hipercortisolismo

Síndrome de Cushing: causas, sintomas e tratamentos

Posted on Posted in Transtornos e Doenças

Síndrome de Cushing, conhecida também por hipercortisolismo, é uma síndrome relacionada a alteração hormonal. Ocorre quando os níveis do hormônio, que regula o cortisol no sangue, ficam em níveis elevados. Dentre as principais causas da síndrome estão o uso de corticoides ou concentrações elevadas autônomas de cortisol.

Dentre os sinais mais característicos da síndrome estão o repentino aumento de peso, gordura abdominal e no rosto, estrias vermelhas, dentre outros. A qualquer sinal da doença é necessário procurar um médico, para que não se torne mais grave e desencadeie outros tipos sérias doenças.

O que é Síndrome de Cushing?

Tecnicamente, a Síndrome de Cushing é um distúrbio hormonal, causado por um tumor na glândula hipofisária. Conhecida também como hipercortisolismo ou hiperadrenocortisolismo, é uma síndrome que se manifesta diante da exposição do organismo, por grandes períodos, a altos níveis do hormônio cortisol (ou cortisona).

Em suma, é uma patologia que produz, excessivamente, o hormônio cortisol adrenocorticotrófico (ACTH), produzido pela glândula pituitária (hipófise), responsável pela regulação do cortisol. O cortisol é de suma importância para nosso organismo, pois:

  • mobiliza os nutrientes pelo corpo;
  • combate inflações;
  • controla os níveis de água do corpo;
  • ajuda o corpo na reação a situações de estresse.

Nesse sentido, o cortisol em excesso provoca diversas complicações no organismo, com diversos sintomas, inclusive pode desencadear outras doenças. Esse excesso de cortisol pode ser endógena ou exógena (como, por exemplo, uso prolongado de medicamentos).

Sintomas da Síndrome de Cushing

Os sintomas da Síndrome de Cushing pode variar, pelo paciente e pela gravidade da doença. O diagnóstico da síndrome não costuma ser rápido, tendo em vista que os sinais podem demorar a acontecer, além de também poderem ser confundidos com outras patologias. Confira alguns dos sintomas mais característicos da síndrome:

excesso de gordura abdominal, porém, os membros ainda continuam finos;

  • gordura no rosto, deixando-o arredondado;
  • acúmulo de gordura no pescoço;
  • pele fica mais fina e frágil;
  • dificuldade na cicatrização;
  • estrias largas, roxas ou avermelhadas nas coxas, nádegas, seios, braços e abdômen;
  • ossos fracos;
  • menstruação irregular;
  • fraqueza nos músculos;
  • diminuição na libido;
  • queda de cabelos;
  • aumento de pêlos pelo corpo, nas mulheres ocorre principalmente no rosto;
  • tendem a ter diabetes, pressão e colesterol altos;
  • redução na fertilidade;
  • aparecimento de manchas rochas.
  • pele oleosa e aparecimento de acnes;
  • nos homens, disfunção erétil, dentre outros.

sindrome de cushing esquema

É comum que surgem diversos sintomas, simultaneamente, sendo que eles são mais comuns em pacientes que já sofrem com outras patologias. Como, por exemplo, asma, lúpus, artrite. Além disso, também aparecem sintomas quando a pessoa passou por transplante de órgãos e as que fizeram uso, por meses e em quantidade elevada, de corticoides. Em crianças, os principais sinais da Síndrome de Cushing são dificuldade de crescimento, pelos faciais e calvície.

Entretanto, vale ressaltar que se você usa corticoides e apresenta alguns dos sintomas aqui descritos, não poderá encerar, abruptamente, o seu uso sem a devida orientação médica.

Causas da Síndrome de Cushing

Como dito anteriormente, a Síndrome de Cushing tem como principal causa o uso prolongado de medicamentos com corticoides, os quais são normalmente utilizados em tratamentos de doenças como lupus, artrite reumatoide e para pessoas que passaram por transplantes de órgãos.

Entretanto, ela também pode advir pela presença de um tumor na glândula pituitária, localizada no cérebro e, também, das glândulas adrenais, localizada acima dos rins. Assim, há desregulação na produção da produção de cortisol. O que normalmente se verifica por meio de altas concentrações no sangue.

Como é realizado o diagnóstico da Síndrome de Cushing?

Antes de tudo, para o diagnóstico da Síndrome de Cushing é necessário verificar quais são os medicamentos utilizados pelo paciente. Logo após, alguns testes devem ser realizados, como, por exemplo:

  • medir o nível de cortisol urinário. Esse exame mostrará se o organismo está produzindo cortisol em excesso.
  • teste de saliva a noite, pois ao longo do dia os níveis de cortisol tendem a variar. Então, pessoas que não possuem a síndrome, durante a noite, apresentarão níveis baixos de cortisol. Caso contrário, pode ser um sinal da síndrome.
  • teste de supressão de dexametasona, que se refere a medição do nível de cortisol no sangue, após ingerir dexametasona. Que, em suma, é um medicamento que estimula o funcionamento da hipófise.
Leia Também:  Truculência: significado linguístico e psicológico

Vale ressaltar que esses são somente alguns exemplos utilizados para diagnosticar a doença. Ou seja, somente o seu médico, com uma avaliação individualizada sobre sua saúde, poderá chegar a um correto diagnóstico.

Síndrome de Cushing tem cura? Qual o tratamento?

O tratamento deve ser realizado pelo médico endocrinologista, que dará o tratamento adequado, que pode variar, principalmente em razão das causas das doenças. Se causado pelo uso prolongado de corticoides, no geral, deverá diminuir a dose do medicamento, sob orientação médica e, em sendo possível, suspender o uso do medicamento.

Por outro lado, se a síndrome foi causada por um tumor, deve ocorrer intervenção cirúrgica para sua remoção. Logo após, pode ser necessário radioterapia ou quimioterapia e uso de medicamentos para continuação do tratamento.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Neste ponto, saiba que o tratamento para esta doença é urgente, pois o descontrole hormonal por ela causado pode colocar a saúde do paciente em grande risco, e até mesmo ser fatal. Tendo em vista que o descontrole hormonal pode resultar no mau funcionamento dos rins e, até mesmo, falência de órgãos.

    sindrome de cushing resumido

    Prognóstico do hipercortisolismo

    O tempo de recuperação do paciente com Síndrome de Cushing pode ser demorado, a depender da sua gravidade e causa. Por isso, seguem algumas dicas que lhe ajudarão no seu tratamento:

    Alimentação saudável

    Para qualquer organismo é importante manter uma alimentação saudável e, no caso de pacientes em recuperação da síndrome, ela se torna primordial. Nesse sentido, deve seguir uma dieta rica em cálculo e vitamina D, que auxiliarão no fortalecimento dos seus ossos, reparando a perda óssea que a síndrome causou.

    Comece com atividades físicas leves

    Dentre as características da doença está o enfraquecimento dos músculos. Sendo assim, deverá seguir uma rotina leve de exercícios físicos, fortalecendo gradativamente seus músculos.

    Cuide de sua saúde mental

    Comumente a depressão é um efeito secundário da Síndrome de Cushing. Se for o seu caso, deverá buscar tratamento adequado de profissionais da saúde mental, como, por exemplo, através de sessões de terapia. E, para os casos mais graves, em que for necessário o uso de medicamentos, necessária a ajuda de um psiquiatra.

    Exercitar o cérebro

    A síndrome também pode trazer dificuldades cognitivas. Então, importante praticar exercícios que estimulem o seu raciocínio, para melhorar sua função cerebral, auxiliando em sua recuperação. Atividades simples, como, por exemplo, quebra-cabeças, podem lhe ajudar.

    Por fim, conte o que achou do artigo e tire todas suas eventuais dúvidas sobre o assunto. Teremos o maior prazer em conversar sobre o assunto com você sobre a Síndrome de Cushing, uma patologia que pode se agravar pelo desconhecimento.

    Ainda, se gostou do artigo, curta e compartilhe em suas redes sociais. Essa é uma maneira de nos estimular a sempre elaborar conteúdos de qualidade, com informações que agregarão o seu conhecimento sobre diversos assuntos.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.