Neurociência: história e aplicações

Posted on Posted in Formação em Psicanálise, Psicanálise e Cultura

Para começar a discussão sobre neurociência, informamos que nós não somos videntes. No entanto, podemos prever como o seu dia começou. Pelo menos, é possível imaginar como a sua manhã deve ter sido. Você, primeiramente, deve ter levantado da cama, trocado de roupa e ido ao banheiro.

Provavelmente, você tomou o seu café da manhã e também mexeu no seu celular. Essas são coisas que nós fazemos todos os dias, talvez não nessa ordem.

O que nós queremos chamar aqui a sua atenção é que, para realizar essas pequenas tarefas do dia a dia, nós necessitamos do auxílio do nosso sistema nervoso. Na verdade, sem ele, seria impossível fazer qualquer coisa. O interessante é que a gente não pensa muito na importância dessa parte do nosso organismo. Só o fazemos quando somos obrigados a fazer isso (em casos de doença, por exemplo).

Caso você não lembre das suas aulas de biologia da escola, vamos relembrar algumas coisas. O sistema nervoso é dividido em duas partes. São elas: o sistema nervoso central e o sistema nervoso periférico. A parte central é composta pelo encéfalo e pela medula espinhal. Já a parte periférica é constituída pelos nervos. Estes, por sua vez, têm a função de estabelecer conexão entre o sistema nervoso central e o resto do nosso corpo.

Funções do sistema nervoso

É importante lembrar que o sistema nervoso nos faz realizar movimentos voluntários e involuntários do corpo. Então se os seus olhos piscam e se você respira e faz a digestão de seus alimentos, agradeça ao bom funcionamento desse conjunto de nervos e órgãos do seu corpo. Também é graças a ele que você levanta da cama, digita alguma mensagem no celular e faz exercícios na academia.

Não podemos esquecer também que esse sistema é o centro das nossas emoções. Ele prepara o nosso corpo para lidar com situações de tensão, por exemplo. Quem já passou por um assalto, sabe muito bem que o corpo responde à ameaça de várias maneiras. Dessa forma, observamos a acelerando a respiração, que faz o coração bater mais rápido e dilata as pupilas.

A importância da neurociência

Sabendo agora de todas essas funções do sistema nervoso, nós temos a consciência de que devemos dar mais atenção a ele. Se você deseja entender como cuidar melhor dessa parte do seu corpo, você pode se valer dos estudos da neurociência.

Os profissionais dessa área têm o objetivo de estudar essa parte do nosso organismo, elucidando a forma como ela funciona e nos ajudando a entender a sua estrutura. Além disso, essa ciência também busca entender e explicar as possíveis alterações que ocorrem no sistema nervoso.

Iremos tratar aqui das subdivisões da neurociência para que você entenda melhor cada uma delas. No entanto, antes disso, achamos interessante explanar como essa área do conhecimento começou a se desenvolver.

Um pouco da história da neurociência

Não é a nossa intenção aqui abordar todos as pesquisas que foram produzidas nessa área. No entanto, é possível destacar quais foram os primeiros estudos de relevância. Primeiramente, é necessário afirmar que eles não são recentes, o que não é uma surpresa.

Se é tão importante que as pessoas tenham um sistema nervoso saudável, é compreensível que a preocupação com essa parte do corpo tenha surgido há tanto tempo.

Já se sabe da existência de papiros egípcios que tratam da existência de problemas na cabeça que afetam a coordenação motora das pessoas. Também afirma-se que, na Antiguidade Clássica, gregos e romanos se dedicaram a conhecer mais o funcionamento do cérebro. É importante mencionar o trabalho do Alcmeon. Ele foi um filósofo grego que produziu um dos primeiros estudos relacionados à função desse órgão.

Além disso, há pessoas que consideram que o médico holandês Herman Boerhaave produziu o primeiro tratado sobre o sistema nervoso. O estudo intitulado “De morbis nervous” foi publicado em 1735. Pode-se perceber que não há um consenso de quando exatamente os estudos relacionados à neurociência começaram. É importante mencionar, no entanto, que o termo “neurociência” só surgiu na década de 1970.

Subdivisões da neurociência

Agora que nós sabemos um pouco de como a área da neurociência começou a se desenvolver, vamos tratar rapidamente de suas subdivisões.

Neurofisiologia

Esse é um campo da neurociência que busca entender o funcionamento do sistema nervoso. Os profissionais dessa área analisam os sistemas nervoso central e periférico. Dessa forma, estudam os seus órgãos e células. Eles também estão aptos para diagnosticar os distúrbios dessa parte do nosso organismo.

Leia Também:  Resumo da História de Édipo

Neuroanatomia

Essa subdivisão tem o objetivo de estudar a estrutura do sistema nervoso. Quem atua nessa área se dedica a analisar cada componente dessa parte do organismo. Isso a fim de nomeá-los e compreender a sua função.

Neuropsicologia

Esse ramo da neurociência visa entender quais são as relações entre o cérebro e o comportamento das pessoas.

Neurociência comportamental

Esse campo do conhecimento tem o objetivo de compreender o que motiva as ações das pessoas e qual é a origem do comportamento humano. Ademais, os profissionais dessa área buscam entender o funcionamento da memória e o processo de formação da personalidade das pessoas.

Neurociência cognitiva

Essa subdivisão da neurociência busca estudar a memória humana, bem como os pensamentos das pessoas e a forma pela qual nós adquirimos conhecimento.

Considerações finais

Nosso objetivo com este artigo foi fazer uma breve apresentação da neurociência, uma vez que é uma área que se dedica a estudar o sistema nervoso. Você pôde ver qual é a importância dessa parte do nosso organismo. Assim sendo, sem o bom funcionamento dela, não poderíamos realizar as tarefas mais básicas do dia a dia, muito menos sobreviver.

Isso porque o sistema nervoso não controla apenas os movimentos voluntários, mas também os involuntários. Dessa forma, é importante que nós valorizemos a neurociência, já que os estudos dessa área nos ajudam a compreender e cuidar melhor dessa parte tão importante do nosso corpo.

Neurociência e Psicanálise

Convidamos você também a conhecer mais a área da psicanálise, já que por meio dela também é possível compreender melhor o funcionamento da mente humana e o comportamento das pessoas. Assim sendo, se matricule em nosso curso de Psicanálise Clínica 100% online. Com o nosso certificado, você passa a ser autorizado a trabalhar em clínicas e empresas.

Também é possível realizar esse curso tendo o objetivo de se apropriar dos conteúdos e relacioná-los com a sua área de atuação. Ademais, é bom destacar que não é necessário ter formação em Psicologia ou Medicina para alcançar a sua formação.

Assim sendo, não perca tempo e se matricule conosco. Também não deixe de compartilhar esse artigo sobre a neurociência com os seus conhecidos. Além disso, reserve também um tempo para ler as outras postagens deste blog. Há muito conteúdo sobre psicanálise esperando por você!

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *