Para muitas pessoas, é importante comemorar o solstício de inverno e suas festividades. Por isso, entenda melhor sobre esse simbolismo.

Solstício de Inverno: quando ocorre, o que simboliza?

Posted on Posted in Psicanálise e Cultura

Para muitas pessoas, é importante comemorar o solstício de inverno e suas festividades. Já que se trata de um período de renovações, elas planejarão novos sonhos e conquistas. Por isso, entenda melhor o que é o solstício, seu simbolismo e quando acontece.

O que é solstício de inverno?

Segundo astrônomos, o solstício de inverno é o fenômeno que representa o início do inverno. Eles afirmam que a data acontece em 21 de junho na região do hemisfério sul e 22 de dezembro, no hemisfério norte. Adeptos de várias culturas consideram a época como período de renascimento.

Astrônomos afirmam que o sol está declinando para baixo da linha do Equador. Como resultado, nós observamos o solstício de verão com o dia maior que a noite. Enquanto isso, nós também observamos, no outro hemisfério, o dia menor que a noite.

Além disso, nós temos a noite mais longa do ano no solstício invernal por causa da pouca luz solar. Os astrônomos indicam que o solstício acontece por causa da rotação e translação terrestre. Por conta desse movimento da terra, presenciamos a distribuição desigual da luz nos hemisférios.

O solstício de inverno no hemisfério sul e solstício de inverno no hemisfério norte

No solstício de inverno no hemisfério norte, nós percebemos como o sol está aquecendo o sul. Os astrônomos costumam chamar de solstício de verão porque a luz solar dura mais tempo. Já que o sol está abaixo da Linha do Equador, as pessoas no hemisfério sul recebem mais luz solar.

No solstício de inverno no hemisfério sul, o sol está acima do Trópico de Câncer. Logo, temos noites mais longas e dias mais curtos que o normal.

Importância do solstício de inverno na cultura mundial

De acordo com estudiosos, culturas antigas celebravam o solstício de inverno todos os anos. Para tanto, pessoas ao redor do mundo realizavam festivais e celebrações religiosas. Essas traziam muitos seguidores e oferendas. Os mais conhecidos são:

1. Chineses
A princípio, os chineses consideravam o solstício como uma data importante de mudança na natureza. Tanto que no calendário chinês as pessoas chamavam o solstício de “vinda do inverno”. Assim, eles realizavam grandiosos festivais para comemorar a passagem de ano.

2. Europeus e neopagãos
Hoje em dia, os pagãos celebram o Sabbat Neopagão Yule a fim de comemorar o solstício. Dessa forma, eles revivem tradições religiosas antigas dos antepassados europeus pré-cristãos. Segundo pagãos, construções como Stonehenge foram construídas para o pôr do sol no solstício de inverno.

3. Romanos
Para homenagear o Deus Saturno, os romanos festejavam o solstício com o nome de Saturnália. Além disso, eles também homenageavam o deus persa Mitra. Segundo as lendas, nasceu durante um solstício. Por muito tempo os romanos sempre cultivaram entidades relacionadas ao sol fazendo homenagens em festas.

Solstício de inverno no Brasil

Devido ao nosso clima, nem sempre os brasileiros percebem de forma clara o solstício de inverno. Entretanto, astrônomos afirmam que o nosso mundo interage com equilíbrio nessa época. Dito de outra forma, quando nós vivenciamos o solstício de inverno no hemisfério sul, europeus vivem o solstício de verão.

Leia Também:  O que é honra: significado

Logo, pessoas que moram em hemisférios diferentes vivem solstícios opostos. Assim, quando os brasileiros sentem o calor do verão, portugueses experimentam o frio do inverno. Apesar do misticismo, é curioso perceber como nós estamos envolvidos em mudanças constantes no planeta sem percebermos.

Solstício de inverno e a a tradição Yule

Segundo os celtas, o solstício de inverno é a época do renascimento do Deus Sol. Desse modo, os celtas interpretam o solstício como um período de renovações e ciclos da vida. A fim de comemorar o novo ciclo, eles realizam alguns rituais muito simbólicos, como:

  1. Beltane, o ritual do amor;
  2. Imbolc, a noite do fogo;
  3. Lammas, o ritual de prosperidade e fortuna;
  4. Litha, o solstício de verão;
  5. Mabon, equinócio do outono;
  6. Ostara, equinócio da primavera;
  7. Samhain, a noite das bruxas;
  8. Yule, solstício de inverno.

É provável que muitas pessoas conheçam o festival Yule, uma comemoração bastante cultuada. Segundo historiadores, o festival Yule iniciou as tradições entre as tribos norte-europeias. Tanto que muitos cerimonialistas consideravam o evento como o início de um novo ano.

Os pagãos acendiam grandes fogueiras e dançavam ao redor do fogo. Enquanto eles dançavam, giravam ao redor da fogueira como uma roda humana atraindo a energia da mudança. Os pagãos faziam o ritual Yule porque desejavam o renascimento e a força do sol.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    O solstício como chave para a purificação

    Muitas pessoas vivenciam o solstício de inverno como uma data muito importante. Elas aproveitam a época para se purificarem, já que o momento é de renovação. Em outras palavras, elas usam a força dessa época para diminuírem obstáculos em suas vidas.

    Contudo, os pagãos realizam um desejo específico de acordo com as configurações planetárias da época. Ou seja, as pessoas realizam um ritual com um propósito diferente todos os anos. Para tanto, os ritualistas devem saber qual o simbolismo do solstício está mais propício no ano.

    Mesmo que os ritualistas tenham um propósito definido com o ritual, eles são bem recompensados. Tudo porque o solstício sempre proporciona:

    1. Chakras equilibrados;
    2. cura acelerada do corpo, mente e alma;
    3. energia de purificação;
    4. força para realizar os seus desejos.

    A vida continua

    A princípio, as pessoas usavam o tronco de árvore Yule para decorarem as suas casas. Elas eram muito devotas do universo, visto que entalhavam figuras mágicas e celestes na madeira. Após entalhar na madeira, as pessoas decoravam com folhas de pinheiro e azevinho sempre verdes, simbolizando a vida.

    Dessa forma, elas concentravam nessas figuras o desejo para serem mais prósperas. Além disso, os pagãos buscavam por energia a fim de superarem dificuldades e continuar o ciclo da vida. Logo, eles encontravam um momento para reafirmarem suas crenças e despertarem os seus espíritos iluminados.

    Todavia, somente uma sacerdotisa ou sacerdote do mais alto grau podem realizar o Yule. Somente um mestre fará a cerimônia, já que se trata de um ritual bastante sério. Com a ajuda do líder, os ritualistas farão um ritual mais completo, integrado e bastante produtivo.

    Considerações finais sobre solstício de inverno

    Muitas pessoas vivenciam o solstício de inverno como uma transição muito importante para a vida. Tanto que elas acreditam que essa época do calendário é o momento para conquistar prosperidade. Além disso, elas também acreditam que receberão a força necessária para serem curadas.

    Mesmo que nós tenhamos crenças diferentes, por que não aproveitamos o momento para refletir? Sempre é ótimo que coloquemos nossas vidas em perspectiva, a fim de pensar no futuro. Afinal, o nosso futuro acontece à medida que melhoramos a nossa vida no presente.

    Leia Também:  Terror psicológico: significado e exemplos em frases e livros

    Contudo, saiba que você não precisa esperar o solstício de inverno para transformar a sua vida. Então, ao garantir uma vaga em nosso curso online de Psicanálise, você descobrirá como desenvolver seu autoconhecimento e potencial interior. Por isso, não perca tempo e se inscreva agora mesmo.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *