Charles Dickens

Charles Dickens: panorama da vida e obra

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura

No texto de hoje, falaremos sobre o maior romancista inglês da era vitoriana: Charles Dickens. Em nossa reflexão, você verá como seu trabalho na cultura nos diz muito sobre o comportamento humano, que tem tudo a ver com a Psicanálise. Assim, fique ligado para aprender como foi a vida desse escritor tão proclamado. Ademais, confira nossas indicações de leitura no que diz respeito à sua obra. Você não vai se arrepender de ler esse artigo até o final!

A vida de Charles Dickens

Nesta primeira parte do artigo, discutiremos um pouco sobre a vida pessoal de Charles Dickens. É impossível dissociar a biografia do autor do conteúdo que ele produz. Dizemos isso pensando principalmente pensando no conceito de cultura. Ainda que um escritor fale sobre um período anterior ao seu nascimento ou que esteja muito no futuro, ele escreve do ponto de vista do presente em que vive.

Assim, entender o contexto em que Dickens viveu é fundamental para entender como sua obra se insere na sociedade. Veja que, para alcançar o título de maior romancista da era vitoriana, sua percepção do seu tempo devia ser muito aguçada. Nesse contexto, apesar de a obra de Dickens não ser considerada muito realista, suas críticas sociais são consideradas muito perspicazes até o dia de hoje. Mais abaixo você entenderá o motivo!

Vida Familiar

Infância

No que diz respeito à sua infância, é possível considerar que Dickens cresceu em um lar relativamente estruturado. Ele foi criado por seus pais, casados, e que tinham uma situação financeira satisfatória. Charles Dickens passava muito tempo com sua mãe, que lhe ensinava inglês e latim todos os dias. Não era mimado, mas também não lhe faltava nada. Você por acaso teve uma criação assim?

Além da companhia principalmente da mãe, Dickens passava muito tempo imerso em seus livros. Ainda criança, lia livros considerados complicados até para estudantes de graduação. Títulos como Dom Quixote e As mil e uma noites faziam parte de seu repertório literário. Além de viver cercado por livros, a situação social da família aparentemente possibilitava que o garoto estudasse em uma escola privada por algum tempo.

Adolescência

Os problemas começaram a surgir neste período da vida de Charles Dickens. Ao passo que seu pai tinha um emprego relativamente bom, ele deixou essa fama subir à cabeça. Assim, gastou mais do que podia e acabou preso por contrair dívidas e não pagá-las.

Por este motivo, Dickens se viu obrigado a trabalhar pela primeira vez aos 12 anos de idade. Antes disso, para manter as contas, sua mãe vendeu seus livros e alguns bens familiares. Já empregado, Charles produzia graxa para sapatos. Não ganhava muito e, aquilo que recebia, usava para o sustento de sua família.

Mesmo depois que seu pai foi solto e acabou recebendo uma herança, a mãe de Charles não achou bom retirá-lo do trabalho. Essa foi uma decisão que machucou profundamente uma criança que passou por uma mudança tão brusca de estilo de vida. Contudo, tendo em vista o legado construído em sua obra, talvez a experiência de trabalho na classe operária foi uma das melhores experiências que ele poderia viver.

Vida adulta

Em sua vida adulta, Charles Dickens teve a oportunidade de modificar o destino que sua mãe decidiu lhe impor. Para isso, estudou diversas atuações diferentes. Primeiramente, manifestou um interesse pelo Direito que acabou sumindo depois de ele se desencantar pelo trabalho nos tribunais. Em seguida, trabalhou como jornalista e, só depois de alguns anos nessa função é que foi se consagrar como escritor.

Leia Também:  Amizade por interesse: como identificar?

Como você verá mais adiante, vários de seus livros abordam a vida da classe operária. Isso conversa diretamente com o que dissemos mais acima sobre entender como o contexto do autor se liga à sua obra. Ao ler sobre o conteúdo de seus livros mais famosos, você entenderá porque a sua obra é considerada idealista mas, ao mesmo tempo, uma excelente leitura da sociedade da época. Confira!

A obra de Charles Dickens

Livros mais famosos

  • Oliver Twist: Neste livro, Dickens aborda o cotidiano do submundo londrino. Além disso, discute as consequências da pobreza e do desemprego em sua época ao retratar as aventuras de seu protagonista: uma criança.
  • Um conto de Natal: Na obra, um velho chamado Scrooge recebe uma visita sobrenatural no Natal. Ele é um homem de negócios ranzinza e solitário que, ao contrário do restante da sociedade londrina, não encontra razão para tanta alegria.
  • Grandes Esperanças: Trata-se de uma das obras de Charles Dickens que muitos consideram beirar a perfeição narrativa! Neste livro, conheça uma história de desilusão amorosa que lida com temas como riqueza e imoralidade.
  • David Copperfeld: Temos aqui o filho predileto de Dickens, o que pode se dever ao caráter autobiográfico da obra. Aqui, lemos a história de um outro menino, David Copperfield. A narrativa explora sua infância e juventude em um relato muito rico em detalhes.
  • Tempos difíceis: É uma obra que argumenta contra ideias e preconceitos arraigados na sociedade. Ao narrar acontecimentos que se dão na cidade de Lancashire Coketown, o autor apresenta uma visão de abusos,erros e  egoísmos em uma realidade pós Revolução Industrial. Mais uma vez a vida do operário está em foco.

Estilo literário

De modo geral, uma das características mais fortes do estilo de Charles Dickens é a narrativa sobre a vida do operário. É interessante observar quantos de seus protagonistas são crianças vivendo realidades de gente grande, assim como ele foi obrigado a fazer. Por esse mesmo motivo, mais duas características marcantes se manifestam tendo em vista a biografia do autor: crítica e consciência social sempre muito presentes.

O que a obra de Charles Dickens nos ensina sobre cultura e comportamento humano

Bom, no que tange ao seu trabalho de crítica social, o trabalho de Dickens nos leva a prestar atenção em pessoas. Condições sub-humanas de trabalho levam as pessoas a seus limites. Assim como uma fábrica não é lugar para uma criança frequentar, também não é o lugar da oportunidade para explorar homens e mulheres.

É importante ter em mente que seres humanos não são máquinas. São seres complexos com dilemas reais independentemente do estrato social.

De um ponto de vista mais pessoal, precisamos considerar ainda como a adolescência traumática foi jorrada para fora do coração de Dickens por meio de seus livros. Nesse contexto, chamamos a atenção para a importância de defender e investir nas manifestações artísticas enquanto representações dos pensamentos e emoções humanas. É importante ter como fazer das nossas tristezas algo lírico que possa tocar gente por aí.

Considerações finais sobre a vida e obra de Charles Dickens

No texto de hoje, você aprendeu sobre a vida e obra de Charles Dickens. Por fim, você viu que é muito importante saber associar a produção cultural de um autor ao que ele conseguiu ler do seu tempo. Ou seja, é bom saber identificar como cada artista lê e reflete seu contexto em suas obras. Você poderá aprender um pouco mais sobre a relação entre Psicanálise e Cultura ao se matricular em nosso curso de Psicanálise Clínica 100% EAD. Confira!


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + 9 =