self

Self: significado e exemplos em psicologia

Posted on Posted in Conceitos e Significados, Psicanálise, Teoria Psicanalítica

Quando você lê a palavra “self”, possivelmente sente um estranhamento. Não imaginaríamos algo diferente. Afinal, essa é uma palavra estrangeira que, mesmo traduzida, não parece nos dizer muita coisa. De qualquer forma, o termo “si-mesmo”, modo como a Psicologia nomeia o “self” na nossa língua, tem muita importância. Entenda!

Qual é o significado de self?

“Si-mesmo”: por que o estudo de si seria tão importante para a Psicologia? Falando assim, não fica muito difícil de compreender, não é mesmo? Compreender a mente humana sempre foi o desejo dos pesquisadores dessa área do conhecimento e vários deles desenvolveram estudos muito importantes que são basilares para as pesquisas elaboradas atualmente.

Entenda self em Psicologia

Quando usamos o termo “self”, estamos falando de um conceito que é muito caro para a área. Ele nomeia o que há no ser humano que o ajuda a tomar decisões, a buscar significado na vida, a compreender sentimentos e comportamentos. Assim, o entendimento dele é fundamental para que se conheça o funcionamento do ser humano.

O que é self para Jung

Para deixar a compreensão deste assunto mais simples, iremos abordá-lo a partir da perspectiva de Carl Gustav Jung, um importante psiquiatra do século XX. A partir da teoria dele, é possível entender de forma clara a estrutura da psique humana. Como resultado, essa compreensão permite a cura de muitos males que dizem respeito à nossa mente.

Quem foi Jung

Carl Jung foi um intelectual muito importante para a Psicologia, que desenvolveu conceitos importantes para a área como inconsciente pessoal e coletivo (o qual é formado pelos arquétipos e instintos); ego e self; persona e sombra; anima e animus; individuação e sincronicidade.

O que Jung defendeu em sua teoria

Jung argumentou que uma das instâncias da psique é o inconsciente. Os conteúdos dela como sonhos, fantasias, defesas, resistências e sintomas têm uma função criativa para o psicólogo.

Ele afirma que esses conteúdos não são apenas formas de uma pessoa reagir ao que aconteceu no passado, mas meios de que o psiquismo se utiliza para estimulá-la a atingir o seu desenvolvimento pessoal.

Por isso, para a teoria junguiana, se uma pessoa manifesta um sintoma, perguntar o porquê do seu surgimento não importa mais do que perguntar para quê ele apareceu. Deve-se questionar qual é a finalidade do psiquismo ao mandar esse sinal. Afinal, as respostas para essas questões podem ser muito produtivas para essa pessoa voltar a ter bem-estar.

Qual é a diferença entre “ego” e “self”

Tendo essas questões em vista, já podemos explicar os conceitos “ego” e “self”. Para isso, é necessário introduzir o que é consciência e qual é a dinâmica que ocorre na psique humana.

Para Jung, a parte da nossa mente que nós reconhecemos de fato é a consciência. Só por causa dela, nós somos capazes de compreender pensamentos e sentimentos, bem como interagir com o mundo ao nosso redor.

O centro organizador da consciência é chamado de “ego”. Falaremos mais dele mais pra frente, mas entenda desde já que esse ego é só uma parte da totalidade da mente de uma pessoa. Dá-se o nome de “self” ao conjunto de todos os processos conscientes e inconscientes que acontecem na psique humana.

Leia Também:  O que é Resistência na psicanálise e quais seus tipos

O que é “ego”

Vamos explicar o que é o ego para que seja mais fácil entender o self. Como estávamos dizendo, o ego organiza a parte da nossa mente que nós conhecemos. É ele que filtra o que irá permanecer na nossa consciência e o que vai seguir para o nosso inconsciente. Ele que barra informações que não quer que venham à tona e que acessa aquelas que quer liberar.

Mas é importante entender que o ego, por ser parte do self, está subordinado a ele. Por isso, quando o “si-mesmo” envia sinais de que é necessário buscar mudanças tendo-se em vista o desenvolvimento pessoal do sujeito, o “ego” acaba sendo impulsionado a buscá-las. Vamos mostrar como isso ocorre de forma mais clara no decorrer deste texto.

O que é “self”

Agora que já tratamos sobre o ego, vamos finalmente falar sobre o self. Este, como dissemos, é a totalidade de todos os processos que ocorrem na mente do ser humano. Para entender como a teoria junguiana desenvolve esse conceito, é necessário voltar à função criativa que Jung atribuiu ao inconsciente.

Dissemos que, para o psiquiatra, o inconsciente de uma pessoa se utiliza de meios para incentivar o desenvolvimento pessoal dela. Não por acaso, a perspectiva junguiana é chamada de finalista, uma vez que identifica no psiquismo um propósito, uma finalidade.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Nesse sentido, o self de uma pessoa tem o objetivo de integrar os opostos que existem nela, tanto o que ela tem de belo quanto o de sombrio. Essa procura pela integração é a busca do indivíduo por tornar-se a si mesmo, processo chamado de individuação. Não é um processo que tem um fim, uma vez que ele se desenvolve por toda a vida do indivíduo.

    Importância da psicoterapia junguiana

    Em vista dessa busca do self, pode-se entender a forma como a teoria junguiana explica as neuroses. Estas seriam sofrimentos de uma alma que não conseguiu encontrar significado. Por isso, para essa pessoa voltar a ter bem-estar, ela precisaria passar pelo processo de integração do self.

    Nesse sentido, a psicoterapia é muito importante. Afinal, por meio dela, uma pessoa consegue perceber se está procurando significado em lugares inadequados para a sua vida. Percepções como essa ajudam a voz do self a ficar mais forte, motivando uma pessoa a fazer mudanças significativas.

    A dinâmica entre o ego e o self

    É importante dizer ainda que o processo de individuação só ocorre por meio do ego. Afinal, nós só conseguimos operar neste mundo por meio dele. Ele é o responsável pelas nossas escolhas conscientes.

    Ainda assim, ele é resistente a mudanças. Por isso, quando o self procura por transformações, ele acaba encontrando como obstáculo um ego acomodado que não está disposto a enfrentá-las. Em vista disso, a psicoterapia ajuda o indivíduo a fortalecer a voz do self e a tornar o processo de individuação mais fluido e tranquilo.

    Sim, nem sempre vai ser difícil mudar. Mas, com o tempo, o ego começa a apresentar soluções práticas para a vida de forma muito mais simples. Precisamos destacar, porém, que esse processo não acontece de um dia para o outro. No começo, será necessária uma boa medida de esforço para vencer a resistência do ego em permitir essas transformações.

    Considerações finais sobre o conceito de self

    Esperamos que você tenha percebido como o estudo da psique é caro para a área da Psicologia. Assim, caso você queira conhecer outros assuntos de igual importância, recomendamos que você faça o nosso curso de Psicanálise Clínica.

    Leia Também:  Tipos de amor: definição e diferenças dos quatro amores

    Dessa forma, você irá aprender sobre o que é dito sobre self em Psicanálise e também aprender muitos outros conceitos. Não perca essa oportunidade que nós estamos te dando e se matricule hoje mesmo! Além de ganhar conhecimento, você ainda conseguirá o certificado necessário para começar a clinicar. Essa é uma oportunidade imperdível!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.