terapia da psicanálise

Terapia da psicanálise: como a psicanálise trabalha?

Posted on Posted in Conceitos e Significados

Se você já ouviu falar em terapia da Psicanálise, talvez já tenha ouvido dizer que ela é uma forma de cura pela fala. Esse “título” pode ser concedido a várias formas de terapia dentro do campo da psicologia e deveria ser um símbolo do poder dessas técnicas na manutenção da saúde humana, tanto de forma individual quanto coletiva.

Neste artigo vamos entender um pouco mais sobre o que significa dizer que a psicanálise é uma cura pela fala, e também o porquê de ainda ser uma técnica subutilizada. O contexto: Só acreditamos no que é palpável.

A importância da terapia da Psicanálise

Num mundo onde não se acredita em cura sem remédios, qualquer forma de terapia é sempre vista com algum preconceito. Não precisamos ir longe para enxergar essa mentalidade coletiva: é mais comum tomar remédio para dor de cabeça do que dormir uma hora mais cedo.

O problema é mais profundo que isso: consideramos os remédios como a solução do problema e não nos damos ao trabalho de procurar a causa. Talvez alguns copos a mais de água durante o dia sejam mais eficazes que um comprimido a cada 6h.

Quem sabe 30 minutos a mais de sono, ou 15 minutos de pausa no trabalho fossem resolver a situação sem a necessidade da ingestão de substâncias químicas que apenas mascaram um problema. Nesse contexto fica fácil entender o porquê de ser tão difícil aceitar a importância e a eficácia das terapias psicológicas. Nelas não existe fórmula mágica.

Cura pela Fala na psicanálise

Não se pode, na psicologia e na psicanálise, engolir uma cápsula e esperar passivamente que o problema seja resolvido. É preciso agir em prol da própria cura, e isso foge completamente do padrão com o qual estamos todos acostumados.

O que é a Cura pela Fala na psicanálise? Falei no parágrafo anterior que na psicanálise não se pode esperar passivamente que o problema seja resolvido, e que é preciso agir em prol da cura. Isso significa que o comprometimento do paciente tem que existir para que o trabalho dê frutos.

A cura pela fala na terapia da psicanálise

Ele(a) tem que se empenhar em descobrir sobre si mesmo. Na terapia da psicanálise é comum que vejamos na teoria da psicanálise como um lugar para “desabafar”, porém mais importante do que colocar para fora o que se tem a dizer, é ouvir a si mesmo.

A importância da terapia

Outro ponto positivo é que o paciente tem que organizar seus sentimentos e suas percepções para construir suas frases. Isso é essencial para que ele sinta que transmitiu ao analista a mensagem que quer passar, e ao mesmo tempo ajuda o próprio paciente a compreender o que se passa com ele mesmo.

Além do fator desabafo, outros fatores também são importantes para a cura pela fala. O Psicanalista é um profissional capacitado para identificar mecanismos de defesa na fala do paciente e contorná-los, trazendo à consciência sentimentos e memórias que causem sofrimento ao indivíduo.

Uma vez que as dores estejam no nível consciente, paciente e psicanalista em conjunto podem trabalhar a questão e ressignificar o trauma causador do problema. Qual é o papel do paciente na cura pela fala? Antes de mais nada, o papel do paciente é falar. Mas vamos discorrer um pouco mais nesse ponto.

Leia Também:  Pansexual: o que é, características e comportamentos

O que é necessário para fazer uma terapia da psicanálise?

Muitas pessoas simplesmente não fazem terapia por não saber o que precisam fazer, por não saber o que ou como falar. A boa notícia é que um bom analista é perfeitamente capaz de te guiar nesse processo, mesmo que você nunca tenha feito terapia e tenha muita dificuldade para se abrir. Tudo o que você precisa é:

  • Comprometimento: o sucesso do tratamento depende do seu esforço para não faltar, para aceitar falar de assuntos dolorosos e refletir fora do atendimento sobre o que foi dito nele.
  • Confiança: escolha um profissional que te passe confiança e deixe-o agir. Pode ser que no decorrer das sessões você sinta raiva ou desconfiança, e isso faz parte do processo.
  • O analista está “minerando suas emoções” e nossa reação natural é de defesa. Mesmo nesses casos, exponha o que sente e não guarde esses sentimentos.
  • Paciência: Não comece a fazer análise pensando em quanto falta para receber alta. Esse tratamento demanda tempo e os primeiros resultados podem demorar a aparecer. Isso porque muitas vezes demora para criar confiança no analista, porque demora para aceitar o que sentimos (temos mania de negar sentimentos ruins), porque às vezes na temos tantos traumas que um vai passando por cima do outro e leva tempo para identificar e separar uma dor da outra.

Desistir no meio do processo não vai ajudar e não vai fazer a dor passar, muito pelo contrário. Isso é terapia da psicanálise!

Conclusão

Resumindo o raciocínio, o analista não vai te pedir para escalar o Everest nem para pular de motocicleta por dentro de um círculo de fogo. Basta que você faça o esforço moderado e contínuo de conhecer e aceitar seus próprios sentimentos.

Você se sente preparado para fazer esse esforço e descobrir que a vida pode ser muito mais leve sem as dores que você carrega hoje?

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

     

    O presente artigo foi escrito por Luara Proença([email protected]outlook.com). Luara é estudante de psicanálise, artista plástica e terapeuta reikiana; o principal objetivo da autora é tornar o conhecimento acessível a todos.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *