Drogas na adolescência: a Psicanálise pode ajudar?

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

Existem diversas teorias psicanalíticas acerca do uso de drogas na adolescência. No entanto, algumas das mais notáveis são descritas por L. Wurmser, EJ Khantzian, H. Krystal e J. McDougall. Assim, elas explicam as razões pela qual pessoas iniciam o uso dessas substâncias.

Nesse contexto, de acordo com Wurmser, o abuso de substâncias é motivado por uma crise narcísica. Assim, ele defende a psicanálise tradicional como principal forma de tratamento. Contudo, Khantzian vê o vício como uma tentativa de compensar um autoconceito debilitado.

Por outro lado, segundo Krystal, o dilema básico do abusador de drogas na adolescência reside em suas relações objetais perturbadas. No entanto, McDougall concebe o vício dentro do contexto da doença psicossomática e observa que tais fenômenos podem ser vistos como um modo defensivo de lidar com o sofrimento.

Para destacar algo em comum, todos os 4 teóricos se concentram no uso de drogas como um regulador afetivo. Além disso, consideram as drogas como substitutos externos das funções internas.

Assim, talvez o conjunto de todas as teorias revele de forma geral a razão pelas quais as pessoas fazem uso de drogas. É interessante que elas também expliquem o porquê de o uso geralmente se iniciar durante a adolescência.

Razões pelas quais o uso de drogas na adolescência é frequente

Para se encaixar

Muitos usam drogas na adolescência “porque os outros estão fazendo” – ou pensam que os outros estão fazendo. Nesse contexto, temem não serem aceitos em um círculo social que inclua colegas que usam drogas.

Para se sentir bem

Drogas abusadas interagem com a neuroquímica do cérebro para produzir sentimentos de prazer. Assim, a intensidade dessa euforia difere pelo tipo de droga e como ela é usada.

Para se sentir melhor

Alguns adolescentes sofrem de depressão, ansiedade social, distúrbios relacionados ao estresse e dor física. Assim, usar drogas pode ser uma tentativa de diminuir esses sentimentos de angústia. Dessa forma, o estresse desempenha um papel significativo no início e no uso contínuo de drogas, bem como no retorno ao uso de drogas (recaída) para aqueles que estão se recuperando de um vício.

Para fazer melhor

A nossa sociedade é muito competitiva. Nesse contexto, a pressão para se apresentar atlética e academicamente pode ser intensa. Assim sendo, alguns adolescentes podem recorrer a certas drogas como estimulantes ilegais ou prescrição porque acham que essas substâncias irão melhorar ou melhorar seu desempenho.

Para experimentar

Adolescentes são muitas vezes motivados a buscar novas experiências, particularmente aquelas que percebem como emocionantes ou ousadas.

Drogas mais usadas pelos adolescentes

Álcool e tabaco são as drogas mais comumente usadas pelos adolescentes, seguidas da maconha. No entanto, as próximas substâncias mais populares diferem entre grupos etários.

Jovens adolescentes tendem a favorecer substâncias inalantes, enquanto os adolescentes durante a fase do Ensino Médio são mais propensos a usar maconha sintética (“K2” ou “Spice”). Ademais, podem abusar de medicamentos de prescrição em particular analgésicos opiáceos, como Vicodin e estimulantes como Adderall.

De fato, pesquisas sobre o uso e atitudes de usuários durante a adolescência mostram que os medicamentos prescritos e de venda livre são responsáveis ​​pela maioria das drogas mais comumente usadas pelos adolescentes durante o Ensino Médio.

Como os adolescentes se tornam viciados em drogas e quais fatores aumentam o risco?

O vício ocorre quando o uso repetido de drogas muda a forma como o cérebro de uma pessoa funciona com o tempo. Assim, a transição do uso de drogas voluntárias para compulsivas reflete em mudanças na inibição natural do cérebro.

Nesse contexto, centros de recompensa impedem a pessoa de exercer controle sobre o impulso de usar drogas mesmo quando há consequências negativas – a característica definidora do vício.

Algumas pessoas são mais vulneráveis ​​a esse processo do que outras, devido a uma série de possíveis fatores de risco.

Nesse contexto, experiências altamente estressantes na primeira infância, como abuso sexual ou outras formas de trauma são um importante fator de risco. Assim, adolescentes com história de abuso físico e/ou sexual são mais propensos a serem diagnosticados com transtornos por uso de substâncias.

É importante ressaltar que há ainda muitos outros fatores de risco. Assim, são eles:

  • vulnerabilidade genética;

  • exposição pré-natal ao álcool ou outras drogas;

  • falta de supervisão ou monitoramento dos pais;

  • e a associação com pais usuários de drogas.

Ao mesmo tempo, uma ampla gama de influências genéticas e ambientais podem promover um forte desenvolvimento psicossocial e resiliência.


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ


Além disso, podem trabalhar para equilibrar ou neutralizar fatores de risco, tornando difícil prever quais indivíduos desenvolverão transtornos por uso de substâncias e quais não.

É possível que os adolescentes se tornem viciados em maconha?

Sim. Ao contrário da crença comum, a maconha é viciante. Estimativas da pesquisa sugerem que cerca de 9% dos usuários se tornam dependentes da maconha; esse número aumenta entre aqueles que começam cedo (para cerca de 17% ou 1 em 6) e entre os usuários diários (para 25% a 50%).

Assim, muitos dos quase 7% dos adolescentes do ensino médio que (de acordo com dados da pesquisa anual) relatam fumar maconha diariamente ou quase diariamente estão a caminho do vício. Isso se já não estão viciados. Além disso, podem estar funcionando em um sub-nível ideal em seus trabalhos escolares e em outras áreas de suas vidas.

Abstinência

Os usuários de maconha de longo prazo, tentam parar de relatar sintomas de abstinência. Nesse contexto, são eles:

  • irritabilidade;

  • insônia;

  • diminuição do apetite;

  • ansiedade;

  • fissura por drogas.

Tratamento

Intervenções comportamentais, incluindo Terapia Cognitivo-Comportamental e Gerenciamento de Contingências (fornecendo incentivos tangíveis a pacientes que permanecem livres de drogas) provaram ser eficazes no tratamento do vício da maconha.

Assim, embora não haja medicamentos atualmente disponíveis para tratar o vício da maconha, é possível que remédios para aliviem a abstinência. Nesse contexto, podem bloquear seus efeitos intoxicantes e prevenir a recaída.

Contudo, talvez outros resultados interessantes podem emergir das recentes descobertas sobre o funcionamento do sistema endocanabinóide. Trata-se de um sistema de sinalização no corpo e no cérebro que usa produtos químicos relacionados aos ingredientes ativos da maconha.

Tratamento para drogas na adolescência através da psicanálise

A psicanálise entra como auxiliar no tratamento da adicção, pois é possível que o jovem tenha que passar por uma internação compulsória. Assim, deve fazer um acompanhamento com profissionais da medicina a fim de checar possíveis danos físicos e cerebrais pelo uso das substâncias e acompanhar a desintoxicação.

Nesse contexto, a psicanálise entra em cena geralmente em terapias de grupo, onde pessoas afetadas pelo vício das drogas descrevem suas experiências.

Dessa forma, o psicanalista tenta levar esses jovens a questionarem a razão pela qual iniciaram o uso de drogas. Isso de modo a conscientizá-los quanto às consequências do uso das drogas.

Caso você tenha interesse pela psicanálise, através do nosso curso online você obtém formação profissional na área. Acesse nosso site clicando aqui para fazer a sua matrícula. Temos o melhor e mais completo conteúdo online, e com um certificado de conclusão de nosso curso você poderá clinicar.

Temos compromisso com a disseminação do conhecimento na área e por esta razão oferecemos o melhor preço! Assim sendo, não perca essa chance! Não são poucas as famílias sofrendo as consequências graves de problemas com drogas na adolescência.

Dessa forma, torne-se mais um dos profissionais qualificados para ajudá-las, ou então torne-se capacitado para lidar com o que acomete a sua própria família.

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − dez =