Significado de Ego e 20 Mecanismos de Defesa

Posted on Posted in Teoria Psicanalítica

Vamos falar sobre ego, significado de ego em Psicanálise e Freud. Qual importância e riscos do conceito de Ego, na questão da autoestima e da interação humana? Falaremos de exemplos do ego em funcionamento, bem como os mecanismos de defesa do ego.

Você vai ver uma abordagem profunda do ego em funcionamento. Abordaremos o que é ego não apenas do ego do ponto de vista individual, mas também a importância do conceito de ego para a formação e estruturação da vida em sociedade.

Ego – A origem

O termo ego vem especificamente da área da Psicanálise. É impossível entender Psicanálise sem compreendermos o significado de ego.

Esse termo surgiu para explicar como é o funcionamento da mente humana, impulsiva, inconsciente e consciente. É a parte do ser humano que alimenta os pensamentos e emoções de interesse próprio. O ego está ligado a maneira como a pessoa age e pensa.

Assim, todo o ser humano carrega o ego dentro de si. É dele que vem todas as reações automáticas que transformam as opiniões individuais do ser humano.

As características de um dos mais importantes elementos da mente humana

O ego, significado assim pela Psicanálise, é considerado o defensor da personalidade. Ele é a parte do ser humano que alimenta pensamentos e emoções.

O ego é responsável por impedir que os conteúdos inconscientes passem para o consciente e está ligado intrinsecamente ao caráter. Ele também é responsável pela diferenciação e pelo elo que o indivíduo faz entre os processos interiores e a realidade.

A influência do ego

É do ego que vêm todas as reações automáticas, levando a pessoa a agir com individualismo diante da realidade. Tem como ponto positivo fazer o possível para manter o indivíduo vivo.

Também é uma ferramenta que ajuda a resolver os problemas, seu ponto negativo é fazer a pessoa acreditar que sempre está certa. Ele funciona de maneira linear mesmo quando a pessoa está errada, sempre levando a pessoa a agir em favor dos interesses próprios.

No mundo contemporâneo o ego está sendo usado como máscara social, e cada vez mais afastando o indivíduo da realidade, essa máscara precisa de bajulação e aprovação da sociedade para mostrar superioridade ou dissimular algo que não existe, muitas máscaras são usadas para elevar a autoestima e esconder a insegurança interior.

8 Mecanismos de Defesa do Ego

Diante do exposto, salientamos que existem vários mecanismos de defesa do ego. São formas que o ego usa para que nós possamos continuar fazendo e acreditando em velhas coisas. Por mais doloroso que seja manter velhos hábitos, o ego entende que mais doloroso é mudar, por seu um passo para o desconhecido.

Dentre os mecanismos de defesa do ego, os 8 principais são:

  • negação: não querer aceitar um fato ou uma lembrança.
  • regressão: interpretar um fato ou uma lembrança à luz de outro momento da vida, especialmente da infância.
  • deslocamento: colocar um fato ou lembrança fora de seu “lugar” original.
  • projeção: idealizar fatos e lembranças de maneira fantasiosa, como você queria que tivesse sido.
  • formação de reação ou formação reativa: querer dizer ou fazer algo, mas dizer/fazer o oposto.
  • intelectualizacão: o indivíduo acredita que só o pensamento poderá livrá-lo de uma ansiedade.
  • racionalização: o indivíduo aplica um excesso de lógica em tudo, para continuar fazendo o que sempre fez.
  • sublimação: buscar usar a energia sexual e pulsionar em algo produtivo, como no caso de trabalho ou arte.

Exemplos de ego: como ele usa seus mecanismos de defesa do ego?

Acima, trabalhamos o ego: significado do termo. Vimos, também, o conceito dos mecanismos de defesa do ego.

Agora, veremos exemplos do ego colocando em prática esses mecanismos.

  • Negação: o indivíduo se recusa aceitar a realidade: na repressão, a pessoa tenta esquecer algo desagradável, jogando a sujeira para debaixo do tapete, ou melhor, para um lugar inacessível do inconsciente.
  • Regressão: a pessoa poderá voltar a um estado infantil, onde os medos inconscientes, ansiedades e angústias reaparecem. Um exemplo é um visão encantada ou infantilizada da vida, mesmo a pessoa já estando em idade adulta.
  • Deslocamento: a pessoa procura transferir um perigo original para uma situação inofensiva. Por exemplo, um risco real em sua vida ou na vida de um familiar próximo é interpretado de maneira “mágica”.
  • Projeção: o reconhecimento de uma realidade poderá lhe causar dor psíquica. A pessoa pode, por exemplo, projetar sua vida como se fosse de glamour, aparentando mania de grandeza perante os familiares, ou pode se projetar na admiração excessiva a uma celebridade.
  • Formação reativa: a pessoa tem dificuldade de compreender suas reações. Ela pode, por exemplo, dizer que quer superar um relacionamento amoroso tóxico, mas continua presa a este relacionamento.
  • Intelectualização: os momentos embaraçosos são mais fáceis de serem neutralizados quando a pessoa acha que pensar naquele problema uma hora levará a uma solução. Sem medidas efetivas, a mudança poderá nunca ocorrer.
  • Racionalização: a pessoa tenta disfarçar suas inseguranças buscando razões para justificar suas atitudes e fracassos, apenas para satisfação do ego. Essas razões podem ser encontradas, por exemplo, em interpretações parciais sobre fatos da vida, dogmas religiosos, teorias científicas etc.
  • Sublimação: a pessoa consegue transformar seus conflitos em processos produtivos, os mecanismos de defesa ajudam na convivência com as reações de ansiedade e insegurança. Um exemplo de risco é quando a pessoa sublima demais: ela trabalha excessivamente para, assim, ocultar seus reais desejos e suas reais angústias.
Leia Também:  Um resumo da psicanálise de Lacan

Tais mecanismos de defesa têm a finalidade de reduzir as manifestações que podem colocar em perigo a integridade do ego. Muitas vezes o significado do ego se confunde com seus mecanismos de defesa.

Afinal, o ego está o tempo todo atuando para automatizar nossas crenças, atos e percepções, em favor do que já conhecemos.

Outros 12 mecanismos de defesa do ego

  • anulação
  • idealização
  • conversão
  • substituição
  • fantasia
  • compensação
  • expiação
  • clivagem
  • resistência
  • transferência
  • contratransferência
  • recalque

Cada uma dessas defesas contém características específicas.

Fatores emocionais podem ser solucionados com a racionalização

Todos esses mecanismos de defesa do ego indicam anormalidade, quando aparecem de maneira excessiva.

O mecanismo que vai ser usado para cada momento vai depender da situação específica da pessoa. Nesse sentido, cada mecanismo de defesa tem a finalidade levar as pessoas a enfrentar os problemas de formas diferentes.

Dentro dos mecanismos de defesa, a racionalização tem grande diferencial. Nela se encontra a razão que poderá influenciar nos fatores emocionais e motivacionais. Nela há uma grande preocupação da pessoa querer se justificar para si mesmo.

E nela, a pessoa busca evitar as angústias, manter o auto respeito e criar explicações racionais para as razões, ainda que sejam falsas.

A importância do controle sobre o que pensamos

Nesse sentido, quando o ego não é alimentado pela aprovação dos outros, a pessoa se sente mal e poderá ter que lidar com emoções negativas, como timidez, raiva, pena de si e medo.

Se a pessoa não tiver domínio e deixar que o ego domine seus impulsos, sua vida será movida pela força da sociedade. Apesar do ego se desenvolver como uma proteção, é necessário que a pessoa tenha controle sobre todas as emoções, para se sentir mais segura.

Desta forma, entende-se que são os pensamentos que guiam o ego no dia a dia. Os pensamentos positivos guiam para o bem e os negativos para o mal. Se a pessoa conseguir controlar esses pensamentos, ela não correrá o risco de agir impulsivamente e ser escravo do acaso.

Conclusão sobre Ego: significado e mecanismos de defesa do ego

Na sociedade atual existem várias versões sobre a importância do indivíduo de ter uma visão positiva sobre si mesmo. Embora essas versões não sejam claras, pode-se ver que o ego distingue uma pessoa da outra.

Basicamente, isso é conhecer o funcionamento do ego: significado, conceito e seu funcionamento por meio dos mecanismos de defesa do ego.

Sendo assim, o ego, a pedra angular do aparelho psíquico, se torna a esperança para solução de muitos problemas da humanidade. Daí vemos que todas as necessidades de aceitação não passam de ilusões e fantasias criadas pela sociedade.

Nenhuma tarefa é mais importante do que entender a própria mente. Se você se interessa por Psicanálise e quer conhecer em detalhes a teoria de Freud, seja para fins de autoconhecimento, seja para trabalhar na área ou mesmo agregar na sua profissão atual, inscreva-se no Curso On-line de Formação em Psicanálise Clínica.

Este artigo foi criado por Maria de Lourdes Andrade, exclusivamente para nosso blog Psicanálise Clínica.

 

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *