The Sandman

The Sandman: uma análise psicanalítica da série

Posted on Posted in Conceitos e Significados

A gigante do streaming Netflix lançou em agosto de 2022 a série The Sandman baseada nas HQs da DC Comics e criação de Neil Gaiman, onde traz o personagem Sonho como o guardião do Sonhar, um local onde tudo é possível e parte fundamental para a manutenção da própria humanidade.

A história de The Sandman

No desenrolar da história, vemos que o Sonho fica aprisionado por cem anos por um homem cujo o filho veio a falecer e que não se conformou com a perda, buscando assim através da magia, fazer com que um dos Eternos, Sonho, venha a realizar o seu desejo de que traga seu filho de volta à vida.

Durante o período em que Sonho fica aprisionado, as pessoas param de sonhar, outra parte da população que estava dormindo quando Sonho foi aprisionado, não consegue acordar, essa parte fazendo relação com a real pandemia que surgiu em 1916, e o caos se instala na Terra. Aqui podemos relacionar o sonhar da história, à perda da esperança das pessoas.

O interessante no desenrolar dos episódios, é que os personagens manifestam seus desejos ao personagem Sonho, e buscam, muitas vezes freneticamente a realização de tais desejos, o qual o deus onírico tem o poder de realizar. Um exemplo, é em um episódio o qual o personagem John vai a um cafeteria observar as pessoas e busca testar a teoria sobre verdades e mentiras.

The Sandman e os poderes mágicos

Ao desenrolar da história, ele acredita e manifesta com que as pessoas apenas falem a verdade e através de poderes mágicos, faz com que as pessoas ali presentes apenas falem suas verdades umas para as outras, o que resulta em muitas mortes, pois a verdade nua e crua não consegue ser suportada a todo custo. O desejo que ele tinha por uma verdade desenfreada se torna maléfico quando usado de maneira desmedida e não empática.

Um ponto interessante do personagem Sonho, é quando ele faz a mediação e pondera quais desejos podem ser realizados ou não. Quais são benéficos e quais podem trazer problemas para a humanidade, como por exemplo quando uma personagem quer viver no Sonhar, nome dado ao mundo dos sonhos, juntamente com o marido que já faleceu.

Nesse episódio ela engravida do marido no mundo dos sonhos, o deus Sonho, diz que quando a criança nascer deve viver no Sonhar, pois foi concebida nesse mundo. Podemos relacionar esse episódio à censura que nosso inconsciente estabelece através do Ego. Em outro episódio, o deus Sonho ajuda sua ex -esposa Calíope, que foi sequestrada por um autor que buscava inspiração.

Impulsos do ID

Com raiva do sequestrador por se negar a libertar Calíope, Sonho decide realizar o desejo do autor e dar várias inspirações ao ponto de enlouquecê-lo para que ele liberte a ex-mulher. Essa atitude do autor (personagem do episódio) pode ser relacionada aos impulsos do Id, onde para realizar um desejo, não tem “filtro” nem conhece o que é certo ou errado ao ponto de fazer o que conscientemente não é moralmente aceito, como sequestrar e estuprar uma deusa para poder ter fama e poder através de seus livros.

A série é um prato cheio para analisarmos o mundo que o autor cria com o personagem Sonho, bem como podemos relacionar com o conhecimento psicanalítico que temos o qual Freud nos apresentou. Os sonhos são parte da nossa vida cotidiana, é parte do ser humano.

Em muitas situações nem lembramos com o que sonhamos ao acordar, mas é certo que sonhamos. Na psicanálise o sonho tem sua relevância, pois diz muito sobre o analisando e toda a bagagem de vida que ele carrega. Para a psicanálise, o sonho é a maneira que o nosso inconsciente tem para a realização de desejos reprimidos.

O inconsciente

Através do sonho e todo o seu processo de formação tomamos conhecimento de que o inconsciente de uma pessoa abriga muitos desejos ocultos dela mesma inclusive. Mas também existe um porém, essas ditas realizações de desejo não se dão de maneira literal e sim, de maneira simbólica através das seguintes etapas:

Conteúdo Latente – É o conteúdo real do sonho, é o tema central, pode ser uma preocupação, um episódio impactante durante o dia (restos diurnos) e os próprios impulsos do ID.

  • Conteúdo Manifesto – É o conteúdo do sonho que lembramos ao acordar.
  • Dramatização ou Concretização – É a formação de imagens concretas a partir das ideias abstratas.
  • Condensação – É o ato de unir vários componentes, elementos, e tornar um só, como por exemplo, pegar diferentes características de diferentes pessoas e colocar em um único personagem no sonho.
  • Desdobramento- É quando o elemento do sonho apresenta mais de uma característica relacionado ao conteúdo latente.
  • Deslocamento – Essa etapa do processo é a qual o sonho sofre a alteração da imagem e/ou sentimento por outra, é a etapa que está relacionada à censura.
  • Representação pelo oposto – O próprio nome diz, é quando o personagem do sonho tem uma emoção ou sentimento oposto ao real. 
  • Representação pelo nímio – Essa etapa se refere a substituição do desejo principal por algo insignificante no sonho.
Leia Também:  Fé e Religião: questão de fé ou de acreditar?

Este texto sobre a série The Sandman na Netflix foi escrito por Bruna Nunes ([email protected]), formada em Educação Física pelo Instituto Federal do Ceará, é psicanalista em formação e pretende fazer especialização em Neurociência do Comportamento. É mãe, e busca auxiliar na psicoterapia, mulheres que passam pelos desafios da maternidade e da identidade que se confunde nessa fase.

One thought on “The Sandman: uma análise psicanalítica da série

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.