Efeito de ancoragem: significado em PNL e Psicanálise

Posted on Posted in Formação em Psicanálise, Psicanálise

Se você chegou até aqui, muito provavelmente já ouviu falar sobre algo chamado efeito de ancoragem. Você pode ter ouvido sobre o termo em alguma palestra, em alguma conversa, ou até mesmo na tv. No entanto, não é possível garantir que você ouviu sobre a mesma coisa que discutiremos hoje.

Isso porque o efeito de ancoragem pode ser abordado de várias perspectivas. Pensando nisso, nós trouxemos a definição do que é ancoragem, e as perspectivas do efeito diante no PNL e da psicanálise. Claro, definiremos também cada uma dessas coisas, pois se vamos falar disso, é importante entender o que elas significam.

Ancoragem de acordo com o dicionário

Vamos começar essa conversa com a definição de ancoragem no dicionário. Primeiramente, essa palavra é um substantivo feminino. Além disso, em seu significado estrito, há poucas definições:

  • É o ato ou ação de ancorar algo. Isso significa prender ou amarrar algo ou algum equipamento em um determinado lugar. Ao fazer isso, você torna-o estável, e assim pode utilizá-lo de maneira mais segura. Por exemplo, se você precisa subir em um navio, você não consegue fazer isso se ele não estiver ancorado;
  • Ela também é a posição de um navio ancorado.

O antônimo direto de ancoragem é “solto”.

O que é PNL

PNL é a sigla que denota a programação neurolinguística. Ela, por sua vez, estuda a estrutura da experiência subjetiva. Contudo, além de estudar, desenvolve ferramentas que podem ser aplicadas em todas as interações humanas.

Esse estudo é focado em processos conscientes e inconscientes que se combinam e resultam nos comportamentos. Por essa razão, a PNL se propõe a, através da programação neurolinguística, alterar as estruturas de determinados comportamentos. É a busca pela reprogramação que leva uma pessoa a atingir melhores resultados.

Definição básica de psicanálise

Diante disso, vamos dar uma breve definição sobre o que é Psicanálise. Afinal, precisamos entendê-la pelo menos em linhas gerais para podermos a relacioná-la ao efeito de ancoragem. Em nosso blog, há muito mais artigos sobre psicanálise. Caso você tenha interesse, é só continuar acompanhando os conteúdos que postamos diariamente. 

A Psicanálise é um ramo clínico teórico que se ocupa em explicar o funcionamento da nossa mente. Ela se propõe a ajudar no tratamento de distúrbios mentais e neuroses e, para isso, busca relacionar os desejos inconscientes, comportamentos e sentimentos vividos por nós.

Por esse motivo, ela também é conhecida como a “teoria da alma”. O neurologista Sigmund Freud é considerado o pai desse ramo e, para ele, a maioria dos processos psíquicos são inconscientes e dominados pelos desejos sexuais.

O que é o efeito ancoragem

Agora que já sabemos um pouco mais sobre os conceitos discutidos acima, vamos falar sobre o efeito de ancoragem. Esse é um viés cognitivo que descreve a tendência de se ancorar a uma parte de uma informação recebida. Essa ancoragem seria significativa durante o processo de tomada de decisão sobre algo.

Isso significa que quando recebemos uma informação, nós temos uma primeira impressão permanente sobre ela. Nós não conseguimos nos afastar dessa primeira impressão, pois ficamos ancorados a ela.

Há inúmeros estudos que vem testando esse efeito. O principal método é apresentar uma informação e pedir para se tomar uma decisão que nada tenha a ver com isso. Porém, essa mesma decisão deve ser em relação a algo que a pessoa não possua muito conhecimento. Os resultados apontam que, mesmo não tendo influência real, a informação influencia em como a pessoa reagirá.

A ancoragem para a Psicanálise

Como vimos no tópico anterior, o efeito de ancoragem está relacionado ao pensamento humano. Esse pensamento pode moldar e transformar opiniões de acordo com a experiência humana. Além disso, a ancoragem pode se estabelecer em questões inconscientes.

As âncoras são como pontos de referência em nossa mente. Assim, elas podem nos remeter a lugares mais específicos em nosso “mar de experiências”. Diante dessa informação, a Psicologia vem tentando nos ajudar a entender como a nossa mente trabalha.

Ela entende que coisas profundas, traumas de nossa infância podem interferir em nossas tomadas de decisão. Afinal, para a Psicanálise, situações que vivemos na nossa primeira infância nos marcam profundamente. É preciso, portanto, entender quais são as nossas âncoras.

Não podemos esquecer também que o efeito de ancoragem é tendência de fixarmos em uma informação como ponto de partida. Uma vez fixado este ponto, temos dificuldade de ajuste diante de informações posteriores. E por isso, além de entender nossas âncoras, é entender como modificar essas informações.

Leia Também:  Zona de conforto: significado e 5 passos para sair

Ela é um mecanismo automático, inato e involuntário. Por isso, resistir a essa âncora é difícil e um processo complicado. Assim sendo, a terapia psicanalista tenta relacionar toda a questão inconsciente com os comportamentos resultantes.

A ancoragem para o PNL

Dentro da PNL, o efeito de ancoragem é uma técnica.

Como vimos lá em cima, a PNL foca na programação neurolinguística para alcançar novos resultados. Dessa forma, a ancoragem é uma das técnicas da PNL. Essa técnica é utilizada para criar ou modificar respostas associadas à um estímulo.



Já dissemos que a ancoragem está no nosso cotidiano, na nossa mente. Por exemplo, quando estamos apaixonados e ouvimos uma música sobre amor, vamos lembrar dessa pessoa quando ouvirmos ela. Pode a paixão passar, mas a lembrança fica. Ela pode até nos fazer retornar para aquele tempo, suscitar sentimentos.

A PNL acredita que podemos criar ancoragens positivas para estados emocionais positivos. Assim, essas ancoragens nos ajudarão a tomar decisões mais positivas diante de diversas situações.

Consequentemente, para realizar a ancoragem, é preciso identificar o estado emocional que desejamos ter.

Normalmente nós queremos voltar para um estado de tranquilidade, paz, alegria, euforia e bem-estar. Assim, o importante é focalizar no queremos, mas também entender o que não queremos. Segundo a PNL, quando pensamos no que não queremos, nossa mente constrói essa imagem. A partir dessa construção, a nossa mente pode nos levar para a aquele lugar.

Por essa razão, é importante mudar a nossa forma de pensar e não focar no que não queremos, mas no que queremos. Exemplo, “quero ficar em paz” e não “não quero ficar nervoso”. Afinal, nossa mente é poderosa, e nossos comportamentos são influenciados por ela. Dessa forma, saber usar as ferramentas certas para nos ajudar é essencial.

Conclusão

Vimos neste artigo como o efeito de ancoragem interfere em nossa vida. Ele interfere nos nossos comportamentos, na nossa resposta ao mundo. Interfere ainda, principalmente, nas nossas decisões.

A maneira como recebemos informações e qual o tipo de informações que agem diretamente nos resultados de nossas vidas são importantes. Assim, entende-se que é necessário entender como as novas e antigas informações moldaram nossa psique. Além disso é preciso reconhecer, analisar e modificar o que for preciso.

Tanto a PNL como a Psicanálise vêm ao nosso socorro para fazermos essa trajetória de compreensão. São visões diferentes, perspectivas diferentes, porém, todas são eficazes. Tudo depende do que esperamos e queremos.

Esperamos que este artigo tenha lhe ajudado a compreender melhor o efeito de ancoragem e essas perspectivas. Além disso, se você tem interesse em conhecer mais sobre isso e sobre a Psicanálise, mais especificamente, nosso curso de Psicanálise Clínica online pode te ajudar. Não deixe de conferir!

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

One thought on “Efeito de ancoragem: significado em PNL e Psicanálise

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + 2 =