psicanálise e adicção

Psicanálise e adicção: análise para superar vícios

Posted on Posted in Transtornos e Doenças

Vou contar um pouco da minha história com a psicanálise e adicção. Quais benefícios possíveis a psicanálise traz no tratamento de adictos e outros tipos de vícios?

Quais os benefícios: psicanálise e adicção

Olá me chamo Claudiane, vou contar um pouco da minha historia com a psicanálise vamos lá ! Me Chamo Claudiane, meu apelido é Cacau, tenho 41 anos, 3 filhos, 2 netos, sou de uma família pequena, cujo pai e mãe faleceram há pouco tempo.

Sou convivente, minha filha do meio, da idade de 22 anos e 1 netinho de 2 anos mora comigo. Venho de uma família humilde, da qual eu parecia não me enquadrar, por não aceitar a minha realidade, minha infância teve brincadeiras, porem muita tristeza também, fui molestada aos seis anos de idade, e cresci com muita raiva e nojo de mim, eu me sentia culpada e sem coragem de dizer a ninguém.

Certo dia contei a minha mãe e quando ela percebeu que era verdade eu já havia ficado cheia de traumas e medo.

O surgimento da adicção em minha vida

Cresci sem acreditar no amor do ser humano, ate meus oito anos eu era muito retraída, dos nove anos pra frente fiz tudo ao contrario do que eu sentia, alias do que eu não queria sentir, me joguei ao mundo, hoje percebo que o intuito era chamar atenção, talvez por no inconsciente culpar de alguma forma minha família pelo que acontecia.

Deixei por anos o senhor do mercadinho me molestar, deixei por anos que ele sussurrasse em meu ouvido que se eu contasse pra alguém ninguém ia acreditar, e eu teria que voltar lá e seria pior pra mim.

Bom essa é uma parte de minha infância triste, o pior foi o conhecimento do uso de drogas, que fez com que eu perdesse anos de minha vida, não criei meus filhos, não estudei, fiquei em cadeias, morei nas ruas por anos, cheguei a morar dentro de um cemitério, e eu achava que aquele era o momento mais feliz de minha vida.

Momento de superação e a descoberta da adicção

Hoje eu sei por que eu achava aquele momento feliz, por que eu estava perdendo minha sanidade mental, minha sanidade estava indo junto com minha felicidade. Pior do que aconteceu comigo, do que me fizeram, foi o mal que causei a minha família, aos meus filhos, o sono da minha mãe e do meu pai que eu roubei, acabei roubando de mim mesma a grande mulher da qual eu poderia ter me tornado.

De tudo que relatei acima, hoje vejo a vida de outra forma, de que eu era apenas uma criança quando fui molestada, que eu era um ser inocente, aprendi que o cuidado e atenção que eu esperava que minha e mãe me dessem vieram, porem não da forma que eu queria, e sim de como eles conseguiram me criar, a cultura dos anos 80 eram bem diferentes.

Aos meus 34 anos de idade fiquei afastada da sociedade para me tratar, foi quando fui presenteada com a restauração de minha sanidade mental, porem descobri que sou portadora de uma doença progressiva, incurável e fatal, ela é muito perigosa, e ai travei uma luta diária e entrei em um programa que ensina a viver o hoje, e me indicaram a estudar sobre essa doença.

Leia Também:  Transtorno desintegrativo da infância

Eu muito assustada, porem aliviadas e às vezes até duvidando do poder dessa doença silenciosa fui buscar conhecimento. Terminei o tratamento e decidi fazer algo por mim e pelos outros que estavam sofrendo na garra Adicção, inicie um trabalho com dependentes químicos e comecei a estudar psicanálise.

A importância da psicanálise na adicção

A melhor coisa que me aconteceu para a minha recuperação e para vivenciar esse amor que eu achava que não existia pelos traumas e medo que adquiri na infância, foi passar por análise, conseguir fazer associação livre de minhas palavras, eu conseguir expor meus sentimentos em uma a aliança terapêutica.

Ao ver que um ser que nunca me viu na vida emprestaria seus ouvidos e aquele gesto de silencio e atenção, estavam salvando minha vida, até por que geralmente pessoas adictas, são ansiosa, depressivas, melancólicas, ou vivem em euforia total.

Eu consegui dentro de minha própria fala, na interpretação dos sonhos, na empatia do analista, a lidar comigo em situações que talvez me matariam, a superação dentro do tratamento foi tão grande que hoje eu empresto meus ouvidos e tenho a paciência e empatia para lidar com o problema do outro. E assim vou seguindo na pratica diária, ajudando a quem estava sem, esperança como eu, a quem já havia perdido o amor próprio.

Mencionei acima que adicção é uma doença progressiva, incurável e fatal, mencionei também sobre o medo que senti, porem pela importância da análise, pela oportunidade que o tratamento psicanalítico me proporciona pra eu me conhecer, eu consigo viver bem sem me escravizar no álcool e na droga.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Hoje sou um membro produtivo da sociedade, feliz apesar das sequelas e cicatrizes causadas pelas pancadas que eu me permiti levar.

    Deixo a você, leitor(a), a mensagem de que independente do que você esteja passando, existe um tratamento que funciona, esse tratamento devolveu vida a minha alma, e a você que deseja ingressar num curso de psicanálise, não perca tempo, sou a prova viva de que a psicanálise funciona, se manter como analisando, muda uma historia de dor e desespero.

    Este relato sobre Psicanálise e adicção foi escrito por Claudiane Garcia ([email protected]), para o blog do curso de formação em Psicanálise Clínica.

    One thought on “Psicanálise e adicção: análise para superar vícios

    1. Sou um adicto também .hoje estou limpo .nas venho procurando conhecimento através de psicanálise .e outras coisas que posam me ajuda .muito boa a historia

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    cinco + 15 =