o que é transtorno desintegrativo

Transtorno desintegrativo da infância

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise, Transtornos e Doenças, Transtornos e Doenças, tratamento

O desenvolvimento infantil é um processo longo e complexo que estamos longe de compreender totalmente. Abaixo você saberá sobre o transtorno desintegrativo da infância.

Resumo

É claro que sabemos de forma aproximada como ocorre o crescimento dos órgãos e de diferentes partes do corpo na maioria dos seres humanos. Porém, é muito mais complicado saber como os traços psicológicos e os processos mentais se transformam durante a infância.

E quando o que se tenta explicar é como surgem as alterações psicológicas que ocorrem numa minoria da população, as coisas complicam-se, embora isso não signifique que não seja possível oferecer ajuda terapêutica.

É por isso que, entre outras coisas, o Transtorno desintegrativo da Infância é tão difícil de entender. Neste artigo, veremos em que consiste esse raro transtorno psicológico. Temos que levar em conta que que está atualmente incluso no conceito de Transtornos do Espectro do Autismo.

O que é o transtorno desintegrativo da infância?

Transtorno desintegrativo da infância é um termo usado até recentemente para se referir a um distúrbio psicológico que ocorre em crianças por volta dos 3 anos de idade (embora o tempo de início varie). Ele se caracteriza por um atraso no desenvolvimento das habilidades cognitivas e de comunicação.

Esse distúrbio psicológico também é chamado às vezes de Síndrome de Heller ou psicose desintegrativa. Assim, é um transtorno generalizado do desenvolvimento no qual há uma interrupção na taxa de evolução das habilidades cognitivas e comportamentais.

Após pelo menos 2 anos de desenvolvimento normal, ele experimenta uma parada ou até mesmo regride, retornando aos estágios anteriores.

Distúrbio raro

O transtorno desintegrativo da infância é um distúrbio psicológico raro, com prevalência muito menor do que, por exemplo, a Síndrome de Asperger. Especificamente, estima-se que apareça em 1,7 pessoas em cada cem mil.

Por outro lado, atualmente esse transtorno desintegrativo da infância faz parte dos Transtornos do Espectro do Autismo, devido às suas semelhanças com os demais transtornos do desenvolvimento psicológico incluídos nesta categoria.

TDI: um transtorno invasivo do desenvolvimento

O Transtorno Desintegrativo da Infância é uma classificação psiquiátrica proposta pelo DSM-IV (o DSM em sua quarta versão) e que faz parte dos Transtornos Generalizados do Desenvolvimento (TID). Por sua vez, fazem parte da categoria Transtornos de Início na Infância ou adolescência.

De acordo com o DSM-IV, a característica geral dos TIDs é a presença de um distúrbio severo e generalizado de várias áreas do desenvolvimento inicial. Caso sejas severo, é considerado impróprio para o nível de desenvolvimento da criança e idade mental ou menina.

Ela se manifesta nas seguintes áreas: habilidades de interação social e comunicação, bem como a presença de interesses e comportamentos estereotipados (estereotipias é o nome técnico). Na categoria de TIDs, havia também Transtorno Autista, Transtorno de Rett, Transtorno de Asperger e Transtorno Generalizado do Desenvolvimento.

TDI para TEA

A partir de maio de 2013, quando foi publicada a versão mais recente dos manuais estatísticos de transtornos mentais (o DSM-V), Transtornos de Início na Infância ou Adolescência, eles deixaram de ser chamados dessa forma, para se tornarem Transtornos do Neurodesenvolvimento.

O Transtorno Desintegrativo da Infância (junto com outros transtornos da infância que estão na subclassificação de TIDs), tornou-se parte de um único espectro, que é o Transtorno do Espectro do Autismo.

Leia Também:  Psiquismo: o que é, qual significado

Os transtornos do DSM-IV na infância incluem retardo mental, transtornos invasivos do desenvolvimento, déficit de atenção e transtornos do comportamento disruptivoAlém disso, incluem também transtornos da habilidade motora, transtornos de tique, de aprendizagem, transtornos da comunicação, transtornos alimentares e de eliminação.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Sintomas

    Os sintomas do Transtorno Desintegrativo da Infância são expressos em diferentes domínios do comportamento, habilidade psicomotora, uso da linguagem e interação social.

    Como vimos, os primeiros sintomas desta doença aparecem cerca de 3 anos após um período de desenvolvimento normal de acordo com a idade. No entanto, em alguns casos, eles podem aparecer mais tarde, mesmo aos 9 ou 10 anos.

    O aparecimento dessas afetações costuma ser rápido, a ponto de, às vezes, a criança perceber que algo estranho está acontecendo com ela sem que os outros lhe digam nada. Além disso, essas mudanças podem ocorrer em uma única “fase” ou em várias fases sucessivas, que geralmente ocorrem uma após a outra sem muito atraso entre elas.

    Em relação aos sintomas específicos do Transtorno Desintegrativo da Infância, considera-se que para um caso a ser descrito com este nome, pelo menos dois destes requisitos devem ser atendidos:

    • Comprometimento significativo de habilidades sociais.
    • Comprometimento das habilidades psicomotoras.
    • Falhas de controle do esfíncter.
    • Comprometimento da capacidade de compreensão da linguagem oral e escrita.
    • Comprometimento da capacidade de emitir linguagem.
    • Diminuição da capacidade de jogar (incluindo habilidades de pensamento simbólico).

    Em geral, as pessoas com Transtorno Desintegrativo Infantil acabam tendo funções de linguagem muito prejudicadas, sendo considerada uma das formas mais incapacitantes do Transtorno do Espectro do Autismo. Por isso, é muito importante o atendimento psicológico e médico.

    Causas

    Tal como acontece com os Transtornos do Espectro do Autismo, as causas exatas do Transtorno Desintegrativo da Infância não são conhecidas, embora se acredite que ele tenha um forte componente genético e que sua raiz seja fundamentalmente neurológica, em vez de estar ligada ao aprendizado anterior ou experiências traumáticas.

    Tratamento

    Atualmente não existe cura que permita reverter os sintomas do Transtorno Desintegrativo da Infância. O que se faz com a ajuda profissional é dar suporte a esses jovens e seus familiares desde o início da detecção dos sintomas para melhorar ao máximo suas condições de vida. Embora pessoas com esta alteração provavelmente precisem de ajuda ao longo de toda a vida.

    Psicoterapia

    No que diz respeito à psicoterapia, a terapia comportamental é amplamente utilizada, por meio da qual o aprendizado de chaves de comportamento úteis é facilitado para que as crianças ganhem autonomia sem a necessidade de entender totalmente o que lhes é dito.

    Sendo assim, são incentivadas a regular e limitar comportamentos que podem causar problemas em certos contextos, como estereótipos.

    Por outro lado, a partir de tratamentos psiquiátricos, certas drogas psicoativas podem ser prescritas para tratar sintomas. Na maioria dos casos, são usados antipsicóticos. Porém, devido ao risco de efeitos colaterais, esses recursos são utilizados apenas quando necessário e sempre sob supervisão médica.

    Considerações finais

    Como pudemos ver nesse artigo o transtorno desintegrativo da infância atinge uma pequena parcela da população. Conheça outros transtornos e seus sintomas acessando o nosso curso online de psicanalise. Aprimore o seu conhecimento e mergulhe nesse mundo fantástico de informações que separamos para você.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *