maníaco depressivo

Maníaco depressivo: significado em Psicologia

Posted on Posted in Psicanálise, Transtornos e Doenças

Todos nós temos aqueles momentos em que o humor está muito baixo ou alto e é algo corriqueiro. Contudo, é preciso ter em mente quando isso é frequente e se mostra bastante prejudicial a quem vivencia isso. Venha entender melhor o significado de maníaco depressivo, como impacta na vida do portador e os possíveis tratamentos.

O que é maníaco depressivo?

O transtorno maníaco depressivo fala sobre as oscilações comportamentais que variam entre episódios depressivos ou maníacos. Com isso, essa psicose afetiva, também chamada de transtorno bipolar, faz com que o humor oscile rápida e profundamente.

Nisso, a pessoa pode se mostrar extremamente depressiva e demonstrar uma postura desgostosa com vida. Em muitos casos isso pode levar o paciente a adoecer e a suicidar. Na outra ponta ele pode se mostrar muito eufórico, testando os próprios limites e sendo bastante enérgico.

Segundo alguns estudos, 4% das pessoas adultas podem apresentar a psicose maníaco depressiva. Ademais, dentro do Brasil, aproximadamente 6 milhões de pessoas podem conviver com o problema.

Causas

Como deve imaginar, o transtorno maníaco depressivo não se constrói unilateralmente ou apenas por um fator. Assim, muitas causas influenciam no surgimento do problema e às vezes até se combinam nisso. Daí citamos:

Fatores genéticos

Estudos apontam que um componente genético ainda não definido pode estar por trás do problema. Nesse caso, a hereditariedade se mostra como um fator de transmissão e surgimento da psicose maníaco depressiva.

Fatores ambientais

O próprio ambiente onde o indivíduo cresceu e reside pode colaborar ao surgimento da psicose maníaca depressiva. No entanto, note que não se trata apenas do local em si, mas das interações que nele aconteceram com o tempo. Daí estresse mental, abusos ou traumas se mostram capazes de desencadear esse estado.

Mudanças biológicas

Não se sabe ao certo se algumas alterações físicas nos cérebros desse grupo são determinantes para apontar como causas. Até o momento, os estudos continuam para definir possíveis ligações.

Problemas nos hormônios

Acredita-se que problemas hormonais colaboram ao surgimento da pessoa maníaco depressiva.

Alterações químicas no cérebro

Neurotransmissores quando em desequilíbrio são capazes de afetar o funcionamento comum do cérebro. Assim, podem influenciar no surgimento dos transtornos de humor, incluindo o bipolar.

Características do maníaco depressivo

O maníaco depressivo, seguindo o famoso e popular “8 ou 80” vai de um extremo ao outro abruptamente. Nisso, ele pode mostrar:

Maníaco

  • Euforia ou exaltação muito alta;
  • Fazer coisas que levem ao limite, como sexo sem proteção ou gastar muito;
  • Energia extrema;
  • Pensar que é multitarefas;
  • Ficar bastante ativo;
  • Ser bastante sensível ou irritável;
  • Falar rapidamente sobre várias coisas;
  • Afirmar que estão pensando muito rápido;
  • Ter problemas para dormir.

Depressivo

Quanto à parte de depressão, podemos observar:

  • Demonstrar pouca energia;
  • Cogitar ideias sobre morte ou suicídio;
  • Mostrar-se triste ou sem esperança;
  • Cansaço ou falta de disposição;
  • Redução nas participações cotidianas;
  • Sensação de vazio;
  • Mudanças no apetite;
  • Esquecimento;
  • Problemas para se concentrar.

Tipos de transtorno bipolar

Até o momento foram catalogados quatro tipos diferentes de transtorno bipolar envolvendo alterações na disposição, humor e agitação. Assim sendo, temos:

Transtorno bipolar I

Aqui os episódios de mania duram, ao menos, 7 dias, podendo necessitar de hospitalização dada a gravidade dos sintomas. Quanto aos episódios depressivos, esses podem durar em torno de duas semanas. Porém, episódios em que características mistas se manifestam também podem ocorrer.

Leia Também:  Recursos necessários para se tornar psicanalista

Transtorno Bipolar II

Aqui existe um padrão de episódios depressivos e hipomaníacos, diferenciando dos momentos maníacos acima.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Ciclotimia

Neste caso, há muitos períodos hipomaníacos, além dos sintomas depressivos que podem durar ao menos 2 anos. Contudo, os sintomas acabam se descabendo de um diagnóstico para se encaixar em hipomania ou depressão.

Outros

Temos também os sintomas do transtorno que não se encaixam nessas categorias acima.

Como isso afeta as pessoas próximas?

Infelizmente, um maníaco depressivo se mostra uma pessoa extremamente sensível e a convivência pode ser estressante. Dessa forma, muitas pessoas não conseguem lidar com as alterações repentinas no humor e abertura para os vícios que podem surgir. É recorrente que os cuidadores tenham a vida diretamente afetada pelas mudanças e tensão causadas por esse problema.

Contudo, é preciso dar atenção para si mesmo enquanto se dedica ao cuidado do outro, se abrindo sobre seus sentimentos. Além de ter um amigo, buscar também ajuda profissional para se orientar e condicionar o estresse acumulado. Não apenas pode lidar com isso e diminuí-lo, mas pode fazer um amparo melhor frequentando grupos com cuidadores para saber o que fazer melhor.

Como ajudar alguém com o transtorno maníaco depressivo

A pessoa maníaco depressiva necessita de apoio na busca por um psiquiatra para que receba diagnóstico e tratamento adequados. Assim, um parente ou um amigo pode acompanhá-lo e também desenvolver uma postura positiva aos dois. Nisso, tente ser mais:

  • Paciente, já que o tratamento não é uma mudança do dia para a noite;
  • Incentivador, mostrando que a melhora pode vir com o tratamento;
  • Aberto com a comunicação, incentivando a falar e também ouvir sobre o transtorno;
  • Inclusivo, abrindo caminho para que o portador do transtorno faça atividades produtivas e divertidas;
  • Compreensivo a respeito das mudanças quanto ao humor.

Tratamentos do maníaco depressivo

Por meio de um tratamento bem elaborado, é possível ajudar quem possui transtorno maníaco depressivo e ensinar como lidar com as mudanças e sintomas. Infelizmente, a doença não possui cura e o indivíduo tem de viver com ela para sempre. Entretanto, o tratamento combinado permite uma qualidade de vida maior, bem como o controle dos impulsos e retrações.

Os medicamentos contribuem ao controle dos sintomas em relação ao transtorno. É possível que precise tomar vários até se adequar numa rotina em que um remédio específico supra em suas necessidades. Todavia, costumam ser eficazes dentro daquilo que o tratamento busca.

Além disso, a psicoterapia oferta apoio, orientação e ajuda na educação tanto do paciente quanto da família. Por meio daqui se tem a base necessária para renovar a sua postura e lidar adequadamente com seu humor atual. Assim, ele vai saber como iniciar os cuidados consigo em primeira mão.

Considerações finais sobre o maníaco depressivo

O maníaco depressivo se vê preso no próprio fluxo emocional afogado pela mudança repentina da tempestade que guarda em si. Se para quem está fora é difícil lidar com ele, imagine ao próprio indivíduo que se vê refém dessas oscilações.

Por isso que quem está do lado de fora precisa ser compreensivo, paciente e reforçar o quanto a terapia é necessária e benéfica. Caso seja você o portador, dê uma chance a si mesmo para que tenha a sua melhora. A vida vale a pena ser vivida e temos de nos esforçar o quanto pudermos para que isso aconteça.

Leia Também:  Método terapêutico de Freud: passos e etapas

Um dos caminhos para trabalhar essa jornada se dá através do nosso curso 100% online de Psicanálise. Não apenas alimenta o seu autoconhecimento, como também contribui ao seu crescimento interno e liberação do seu potencial. Sem contar que o apoio da Psicanálise contribui ao reforço ao se trabalhar transtornos mentais, especialmente o maníaco depressivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 2 =