. Com isso, essa introjeção proporciona sofrimento contínuo e desgastante até que tudo se resolva.

Preocupação excessiva

Enquanto quem se abriu não resolver a sua situação, o empático se limitará a uma preocupação além da qual deveria. Em sua mente, a ideia de que o problema não é seu não se fixa de forma adequada. Assim, o mesmo entra em um estado ansioso onde procura meios de ajudar o outro a sair daquele momento.

Conflitos internos

Como dito linhas acima, é como se você criasse um pedaço da imagem de alguém dentro de si. Contudo, isso acaba por entrar em choque com a sua verdadeira natureza. Enquanto essa parte criada se preocupará excessivamente com alguém, sua forma original vai querer viver sua própria vida. O conflito criado afeta suas emoções e ações.

 

Como ser mais empático?

como ser empático, se colocar no lugar do outro

 

Quando se dispor em se colocar no lugar do outro, é preciso estar livre às mudanças. A capacidade de olhar alguém pelos olhos dele depende de um desprendimento bastante visível de si mesmo. Ainda que possa ser difícil, é possível, fazendo da dedicação a sua maior aliada. Tente começar por:

 

1. Evitar julgamentos

Assim que o outro começar a contar a sua história, apenas receba, sem mais ou menos. Com isso, queremos recomendar que não faça julgamentos a respeito do momento em que ele está vivendo. Além de impedir os julgamentos, você evita causar más impressões, mesmo que essa não seja a sua intenção inicial.

 

2. Não compare suas experiências pessoais

Um indivíduo isolado é único, seja por suas falhas ou virtudes. Isso acaba por influenciar na percepção que este cria da vida, lidando com situações ao seu próprio modo. Assim, evite comparar tudo o que você passou com tudo o que este vivencia. As circunstâncias, elementos e pessoas são diferentes em cada situação.

 

3. Entenda o outro como ele é

Evite mudar alguém apenas para que ele se adeque ao que você pensa. Seguindo o tópico anterior, é preciso entender que cada um de nós é único justamente pela composição e o que passamos. Assim, quando se compreende isso, evita criar frustrações ou expectativas sem embasamento.

 

Afinal, como se colocar no lugar do outro?

Ter alguém ao lado que possa nos compreender permite que muitas das nossas dores sejam menos críticas. O problema pode não se resolver, mas uma pessoa disposta a nos compreender dará forças para seguirmos em frente.

Nesse contexto, a disposição em se colocar no lugar do outro advém de uma solidariedade genuína. Isso pode ser alcançado quando passamos a rever a forma como nos sentimos em relação a alguém. A sensibilização permite uma maior aproximação entre partes, fazendo com que sejam apenas um por hora. Seja empático na medida certa, isto é, sempre que necessário.

Leia Também:  Estresse: Conheça o Mal do Século XXI

Para te ajudar nessa construção da habilidade de se colocar no lugar do outro, se inscreva em nosso curso 100% virtual de Psicanálise Clínica. A psicoterapia permite que enxerguemos as outras pessoas de maneira mais profunda e por completo. Ademais, você também enxerga a si mesmo com mais profundidade, alimentando assim um processo de autoconhecimento contínuo e engrandecedor. Matricule-se!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − seis =