sete pecados capitais de Bosch

Sete Pecados Capitais em uma obra por Hieronymus Bosch

Posted on Posted in Conceitos e Significados

De alguma maneira, todos já ouviram falar dos sete pecados capitais, muitos já o retrataram em textos, poesias e obras de artes, mas e sobre os sete pecados capitais de Bosch?

A própria Bíblia faz menção de cada um deles que são: gula, ira, inveja, avareza, soberba, luxúria e preguiça. Cada uma são na verdade ações pecaminosas comentidos por pessoas e de acordo com a doutrina Cristã são erros ou ainda podem ser considerados vícios.

Entendendo sobre os sete pecados capitais de Bosch

Alguns afirmam que são a raiz de todos os pecados, ou ainda os líderes das más ações que cometemos e também daqueles pensamentos considerados maus.

Coube ao papa Gregório Magno no século 6 os definirem como sete, tomando como base as treze epístolas paulinas, cabendo a Igreja Católica o reconhecerem no século 13 após a publicação de cunho teológico escrito por São Tomáz de Aquino.

Há uma série de pinturas, feitas por Hieronymus Bosch que recebeu o título de “os Sete Pecados Capitais e as Quatro Últimas Coisas”, que enfatiza o destino da humanidade sendo considerado sua grande obra prima. Essa obra representa uma grande alerta para evitar todos esses pecados e será o tema central de estudo do presente artigo.

O artista e sua obra

Esse importante pintor Holandês, Hieronymus Bosch, nasceu em 1450, na cidade de Hertongenbosh. Apesar de ser conhecido por esse pseudônimo, seu verdadeiro nome era Jeroen van Aeken, morrendo em 1516.

Pintou cerca de quarenta obras, retratando problemas psicológicos, medos, cenas de horrores, criaturas imaginárias sendo elas humanas ou não. Foram consideradas surreais apesar de fazer parte de um grupo de pintores no periodo chamado Renascimento Cultural.

Sendo considerado um dos maiores e importante artista holandês de todos os tempos, suas obras mostravam imagens “fortes”, com o intuito de chamar atenção das pessoas sobre as diversas tentações e caminhos trilhados por muitos de maneira errada. Embora considerado um herege, estudiosos afirmam que suas obras não são para serem vistas, mas sim lida.

Conhecendo o significado de cada um dos sete pecados capitais de Bosch

Apesar da popularização dos sete pecados capitais que segundo consta, foi no início do século XIV, misturadas com a cultura humana traz hoje uma compreensão simples ao qual Bosh posteriormente utilizou esses temas que também foram abordados por outros, mas foi com esse artista que demostrou de um jeito peculiar cada um deles em uma única obra. Os sete pecados capitais são assim correlacionados:

  1. A gula, consiste em nunca estar satisfeito, sente necessidade de comer a todo momento, mais que o considerado necessário;
  2. A ira, é o ódio propriamente dito, raiva incontrolável, desejo de fazer sempre o mal;
  3. A inveja, é a cobiça daquilo que não possui, desprezo do que tem para desejar o que é do outro;
  4. A avareza, considerado exagero ao apego e bens materiais, tem cobiça pelo dinheiro;
  5. A soberba, é o excesso de vaidade e superioridade que alguns possuem, narcisismo;
  6. A luxúria, prazer pelo dinheiro e pelo poder, busca excessiva dos prazeres carnais;
  7. E a preguiça, é a apatia, desleixo, considerada aversão ao trabalho e qualquer esforço físico.
Leia Também:  O que é trauma: conceito em psicologia

Essas chamadas transgressões humanas, inspirou Bosh a pintar uma obra inconfundível trazendo muita inquietação por nós apreciadores, com o intuito de mostrar que cada atitude dessa afastava mais o homem de Deus, muito bem representada através de imagens utilizando uma técnica que só esse grande artista dispunha.

A beleza da sua obra

A obra Os Sete Pecados Capitais, composição conhecida como Os Sete Pecados Mortais e os Quatro Novíssimos do Homem, foi pintada aproximadamente entre 1500-1520, utilizado a técnica: óleo sobre madeira. Possuindo as seguintes dimensões: 120 x 150cm e está localizado no Museu del Prado, Madri, Espanha.

É considerado por muitos uma das obras-primas de Hironymus Bosch. Esta obra feita sob um painel, pode ter sido encomendado por alguma ordem religiosa, onde a princípio era para ser o tampo de uma mesa.

Segundo consta, fazia parte da coleção do rei espanhol Felipe II, juntamente com outras obras de Bosch. Toda a pintura está representada em um círculo central, e está dividido em sete cenas, com descrições em latim, possuindo quatro discos menores, também chamadas de medalhões, que ficam ao redor do centro. Afirma-se que este disco central corresponde ao olho de Cristo ressuscitado. Encontra-se na pupila, sendo que está em pé, acima do túmulo, mostrando suas chagas.

Breve análise da pintura e os sete pecados capitais de Bosch

Há linhas radiais em torno da íris de Cristo, possuem a cor dourada contendo a frase: “Cave cave deus videt” (Cuidado, cuidado, Deus vê). Em relação a córnea, ela está dividida em sete seções, representando um trapézio, significando claramente através de imagens os sete pecados capitais. Breve análise da pintura Analisando as imagens pintadas, faço as seguintes observações:

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    1. Há dois homens que devoram tudo que a dona da casa serve-lhes. O mais magro encontra-se de pé, virando um jarro de vinho na boca. Também tem uma criança que está obesa e pede ao homem gordo mais alimento. Representa a Gula;
    2. Tem um senhor dormindo, está sentado, um gato está a seus pés. Já a mulher que possui um rosário em suas mãos, chama atenção do preguiçoso que tem deixado de lado seus deveres espirituais. Representa a Preguiça;
    3. Os três casais de amantes encontram-se em uma tenda, há diversos instrumentos musicais e um recipiente que contém vinho e está espalhados pelo chão. Muita comida e vinho há também sobre uma mesa. Representa a Luxúria;
    4. Essa mulher, frente ao espelho, está totalmente apegada a seu novo chapéu, sem perceber a presença de um demônio segurando o espelho, sendo que parte do corpo está escondido por trás do armário. Representa a Soberba;
    5. Ainda há dois homens brigando e uma mulher procura apaziguar. Representa a Ira;
    6. O olhar de ciúme para com o rival, é típica do homem rejeitado. Representa a Inveja.
    7. Não esquecendo do juiz corrupto recebendo suborno. Representa Avareza; Diferentemente de seus muitos trabalhos, este em especial representa literalmente todos os níveis de pecado, e suas punições, mostrados na grande quantidade de simbolismo em cada representação dos sete pecados capitais.

    Conclusão

    Observa-se que Bosch escolhia para realizar suas obras, diversos temas considerados moralistas com personagens de lendas, provérbios e ainda superstições ditas populares, dando-lhes aspectos alegóricos, muito bem representados nas suas produções.

    Leia Também:  Terapia da psicanálise: como a psicanálise trabalha?

    O artista fez questão de representar nessa obra cada um dos sete pecados, com o propósito de alertar aqueles que estão vivendo no pecado ou que pretendiam entrar, na tentativa de trazer consciência a eles.

    Embora utilizasse uma simbologia considerada “louca” e até mesmo fascinante, todas as obras são carregadas de elementos que trazem grande reflexão e seus expectadores são convidados a entrar em um mundo imaginário, mas carregados de verdades dentro de um estilo peculiar e extravagante, traço marcante em Bosch.

    Referências

    https://virusdaarte.net – https://www.wikiart.org – https://pt.wahooart.com – https://www.significados.com.br – https://www.suapesquisa.com

    O presente artigo foi escrito por Cláudio Néris Baes Fernandes([email protected]). Arte educador, Arteterapeuta, estudante de Neuropsicopedagogia e de Psicanálise Clínica.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *