Autoaceitação: 7 passos para você se aceitar

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

Vivemos em um tempo em que podemos acompanhar a vida de outras pessoas pela tela do celular. Inevitavelmente, isso influencia o nosso processo de autoaceitação. Hoje nós podemos abrir as redes sociais e visualizar o que as outras pessoas comem, o que elas compram e o que elas gostam de fazer no seu tempo livre. Contudo, será que o conhecimento de todas essas informações tem sido benéfico para nós?

Tudo indica que não. O número de pessoas descontentes com as suas vidas está cada vez maior. Essa insatisfação pode ter diferentes causas. Existem pessoas que não gostam do seu corpo e gostariam de mudar algum aspecto nele. Também há indivíduos que não se acham interessantes e gostariam de ter outra personalidade.

Pensando em ajudar pessoas que se sentem de forma parecida, nós decidimos apresentar sete passos que você pode trilhar rumo à autoaceitação. Não estamos dizendo que percorrer esse caminho é fácil. No entanto, vale a pena investir na sua autoestima! Fique então atento à lista.

Pare de se comparar

Essa é uma dica de ouro. A comparação é a maior ladra do contentamento. Muitas pessoas acreditam que deveriam ter o corpo de fulano, a inteligência de sicrano e os relacionamentos de beltrano. No entanto, elas viveriam melhor se parassem de idealizar a vida alheia e começassem a valorizar as suas particularidades.

É importante refletirmos que, na maioria das vezes, nós só temos acesso a uma parcela da vida das pessoas, que é a parte que elas desejam mostrar. Geralmente, as pessoas não compartilham fotos de momentos tristes, não gravam áudios de brigas familiares e não filmam os seus fracassos.

Por essa razão, a grama mais verde do vizinho é só uma ilusão. Todas as pessoas têm problemas, os quais podem ser parecidos com os nossos ou diferentes. Por essa razão, é fundamental que sejamos mais gentis conosco. Precisamos dar mais atenção às nossas qualidades e também ser mais tolerantes com as nossas limitações. Fazendo isso, nós teremos muito mais qualidade de vida.

Conheça melhor você mesmo

Você já percebeu que nós gastamos muito mais tempo tentando ter intimidade com outras pessoas do que conhecendo a nós mesmos? É possível que você não tenha noção daquilo que você gosta de fazer e daquilo que te desagrada. Às vezes, nós nos prendemos a uma versão de nós mesmos que já não corresponde mais a quem somos atualmente.

Por essa razão, nós te aconselhamos a dedicar momentos do seu dia para reflexão. Nesse momento, busque experimentar coisas novas e pense naquilo que você realmente gosta de fazer. Lembre-se de que, enquanto você estiver vivo, sempre é tempo de reavaliar o seu estilo de vida.

Se perdoe

Esse também é um passo muito importante. As decisões que nós tomamos no passado não deveriam ter um peso excessivo nas nossas costas. Muitas pessoas tem uma dificuldade muito grande de se permitir viver novas experiências porque estão presas pela culpa.

Claro que é muito importante que nós tenhamos cuidado com as nossas escolhas. Não estamos dizendo que você deve viver de forma inconsequente. No entanto, devemos ter em mente que, já que não podemos alterar o nosso passado, devemos gastar o nosso tempo construindo um futuro melhor. É importante sabermos aprender com os nossos erros e seguir em frente depois disso.

Faça mudanças

Há certas coisas que nós sabemos que não poderemos mudar na nossa vida. Por exemplo, quem tem uma doença crônica, sabe que terá que lidar com esse problema pro resto da vida. Também não é possível alterar nossa altura ou tamanho do nosso pé. Contudo, existem coisas que podem ser mudadas para melhor.

Se você está insatisfeito com algum aspecto da sua vida, pense no que você pode fazer para mudar essa situação. Nunca é tarde para investir na sua vida profissional, cuidar da sua saúde ou engajar-se nos seus relacionamentos. Quando deixamos de apenas observar a vida e assumimos uma postura ativa, as coisas começam a acontecer.

Se afaste do que não te favorece

Seja por costume ou por medo, muitas vezes nós nos prendemos a situações que não nos fazem bem e ainda mexem com a nossa autoestima. Por exemplo, há pessoas que insistem em conviver com pessoas que as depreciam e humilham. É necessário ter em mente que nós não somos necessariamente aquilo que outras pessoas dizem que somos.

Leia Também:  Psicanálise Bioniana: Conheça a psicanálise de Wilfred Bion

Quando nós temos isso em vista, nós estabelecemos limites para a influência do outro sobre nós. Essa atitude é importante no processo de autoaceitação porque nós começamos a nos valorizar mais e a gostar mais de quem nós somos. Esteja sempre consciente de que se afastar de pessoas ou situações degradantes é uma das maiores provas de amor-próprio que você pode se dar.

Se aproxime do que te faz bem

Por outro lado, faz muito bem para nós estarmos perto de pessoas que nos valorizam e que nos trazem alegria. Isso porque elas nos ajudam a enxergar as nossas qualidades com mais facilidade. Além disso, elas também nos inspiram a ser pessoas melhores e nos incentivam a conquistar nossos sonhos.

Também não podemos deixar de mencionar a importância de separarmos momentos do nosso dia para investir em programas que nos trazem alegria. Você gosta de dançar ou de ler? Não deixe de fazer essas coisas. Boas companhias e experiências fazem muito bem para a alma e a nossa autoestima se beneficia muito disso!

Procure ajuda

Por fim, se você leu todas essas dicas e ainda não se acha capaz de colocá-las em prática, nós recomendamos que você procure ajuda! Não é vergonhoso tomar essa atitude, principalmente quando o seu objetivo é melhorar o seu relacionamento com você mesmo. Realizar psicoterapias é uma ótimo passo em busca do autoconhecimento e da autoaceitação.

Isso porque você terá a oportunidade de compartilhar todas as suas frustrações e medos com uma pessoa preparada para te ajudar a lidar com essas questões. Sabemos que a ajuda de familiares e amigos é importante, mas não substitui a intervenção de um profissional. Sendo assim, não se envergonhe em dar esse passo em busca do seu bem-estar.

Autoaceitação: Considerações finais

Agora que nós te apresentamos 7 passos rumo à autoaceitação, esperamos que você se empenhe em segui-los. Cuidar da nossa autoestima é tão importante quanto investir nos nossos relacionamentos. Quando nós não estamos bem com nós mesmos dificilmente iremos ter uma boa convivência com outras pessoas.



Isto posto, existe outra questão sobre a qual precisamos tratar neste artigo.

Se você sente a necessidade de ajudar outras pessoas a lidarem com os seus problemas, incluindo a falta de autoestima ou autoaceitação, nós te indicamos o nosso curso de Psicanálise Clínica EAD. Isso porque nós oferecemos um conteúdo de qualidade que te deixará apto a atender às demandas do mercado. Não deixe de se informar mais de como você pode alcançar a sua formação como psicanalista!

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 4 =