aprenda a fazer falta

Aprenda a fazer falta: 7 dicas diretas

Posted on Posted in Comportamento

Para muita gente, relacionamentos são peças de vidro. Assim, a qualquer momento, é possível quebrá-los, sem chances de recuperação. Quando você se sente inseguro, é possível que qualquer afastamento no relacionamento indique que a outra parte envolvida não está mais interessada. No entanto, nem sempre os nossos sentimentos e emoções correspondem à verdade. Por outro lado, podemos fazer com que você aprenda a fazer falta.

 

É útil que você aprenda a fazer falta?

Por ajudar nós estamos nos referindo a ensinar você a encontrar estratégias que ajudem na hora de comunicar ou até mesmo tratar carências. Há pessoas que, na intenção de fazer falta, acabam sumindo da vida de pessoas importantes. Uma ou outra vez essa decisão pode levar o outro ao desespero e a prestar atenção. Contudo, é muito problemático quando esse outro identifica essa sua atitude como um padrão recorrente. 

Assim, aquilo que você usou para chamar a atenção ganha contornos negativos. Seu modo de lidar com a falta de atenção do outro se assemelha à fábula do menino e o lobo. Você já escutou? Um jovem pastor fala tanto que está sendo atacado por um lobo sem que isso seja verdade, que quando o ataque realmente acontece ninguém liga mais. Dessa forma, você acabará sem a atenção que deseja por muito pedir de maneira equivocada.

Com as dicas que passaremos em seguida, nossa ideia é que você aprenda a fazer falta com sobriedade. É necessário entender as próprias carências e não criar estratégias que envolvam uma expectativa sobre o comportamento do outro. Na verdade, você aprenderá que a falta se cria quando você se livra da dependência emocional que desenvolve. Uma vez que aprende a viver bem consigo mesmo, quem convive com você sentirá a diferença.

 

Dicas para que você aprenda a fazer falta

aprenda a fazer falta dicas

1. Permita-se viver para si e não para os outros

Em primeiro lugar, é importante que você não direcione a sua vida em torno da resposta de outra pessoa. Se você quer fazer falta, esse já é um indicativo de que está criando expectativas sobre o comportamento de alguém. é como se estivesse trabalhando em cima de estímulos e respostas, como no behaviorismo. Assim, pensa que se fizer X, obterá uma resposta Y. Consequentemente, espera que nesse texto nós ajudemos você com isso.

Pedimos licença para frustrar esse desejo, pois queremos aqui chamar a sua atenção para você mesmo. Por que deseja que alguém preste mais atenção em você? Será que essa pessoa não está dando a atenção que você acha que merece ou ela não demonstra que sente a sua falta tanto quanto você gostaria? É você que precisa prestar mais atenção ao que espera do relacionamento ou de fato é o relacionamento que está em crise por causa do outro?

Saber responder essas perguntas é importante para entender o que fazer. Se você sente essa sensação de repúdio ou desprezo por parte de outra pessoa, obviamente não deve continuar se sentindo mal. Resolver a questão é importante. Contudo, queremos que você comece a refletir sobre a possibilidade de o problema não estar no outro, mas em uma expectativa sua. Caso você decida viver mais centrado em si mesmo, será que a situação muda?

 

2. Invista momentos de seu dia em momentos só seus

Para começar esse movimento de centrar a sua vida em você mesmo, ter momentos de solitude é bastante importante. Nesse contexto, vale muito a pena explicar que a solitude é bem diferente de solidão, um sentimento super negativo que te levou a buscar um texto onde aprenda a fazer falta.

Leia Também:  Tratamento do TOC na psicanálise: 15 coisas a saber

Por definição, a solitude é o estado de privacidade de uma pessoa. Tendo isso em mente, questione a si mesmo se você tem vivido esse tipo de experiência no seu dia a dia. Há momentos em que você pode afirmar que desenvolve  sua privacidade? Esses pedaços do dia podem ser um café, uma meditação, uma oração.

Não necessariamente você precisa fazer uma viagem de auto-conhecimento à la Cheryl Strayed, mas estar em solitude é importante. Caso não conheça a história dessa mulher inspiradora, saiba que, após se divorciar, ela resolveu experimentar o poder transformador de uma viagem sozinha. Ela fez a Pacific Crest Trail (PCT), na costa do Pacífico dos Estados Unidos. Após finalizar sua viagem, contou sua experiência em um livro que até virou filme!

 

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

3. Faça terapia para compreender o quanto precisa e depende do valor que outra pessoa te dá

Apesar de recomendarmos o tempo de solitude, gostaríamos ainda de chamar a sua atenção para um outro momento importante. Não é todo problema que se resolve sozinho e, muitas vezes, precisamos de ajuda para conseguirmos entender as origens dos nossos comportamentos e inseguranças. A fim de que aprenda a fazer falta ou entenda o porquê de desejar isso, faça terapia.

Durante o processo de tratar a si mesmo, entenderá a si mesmo e a maneira como se relaciona com outras pessoas. Talvez você não queira fazer falta, mas ter carências satisfeitas. Por outro lado, é possível que você não esteja sabendo ler bem o comportamento do outro. Assim, é perfeitamente plausível que, na verdade, você não precise fazer falta, pois é amado e apreciado. Talvez o que seja necessário aqui é se compreender bem.

 

4. Não se feche para a descoberta de outros relacionamentos

Enquanto vive essa mudança de perspectiva, não deixe de permanecer a porta da sua vida aberta para que outras pessoas consigam se relacionar com você. É muito comum ver casais ou famílias que se fecham completamente para outras pessoas. Assim, apenas as pessoas envolvidas no vínculo familiar ou conjugal podem satisfazer uns as carências dos outros, o que é inefetivo.

Se acha que precisa fazer falta ou sentir falta, talvez abrir seu círculo de relacionamentos te ajude a ter uma visão mais ampla de como um relacionamento pode ser mais tranquilo. Não necessariamente você deve passar 100% do tempo com seu cônjuge ou familiar. É importante ter amigos, confidentes e colegas de trabalho com quem comemorar o final de semana. Aprenda a se descolar do círculo de relacionamentos mais confortável! 

 

5. Limite a quantidade de mensagens que envia

Uma coisa importante de ressaltar aqui: nada de ficar mandando lembretes direta ou indiretamente para quem você acha que deveria estar sentindo a sua falta. Comunicar a sua necessidade ou confessar sua carência é uma coisa. Cobrar um comportamento ou pressionar é outra coisa totalmente diferente. Veja que a resposta do indivíduo cobrado é mais defensiva do que aquela de alguém que está disposto a te ouvir e fazer você feliz.

Assim, não envie mensagens ou fique postando indiretas sobre como o comportamento do outro deveria ser. Essa é uma bala que pode acabar atingindo você mesmo. Nós entendemos que o desejo de comunicar sua necessidade é tentador. No entanto, fazer terapia ou conversar com alguém pode te ajudar a fazer isso de maneira mais inteligente e efetiva. Pense nisso antes de agir por impulso!

Leia Também:  Frases de decepção amorosa e dicas para superar

 

6. Não suma da vida de alguém para chamar a atenção

Ainda falando sobre medidas inefetivas para chamar a atenção de alguém, seja maduro ao lidar com seus relacionamentos. Assim como as mensagens e posts, sumir de repente parece uma saída atraente. No entanto, para que você aprenda como fazer falta é importante saber a distinção entre chantagem emocional e comunicação efetiva. Ao sumir do nada e preocupar uma pessoa, você traz para a vida dela ansiedade, pressão e desespero.

Talvez você não tenha pensado nisso, mas esses são sentimentos péssimos para alguém que está em um relacionamento. Caso você você a vítima desse tipo de atitude, reconheceria na hora o quão abusiva ela é. Assim, trabalhe com a máxima de que não se deve fazer com o outro o que você não gostaria que fizessem com você. Aprenda a se comunicar e evite trazer um peso emocional negativo para o relacionamento.

 

7. Aprenda a comunicar suas necessidades e entender o que a outra pessoa pode dar

Por fim, além de aprender a comunicar o que sente, entenda que o outro nem sempre conseguirá suprir sua necessidade. Lembre-se que os seres humanos estão divididos em personalidades muito distintas e que, por isso, sentimos tudo de maneiras igualmente distintas. Você começou a ler este texto pensando em fazer falta para alguém, mas e se essa pessoa não sente falta da mesma maneira que você? Ou manifesta a saudade de modo diferente?

É necessário estar atento às necessidades do outro e, mais que isso, pensar no que o outro pode oferecer. Caso as vontades e sentimentos não coincidam, é natural optar pelo término. Contudo, só depois de ambos aprenderem a comunicar suas necessidades e limitações. 

 

Considerações finais: aprenda a fazer falta

Ao ler o texto de hoje, você estava pensando que iríamos de ajudar com estratégias para que você aprenda a fazer falta. Apesar de termos focado nossas orientações em você e não no outro, percebe que foi exatamente o que fizemos? Ao centrar-se em si mesmo, você dá espaço para que o outro te veja e te enxergue como alguém que está bem. Para aprender como fazer isso mais a fundo, matricule-se em nosso curso de Psicanálise Clínica online!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 2 =