psicanalista Otto Rank

Otto Rank: vida, conceitos e livros do psicanalista

Posted on Posted in Psicanálise e Cultura

Otto Rank foi um psicanalista austríaco, se destacou por suas inúmeras contribuições para a psicanálise aplicada. Embora discípulo de Sigmund Freud, Rank acabou por se distanciar de suas teorias, diante de suas novas ideias, como o estudo sobre uma psicoterapia mais ativa e menos autoritária.

Rank não teve oportunidade de estudar na adolescência, principalmente por sofrer em meio a uma família disfuncional. Entretanto, diante de sua busca por explicações sobre a mente, tornou-se autodidata. Anos depois, por seu interesse pela psicanálise, conheceu Freud, que lhe abriu as portas para os estudos, sobretudo para interpretação de seus próprios sonhos.

Biografia de Otto Rank

Otto Rank nasceu em 22 de abril de 1884, em Viena, na Áustria, falecendo em 31 de outubro de 1939, em Nova York, EUA. Rank nasceu em uma família judia, seu pai era alcoólico e agressivo. Com uma infância infeliz, teve de abandonar os estudos aos 14 anos para trabalhar.

Diante de seu interesse por buscar respostas a diversas questões da vida, tornou-se autodidata. Por seu interesse pelo estudo da psicanálise, conheceu Freud e tornou um dos seus mais íntimos discípulos, trabalhando com ele por cerca de 20 anos. Servindo como secretário da sociedade psicanalítica de Freud, de 1905 a 1924. Era considerado por Freud um filho, por sua história e dedicação à psicanálise.

Rank, aos 21 anos, voltou aos estudos, deixando de trabalhar como serralheiro aos 21 anos. Foi para escola e para a Universidade de Viena, tornando-se Ph.D. aos 28, em 1912. Neste ponto ele já tinha publicado alguns livros, sobre mitologia, arte, incesto e Lohengrin (ópera de Richard Wagner).

Otto Rank foi um dos maiores autores psicanalíticos, tornando-se conhecido por se tornar representante da revolução psicológica, alterando a forma como vemos a nós mesmos.

Em 1926, após as duas décadas com Freud, decidiu deixar o círculo psicanalítico de Viena, e mudou-se para Paris, posteriormente atuando como psicanalista em Nova York. Ou seja, ao visitar a Améria, Otto Rank encerrou com a psicanálise, aos seus 40 anos, em sua primeira vez na América.

Consequentemente, Rank se tornou membro honorário da Associação Americana de Psicanálise. Assim, com seu retorno à Viena, foi criticado pelos freudianos.

Otto Rank Resumido

Principalmente pelas suas novas ideias da relação mãe e filho e também sobre uma psicoterapia igualitária, focada no presente. Ou seja, no relacionamento real, o agora, mente consciente e vontade, sua obra e pesquisa deixam de focar no passado, na mente inconsciente e nos desejos.

Sobre o psicanalista Otto Rank

Otto Rank foi autodidata, estudando sozinho suas disciplinas favoritas, Filosofia e Literatura, e estava entre os seus autores preferidos Nietzsche (1844-1900) e Arthur Schopenhauer (1788-1860). Conheceu Freud através de Alfred Adler (1870-1937) e, assim, iniciou com a psicanálise em Viena.

Publicou seu primeiro livro aos 24 anos, chamado “O Mito do Nascimento do Herói” e, com 28 anos, publicou mais três obras sobre literatura, incesto e mitos. Durante sua trajetória como psicanalista, conheceu também grandes nomes, como, por exemplo, Karl Abraham e Ernest Jones.

Em certa fase de sua trajetória com a psicanálise em Viena, foi considerado pelos psicanalistas do meio como doente mental, tendo em vista suas crises de depressão e exaustão. Este foi um dos principais motivos para se afastar, tanto sob o aspecto físico quanto teórico. Passou a se interessar pela relação materna, deixando de priorizar o patriarcado e o complexo de Édipo. Então, em 1926, afastou-se definitivamente de Freud.

Logo após, neste mesmo ano, iniciou sua teoria sobre a terapia ativa, que englobava tratamentos rápidos, limitados ao presente, sem levar o paciente às suas memórias de infância. Sua obra não foca tampouco no inconsciente e na interpretação dos sonhos, assuntos basilares na psicanálise ortodoxa.

Em 1923, publicou uma das suas principais obras: “O Traumatismo do Nascimento”. Nela, defende a ideia de que os seres humanos nascem sofrendo de um traumatismo, ao qual buscam recuperação, sem a intenção de retornar ao útero. Nesse ínterim, trouxe a definição do protótipo da angústia psíquica, teoria esta por muitos adotada.

Otto Rank tinha o sonho de morar na Califórnia. Porém, não foi possível, pois faleceu aos 55 anos, em 1939, de uma doença chamada septicemia – infecção generalizada grave do organismo -, tendo conversado com Freud poucas semanas antes de falecer.

Leia Também:  Alimentação Aliada a Mente: Definição Psicanalítica para o Termo

Conceitos de Otto Rank

Conforme citamos anteriormente, Otto Rank sempre foi fascinado por estudos, desde a infância, ainda que inserido em um ambiente familiar totalmente disfuncional. Durante sua longa trajetória de estudos, bem como por suas experiências vividas, desenvolveu teorias importantes para a psicanálise.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Dentre os destaques, está a “Teoria da Vontade”, pois entendia que a vontade é um elemento positivo para controle das atividades instintivas das pessoas, as libertando de sentimentos de culpa. Além disso, trouxe conceitos acerca do inconsciente social, divergindo das teorias freudianas, que focavam no Complexo de Édipo.

    Nesse sentido, Rank deu enfoque ao trauma, como princip1al fator para psiconeurose, considerando que a ansiedade neurótica repetia o momento do nascimento, ao seu aspecto fisiológico. Ainda mais, o psicanalista também trouxe conceitos sobre mitos, utilizando-se, aqui, de técnicas freudianas. Os quais traremos neste artigo alguns que tiveram mais destaque.

    Portanto, as ideias inovadoras de Otto Rank tiveram um papel importante na psicoterapia interpessoal, artes, psicologia humanista, feminismo, filosofia, criatividade, dentre outros. Seus leitores, sobremaneira, obtiveram percepções que clarificaram conceitos sobre:

    • vontade;
    • vida;
    • temores;
    • arte;
    • mitos;
    • psicoterapia;
    • religião;
    • medo da morte;
    • alma.

    O trauma do nascimento

    Como falamos anteriormente, em sua obra intitulada “O Trauma do Nascimento” foi de grande importância em sua carreira, publicada em 1923. Baseada na teoria freudiana de que o nascimento é a primeira experiência das pessoas sobre a angústia. Nesse sentido, Otto Rank desenvolveu de forma mais ampla esta teoria.

    Entretanto, divergiu de Freud em alguns aspectos, indo contra a teoria deste sobre o Complexo de Édipo. Que foi este um dos fatores que o fez cortar relações com Freud e o meio da psicanálise de Viena.

    Nesta teoria, Rank descreve que o desenvolvimento da neurose ao trauma ocorrido no parto, contrariamente ao que diz o Complexo de Édipo. Para ele o parto é a experiência mais importante da vida de uma pessoa, e a angústia vivenciada neste momento tem um papel decisivo no desenvolvimento mental.

    Terapia ativa

    Otto Rank, ao lado do psicanalista Sándor Ferenczi, desenvolveu o conceito chamado de “Terapia Ativa”. Como falamos, uma terapia focada unicamente no presente, voltada para o estado consciente do indivíduo. Em resultado, se afastou, ainda amais, das teorias de Freud sobre o inconsciente.

    Freud e Otto Rank

    Em suma, Otto Rank foi o “filho” favorito de Sigmund Freud, porém, ao contraponto, se tornou um dos seus maiores críticos. A relação perdurou durante cerca de duas décadas, na formação do movimento psicanalítico.

    Assim, com exposto acima, o que impactou a relação entre os psicanalistas, rompendo relações, foi o estopim da teoria do “Trauma do nascimento”.

    Além disso, embora fosse contrário a teoria de Otto Rank sobre este aspecto, Freud concordo com o psicanalista ao que tange a terapia de uma maneira mais breve.

    Livros de Otto Rank

    Otto Rank obras

    Contudo, Otto Rank publicou diversos livros, imensamente elogiados pelo movimento psicanalítico. Dentre eles estão:

    • O artista;
    • Trauma do Nascimento;
    • Mito do nascimento do herói;
    • Estudos Psicanalíticos;
    • Perspetivas da psicanálise;
    • A Técnica da psicanálise;
    • Metas do desenvolvimento da Psicanálise;
    • Verdade e realidade em torno do freudismo;
    • Os Primeiros Psicanalistas – Minutos da Sociedade Psicanalítica de Viena;
    • Otto Rank e Sandor Ferenczi, Perspetivas da psicanálise;
    • The Double;
    • Psychoanalytische Beiträge zur Mythenforschung;
    • Die Lohengrinsage;
    • Der Künstler : Ansätze zu einer Sexual-Psychologie;
    • Der Mythus von der Geburt des Helden;
    • Don Juan;
    • Der Doppelgänger. Eine psychoanalytische Studie;
    • Erziehung und Weltanschauung;
    • Entwicklungsziele der Psychoanalyse;
    • Don Juan Legend.

    Portanto, saiba que embora tenha sido o precursor da Psicanálise, Sigmund Freud não foi o único estudioso sobre o assunto. Sendo assim, vale a pena enriquecer seu conhecimento da mente humana com as obras de Otto Rank.

    Por fim, não deixe de curtir e compartilhar este artigo em suas redes sociais, para nos incentivar a sempre produzir conteúdos de qualidade para nossos leitores.

    2 thoughts on “Otto Rank: vida, conceitos e livros do psicanalista

    1. Excelente artigo, curioso o fato que Freud se afeisuava de maneira paternal com alguns de seus companheiros. E ainda temos que destacar a guerra, para cada um estar certo…obrigado!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.