freud explica significado inconsciente édipo psicanálise

Freud Explica: Significado do termo

Posted on Posted in Psicanálise, Teoria Psicanalítica

A expressão Freud explica: significado está ligado ao fato de que Freud tinha sempre interpretações para muitos fatos da mente, do comportamento humano, da cultura e da vida social. Fenômenos muitas vezes “óbvios” (do cotidiano) ou mesmo fenômenos complexos (como nos sonhos) tinham uma resposta de Freud.

Psicanálise

Mas antes de falar sobre a expressão, é preciso saber que a psicanálise surgiu no ano de 1890 através do médico austríaco Sigmund Freud. É necessário deixar claro que existem conceitos fundamentais na obra de Freud que vamos trabalhar neste artigo, tais como:

  • as partes da mente (em especial o inconsciente);
  • as pulsões;
  • e o Complexo de Édipo.

Vale frisar ainda que sua teoria foi inovadora, pois se baseava na ideia de que as doenças nervosas tinham origens psicológicas e não fisiológicas, como supunham muitos dos médicos daquela época.

Freud propôs então a concepção de que a estrutura psíquica é formada por conteúdos conscientes e inconscientes. Assim, ele centrou seus trabalhos nos pacientes com sintomas neuróticos e/ou histéricos.

Freud explica: tudo tem relação ao desejo e ao inconsciente

A expressão “Freud explica” está presente em língua portuguesa e em várias outras línguas e culturas. Assim, essa expressão é usada quando existe algum:

  • erro;
  • lapso;
  • pensamento;
  • ideia fixa;
  • ou comportamento com alguma temática relacionada à sexualidade ou ao desejo.

É como se o consciente tentasse buscar o racional e o normativo, mas o inconsciente encontra uma brecha para reivindicar um desejo não atendido ou recalcado.

Por exemplo, um rapaz se apaixona por uma garota que tem o mesmo nome da mãe. “Freud explica”: como o rapaz na infância se apaixonou pela mãe (por ser a pessoa com quem mais contato corporal e afetivo teve na vida), mas esta paixão não pode se realizar por completo, ele poderia estar buscando na garota uma substituta para a mãe.

Saiba mais

É óbvio que toda interpretação desta natureza deve ter uma balanço e não recair em um julgamento, evitando que o psicanalista se porte como o dono da verdade.

Hoje, psicanalistas consideram que muitos casos possam ser apenas coincidências, embora Freud considerasse que nunca (ou quase nunca) seria uma coincidência.

Dito isso, nosso texto de hoje explicamos o “Freud explica”, não só a partir do resumo acima, mas também por outras formas com que as pessoas usam esta expressão.

Freud Explica: O poder do Inconsciente

Ao falar com seus pacientes, Sigmund Freud descobriu que a maioria dos problemas deles eram causados por conflitos culturais, que faziam com que eles tivessem seus desejos e fantasias sexuais reprimidos no seu inconsciente.

Para a psicanálise, o inconsciente exerce pressão sobre a mente e se expressa através de, como dito antes:

  • sonho;
  • manias;
  • lapsos de linguagem;
  • e sintomas.

Freud afirmou que, muitas vezes, não somos conscientes dos reais motivos de nosso comportamento, por isso nem sempre estamos no controle do nosso pensamento ou comportamento.

O papel do psicanalista na interpretação

O principal método da psicanálise é a interpretação da transferência e da resistência com análise da livre associação de ideias, que acontece da seguinte forma: O analisado, em uma postura relaxada, passa a contar tudo o que vem em sua mente. Assim, o psicanalista escuta apenas fazendo breves comentários que levam o paciente a se autoconhecer e a conhecer a fonte de suas mazelas psíquicas.

Dessa forma, acaba que o papel do psicanalista é de neutralidade, um mero “espelho”.

A origem do trabalho de Freud

Freud se inspirou no trabalho do fisiologista Josef Breuer, ao iniciar seu próprio trabalho, mas trocou a terapêutica de Breuer pela da livre associação de ideias. Além disso, ele também incorporou à sua teoria conhecimentos absorvidos dos filósofos Platão e Schopenhauer.

Freud se interessou por distúrbios emocionais e se empenhou para, por meio da Psicanálise, encontrar a cura para estes desajustes mentais. Ou seja, desde então ele passou a utilizar a arte da cura pela fala, muitas vezes, através da interpretação dos sonhos para descortinar o palco do inconsciente.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    O método de tratamento utilizado pela psicanálise

    A origem do conceito de inconsciente pelo médico psicanalista Sigmund Freud se deu devido à proposição de uma realidade psíquica, característica de processos inconscientes.

    Leia Também:  O que é metrossexual? Significado e características

    A psicanálise não é uma ciência, mas sim uma arte, que tem como objetivo a investigação e compreensão do inconsciente e é considerada como uma forma de tratamento das psiconeuroses que acometem os seres humanos. Seu método de tratamento consiste na:

    • Livre associação das ideias;
    • Interpretação dos sonhos;
    • Análise dos atos falhos.

    Cinco formas de entender a expressão Freud Explica

    Apesar das transformações sociais, culturais e tecnológicas dos últimos 120 anos, o método psicanalítico criado por Freud, para lidar com o mal-estar inerente à condição humana, permanece atual. Por isso, a humanidade deve a Sigmund Freud essa descoberta.

    Ao criar esse novo campo do conhecimento, Freud desenvolveu diferentes conceitos teóricos para sustentar suas pesquisas. Esses quatro conceitos tem relação com aquilo que Freud explica:

    Por isso, confira a seguir os termos essenciais da psicanálise:

    1. Inconsciente

    Freud demonstrou que a maior parte da vida psíquica se desenrola sem que a gente tenha acesso a ela. Ali se encontram, sobretudo, ideias reprimidas que aparecem disfarçadas nos sonhos e nos sintomas neuróticos. Assim, quando Freud interpreta fatos inconscientes a partir de pistas acessíveis à consciência, é uma forma com que Freud explica.

    2. As três partes da mente

    • Ego

    A parte organizada do sistema psíquico que entra em contato direto com a realidade e tem a capacidade de atuar sobre ela numa tentativa de adaptação. Ou seja, o ego é mediador dos impulsos instintivos do id e das exigências do superego.

    b) Id

    Fonte da energia psíquica, é formado por pulsões e desejos inconscientes. Sua interação com as outras instâncias costuma gerar conflito porque o ego, sob os imperativos do superego e as exigências da realidade, tem que avaliar e controlar os impulsos do id, permitindo sua satisfação, seja adiando ela ou a inibindo de forma total

    c) Superego

    É formado a partir das identificações com os pais, dos quais assimila ordens e proibições. O superego assume o papel de juiz e vigilante, uma espécie de autoconsciência moral. Ou seja, ele é o controlador dos impulsos do id e age como colaborador nas funções do ego. Além disso, pode se tornar bem severo ao anular as possibilidades de escolha do ego.

    3. Pulsão e Desejo

    Conceito situado na fronteira entre o psíquico e o somático. A pulsão é a representante psíquica dos estímulos que se originam no organismo e alcançam a mente, o que é diferente do instinto, pois não apresenta uma finalidade determinada de maneira biológica. Além disso, é insaciável, pois tem relação com um desejo, e não com uma necessidade.

    4. A interpretação dos Sonhos

    Caminho de ouro para o acesso ao inconsciente. No livro A interpretação dos sonhos, Freud explica como os sonhos são portas para o inconsciente e para desvendar desejos e percepções que de outro modo não chegariam à consciência.

    5. Complexo de Édipo

    Entre dois e cinco anos, a criança desenvolve intenso sentimento de amor pelo genitor do sexo oposto e hostilidade pelo do próprio sexo. Tais sentimentos podem ser vividos com grande ambivalência.

    Além disso, o conflito costuma diminuir por volta dos cinco anos, mas nada em termos de idade é um número preciso. O exemplo no qual a gente deu no começo do texto é um caso de complexo de Édipo e é uma forma com que Freud Explica nossos comportamentos. Quando o superego (nossa mentalidade moral) impede a realização de um desejo, promove o recusa no inconsciente.

    Este conteúdo recalcado se manifesta de formas indiretas, como:

    • sintomas;
    • lapsos;
    • erros;
    • chistes;
    • sonhos
    • atos falhos (como trocas de palavras) etc.

    Considerações finais

    Diante do que dissemos, convidamos você a conhecer nosso Curso de Formação em Psicanálise, em sua versão on-line, que está com inscrições abertas. Por isso, venha estudar conosco e se aprofundar neste riquíssimo campo do saber.

    Aprender Psicanálise é entender o que Freud Explica e usar as mesmas ferramentas de Freud e de outros importantes psicanalistas para explicar nossa mente, nosso comportamento, nossos relacionamentos e, até mesmo, a vida em sociedade. Por isso, não perca tempo e aproveite essa oportunidade.

     

    One thought on “Freud Explica: Significado do termo

    1. Muito interessante esse resumo com os principais conceitos da psicanálise. Obrigado!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.