Transtornos de Ansiedade

Transtornos de Ansiedade: sinais e tratamentos

Posted on Posted in Transtornos e Doenças

Os transtornos de ansiedade caracterizam-se por uma sensação de estado de alerta que leva o indivíduo á se preparar com antecedência para enfrenta uma ameaça à sua integridade física.

Como o pensamento gera a emoção e esta, o comportamento, pensamentos para pensar em soluções para problemas que ainda nem surgiram, por exemplo, podem gerar a sensação de ansiedade que fazem o indivíduo querer antecipar a chegada de algum evento, por exemplo.

Os transtornos de ansiedade e o grande desconforto

A ansiedade causa desconforto, mal estar e pensamentos cada vez mais acelerados ao pensar em diversas possibilidades para resolver um problema que ainda nem se sabe se poderá vir a existir. Na maioria das vezes, esses perigos não trazem risco à existência do indivíduo. Os transtornos de ansiedade são: pânico, fobias, transtorno obsessivo-compulsivo, estresse agudo e pós-traumático e a ansiedade generalizada, como será apresentado a seguir:

O trastorno do pânico ou síndrome do pânico caracteriza-se pela ocorrência inesperada de ataques de pânico com durações breves de alguns minutos podendo chegar até uma hora. Tem como característica muita ansiedade ou medo acompanhado de palpitações, taquipneia e sudorese. O indivíduo, geralmente, procura ajuda médica por pensar que está tendo até um enfarto, devido aos sintomas apresentados, como a falta de ar e palpitações.

O medo de estar sozinho em lugares públicos ou abertos e com muitas pessoas, acompanha esse distúrbio. O indivíduo tem a sensação de medo e de algo desagradável vai acontecer, mas não consegue identificar a origem disso e por isso a angustia aumenta gerando a crise de pânico.

Transtornos de ansiedade e a fobia

Fobia caracteriza-se pelo medo irracional de um objeto ou pessoa, fazendo com que o indivíduo sofra e procure se esquivar do objeto que causa medo. As fobias podem ser específicas quando se referem a animais, objetos, sangue, elevador, altura, lugar fechado, entre outras; ou sociais, quando se referem a medo de ser humilhado, falar em público, ser rejeitado etc.

Muitas vezes fazem com que o indivíduo passe por situações embaraçosas como viajar grandes distâncias de ônibus para não pegar um avião, subir muitos andares de escada para evitar utilizar o elevador, não conseguir realizar exame de sangue, subir em uma cadeira, gritar ou correr quando se depara com uma barata, entre outras situações.

A psicanalise aliada à técnicas como a constelação familiar e a hipnose podem ser de grande valia para o tratamento dessas fobias, visto que não há medicação indicada como tratamento.

O Transtorno obsessivo-compulsivo

Transtorno obsessivo-compulsivo é caracterizado por obsessões e compulsões. Enquanto a primeira está relacionada ao pensamento, ideia ou sensação intrusiva, a segunda está ligado ao comportamento consciente e recorrente como contar, lavar as mãos, entre outros.

Por estar ligada ao pensamento, a obsessão gera muita ansiedade, pois enquanto o indivíduo não realizar o que vem á sua mente, não fica tranquilo, surgindo mais pensamentos sobre coisas ruins que podem acontecer por não realizar a ação. Ao se render a ela, compulsão, a ansiedade diminui e a pessoa tem uma falsa sensação de segurança.

Assim, pensamentos intrusivos como estar se contaminando, verificar se fechou o gás, desligou o ferro, trancou a porta de casa ou do carro geram uma ansiedade que vai se tornando angustiante até o indivíduo ceder à compulsão de lavar as mãos, conferir o gás, o ferro, a porta etc. A psicoterapia como forma de autoconhecimento e identificação desses padrões, podem, ao longo do tempo, trazer maior consciência e, consequentemente, segurança ao indivíduo.

Leia Também:  Transtorno de Personalidade Infantil (TPI)

Estresse agudo e transtornos de ansiedade

Estresse agudo e pós-traumático são traumas emocionais intensos que podem levar a pessoa a uma situação de estresse extremo. Catástrofes naturais, acidentes graves, abusos, agressões físicas, entre outros, são exemplos de traumas emocionais intensos.

Ao se lembrar do trauma, sonhar ou ter algum pensamento associado ao mesmo, o indivíduo o revive e tem a sensação de estresse, que se durar de dois dias a quatro semanas é considerado agudo e se persistir por mais e um mês é considerado traumático.

Ansiedade generalizada é caracterizada pela preocupação excessiva, expectativa apreensiva exagerada com duração de, pelo menos, 6 meses, onde o indivíduo não consegue controlar sua preocupação. Associa-se a uma irritação muito grande, fadiga, dificuldade de se concentrar, lapsos de memória, insônia e tensão muscular que pode gerar dores de cabeça, no corpo etc.

Ainda sobre a ansiedade generalizada

Esse tipo de ansiedade está associado às pressões atuais da sociedade, à correria e cobranças dos tempos de hoje. Com a pandemia, isso se intensificou demais e, por isso, muitas pessoas se viram diante de crises de ansiedade constantes.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Outro fator que intensifica a ansiedade é um sabotador interno chamado de hiper-vigilante, que se caracteriza por uma ansiedade contínua e intensa quanto a todos os perigos da vida e grande foco no que pode dar errado.

    O indivíduo acredita que nunca pode descansar, fica sempre ansioso, com dúvidas crônicas sobre si mesmo e os outros, uma sensibilidade extraordinária a sinais de perigo e expectativa constante de contratempos. Procura tranquilidade e orientação em procedimentos, regras, autoridades e instituições.

    Considerações finais

    Esse sabotador costuma vir de experiências no começo da vida em que a fonte de segurança (a figura paterna ou materna) era imprevisível e não era confiável. Também pode surgir quando eventos dolorosos e inesperados fizeram a vida parecer ameaçadora e insegura.

    Mais uma vez observa-se o quanto a psicoterapia pode ajudar o indivíduo a resolver suas questões internas para ter uma vida mais leve e fluida.

    O presente artigo foi escrito por Beatriz Costa. Professora, psicoterapeuta, coach e psicanalista em formação. Contato: [email protected]

    One thought on “Transtornos de Ansiedade: sinais e tratamentos

    1. Muito bom artigo! Muito boa explicação! Me vi no espelho agora, em relação ao TOC. KKKK

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.