Sinopse e interpretação do filme A Bailarina

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura, Uncategorized

Até onde os sonhos devem ser perseguidos? Um exemplo de como a perseverança e a coragem podem determinar o futuro de quem se arrisca sonhar. O filme A bailarina, narra na França do século XIX, a história da órfã Félice. Sonhadora e obstinada, ela tem o desejo de se tornar uma bailarina de destaque.

No entanto, para isso precisará enfrentar grandes desafios ao longo do caminho, incluindo o despertar do seu dom.

O princípio da aventura é a fuga do orfanato, onde ela vive sob regras rígidas e muita vigilância. Ao lado de seu amigo Victor, ela terá ajuda para escapar para a capital parisiense. Uma vez na cidade luz, Félice terá de usar toda a sua obstinação para conseguir realizar seu grande sonho.

Contando com uma mentora exigente e tendo de se passar por outra pessoa, ela terá finalmente uma chance. Entretanto, ao longo de sua trajetória ela vai aprender a lapidar seu sonho com disciplina e dedicação. Amor, amizade e empatia embalam a conquista dessa menininha corajosa.

Interpretando o filme A bailarina

O filme A bailarina é uma animação voltada predominantemente para o público infanto-juvenil. Contudo, as lições da produção alcançam o público adulto com toda certeza. Muito além da questão do sonho, trata dos ímpetos que movem a busca pela sua concretização.

Félice: análise da personagem

Félice, como toda criança órfã, vive as agruras da convivência sem referências paternas. Porém, mesmo em meio à insensibilidade e descrédito de seus tutores, ela não se deixa abalar. Ela sonha em ser uma bailarina de sucesso, e nem mesmo sua falta de técnica será impedimento.

Ela é a típica personagem feminina corajosa e forte que dita os caminhos da própria história. Mesmo diante dos “nãos” ela não desiste e segue em frente abrindo portas onde só há paredes. Contudo, o apoio de Victor e Odette serão um diferencial; ela saberá que precisa contar com ajuda.

Paris

Na cidade, ela sente a rejeição e o preconceito para com as crianças órfãs da época. Na sociedade francesa do século XIX, a origem familiar e a fortuna ditavam o futuro de uma jovem.

Portanto, Félice, que não contou com uma educação elitista, enfrentará dificuldades neste sentido.

Por nunca ter frequentado a escola de ballet, Félice não conhece o estilo clássico. Ela será treinada por Odette, hoje faxineira da rude mãe de Camile, rival natural da nossa protagonista. Assim, Odette incluirá a disciplina e persistência nos treinos que Félice passa a receber dela, que é ex-bailarina.

Como órfã, Félice jamais teria uma chance de ingressar na escola de ballet e concorrer na seletiva da Grand Opera. Imensamente destemida, ela ocupará o lugar de outra garota fazendo se passar por ela. Para ela, valia tudo para poder provar que podia ser a melhor, e ela não poupou esforços.

O dom e a técnica no enredo do filme A bailarina

No filme A bailarina este é um dos pontos fortes a serem destacados. Enquanto Camile, menina aristocrata, cursa ballet por imposição da mãe, Félice sonha com as mesmas oportunidades que aquela possui. Entretanto, entre as duas é mesmo Félice que tem fascínio pela dança.

E é esse sentimento de fascínio somado ao seu dom para o movimento que frão com que ela venha a se destacar. Isso nos toca no quão longe uma vontade, um desejo, uma paixão podem nos levar. É como se o universo literalmente conspirasse em nosso favor, nos conduzindo e nos trazendo as pessoas certas para ajudar.

Com isso, mesmo não tendo conhecimento acerca das técnicas do ballet clássico, nossa protagonista batalha para realizar seu sonho. Ela acredita firmemente que pode realizá-lo e enfrentará tudo para conseguir. Isso nos mostra o poder de realização diante de um desejo.

O filme A bailarina nos deixa como lição que nem sempre a capacitação técnica supera o dom e a paixão. É um enredo que termina nos despertando para a quantia de talentos sem oportunidades desperdiçados no mundo.

Ademais, nos mostra que sonhos precisam de habilidades para virem à tona. No entanto, muito mais que isso, precisam de perseverança para se tornarem realidade.

A empatia e o amor no filme A bailarina

Victor

Victor e Félice viviam no mesmo orfanato e partilhavam muitos momentos juntos. Fica claro que ele nutre um sentimento além da amizade por ela, mas prefere não deixar claro. Ela, no entanto, descobrirá posteriormente, pela lealdade e dedicação, o que seu fiel amigo realmente sente.

É com ajuda dele que ela arquiteta o plano de fuga do orfanato. Mesmo temendo as consequências, ele faz tudo por ela. O faz em respeito ao seu tão desejoso sonho. Assim, Victor se coloca como aquele capaz de apoiar o sonho de quem se ama, mesmo descrente do mesmo.

Leia Também:  Krishnamurti: vida, obra, e 10 ensinamentos

Odette

Já Odette, assume um papel mais maternal para Félicie. Ao ver uma órfã sem ter onde ficar, ela acolhe a menina em sua própria casa. Assim, durante essa convivência, as duas partilham suas realidades e encontram seu ponto comum: o ballet. Um acidente com sequelas tirou de Odette a chance de estar nos palcos.



Sentindo-se responsável pela menina, ela lhe orienta em treinos sucessivos. Porém, Félicie nem sempre acata a rigorosidade e a exigência das aulas e muitas vezes a questiona. Disso sobressai-se a dificuldade que a protagonista tem com lidar com autoridade e regras.

Entretanto, é a partir desses pequenos conflitos que a garotinha entende a importância da disciplina e da dedicação. E com esses atributos ela se fortalece ainda mais para lutar pelo seu sonho. Esta é uma das grandes lições do filme A bailarina: desistir nunca é opção!

Infere-se a partir disso o quão é fundamental que tenhamos pessoas com quem partilhar nossos sonhos. “Sonho que se sonha junto é realidade”, já diz a sabedoria popular. É preciso que haja pessoas acreditando em nós e nos ajudando a chegar até lá, afinal, nada é concretizado isoladamente.

Comentários finais: A bailarina

O filme A bailarina nos emociona com a típica ingenuidade e ao mesmo tempo com a verdade da realidade exposta. Por isso, seu desfecho no faz repensar nossos ideais de sonho e realização. Sem, entretanto, deixar de passar pelos caminhos comuns dessa busca, que nem sempre envolvem melhores escolhas.

Porém, a grande lição da animação é a condução da trajetória de sonhos. Com isso, tanto Félice que sonha dançar, quanto Victor, que sonha em ser inventor, unem seus caminhos buscando realização. Enfrentando dificuldades, maus tratos e preconceito, eles se permitem sonhar.

Assim, ficamos com a lição de que sonhar é preciso, mesmo diante de grandes desafios. Todos os sonhos que brotam no coração do homem têm potencial para se concretizar. É de persistência que eles precisam. Sem a luta e a esperança não podemos mudar nossas realidades nem nos permitir a excelência da vida.

Para ganhar essa percepção sobre a vida e inspirá-la em outras pessoas, matricule-se em nosso curso de Psicanálise Clínica online. Se o seu sonho, diferente do de Félice em A bailarina, é ser psicanalista, esta é uma oportunidade imperdível. O que você deseja está ao alcance da mão e é barato. Confira!

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 5 =