O que é autopercepção e como desenvolver?

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura

Você tem se perguntado o que é autopercepção? Você sabe qual é a teoria que fala sobre isso? Conceitos, benefícios e outra técnica que estejam relacionadas ao tema? Então esse artigo está pronto para te ajudar.

A gente acredita que esse é um tema muito importante e que mais pessoas precisam conhecer e experimentar a autopercepção. Por isso, a gente quer trazer as informações básicas sobre o tema, como é o caso da definição desse conceito para você. Contudo, além disso, a gente quer te mostrar como a autopercepção é interessante, e que benefícios você pode ter nessa trajetória.

Mas antes disso, conta para gente o que a autopercepção significa para você e porque você quer saber mais sobre esse assunto. Estaremos esperando seus comentários ali em baixo. A seguir, nós dividimos o assunto em tópicos e para que o conteúdo seja apresentado de modo simples! Confira!

Autopercepção segundo o dicionário

Se procurarmos no dicionário a palavra autopercepção, o que encontraremos é que é um substantivo feminino. Além disso, etimologicamente a palavra vem do grego autós e “próprio” + percepção.

E, objetivamente, é uma percepção que a pessoa tem de si mesma, dos seus erros, das suas qualidades. Dentre os sinônimos de autopercepção encontramos autocompreensão e autoavaliação, por exemplo.

Conceito de autopercepção

A autopercepção é como a pessoa vem a compreender as suas próprias atitudes e suas crenças com base em seu comportamento. Aqui a pessoa se analisa da mesma forma que uma pessoa olhando de fora faria. Isso diferencia a autopercepção da dissonância, porque essa última é uma motivação negativa.

No caso da autopercepção, trata-se apenas de inferência. Para ilustrar essa ideia, pense sobre como você atribui valores à realidade que o cerca. A autopercepção é assim.

De acordo com ela, perceber os nossos comportamentos, nossas emoções é o começo da mudança. Isso se dá porque quando percebemos isso e entendemos as consequências de cada ato, nós realmente percebemos a nós mesmos.

Por essa razão, trabalhar a autopercepção é um ato fundamental para qualquer terapia. Não nos importa se essa terapia tem como foco o comportamento, as emoções ou os pensamentos. É só entendendo o que acontece conosco e como isso acontece antes que daremos passos.

Com isso, entendemos que o conceito de autopercepção é fundamental para nos conhecermos. Além disso, esse conhecimento não é perverso e que nos destrói, mas um conhecimento que nos ajuda a melhorar.

A teoria da Percepção

A teoria da percepção pode ser explicada através do conceito de inter-relação entre comportamentos. Ou seja, um comportamento está ligado a muitos outros. Seu fundador é Skinner, e segundo ele a teoria se divide em duas partes:

Estudo dos precorrentes do comportamento perceptivo

Investiga comportamentos como propósito, consciência, e atenção, que venham a modificar a emissão do comportamento perceptivo.

Estudo dos comportamentos perceptivos como precorrentes

Investiga o processo de resolução de problemas e o comportamento perceptivo modifica o ambiente. É essa modificação que permite que sejam emitidos comportamentos discriminativos e, consequentemente, a resolução do problema.

Para essa teoria, o autoconceito, que é o valor que atribui a si mesmo em relação ao que o cerca, forma-se na infância. Mas esse autoconceito não é cristalizado e pode mudar ao longo da vida. Esse autoconceito é um perfil, isto é, uma imagem que a pessoa atribui a si.

Durante a nossa formação, principalmente na infância, podemos vir a incorporar valores de outra pessoa. Quem já não quis ser igual a alguém que admira muito? Ou passou a assumir como verdade algo só porque alguém que você admira disse? Isso é, como dito, muito mais forte nas crianças. A esse aspecto, dá-se o nome de  introjeção.

Entender nosso autoconceito durante o processo de autopercepção é importante. Afinal, a gente precisa entender o que acreditamos ser e porque chegamos nessa conclusão. Nem sempre a visão do observador é baseada somente no que se vê. Muitas vezes nós distorcemos a realidade por causa de fatores internos, sociais, pessoais. Entender as motivações, então, tem suma importância.

Benefícios da autopercepção

Primeiramente, a gente vem dizendo que só através da autopercepção que nós entenderemos o que precisamos mudar. Então, ao entendermos nosso comportamento nós conseguiremos adquirir novos, ou fazer ajustes.

Porém, a autopercepção é algo muito complexo. Isso porque se trata de um processo! E é só através desse processo que podemos ir montando as pecinhas que poderão formar um modelo maior. Esse modelo que irá nos informar como nos comportamos, porém com dados colhidos de maneira mais assertiva. Afinal, é uma pesquisa real e de perto, porque convenhamos, não há ninguém que posso ter mais acesso a nós do que nós mesmos.

Leia Também:  Especial Dia das Crianças: a Psicanálise de Melanie Klein

Quanto mais nós exercitamos a autopercepção mais equilibrado nos tornaremos. E esse equilíbrio será em todas as áreas de nossas vidas. Imagina o quanto isso faz diferença na nossa construção como profissional? Ou dentro de um relacionamento?

Exercícios de autopercepção

O autopercepção é um processo. Alguns exercícios ajudam para que nós conheçamos melhor. Além disso, não tem como de um dia para o outro aplicarmos exercícios de autopercepção pesados. Entende? Precisa ser gradual e contínuo.

Aqui listamos alguns exercícios que irão te ajudar nesse processo tão intenso e preciso:

Terapia do Espelho:

Esse exercício busca promover sentimentos positivos em relação a vida do indivíduo. Ela age como um alívio, pois você busca compreender e aceitar seu presente e passado e como isso está intrínseco a você. Para realizá-la você precisa se colocar em um lugar calmo e ter um espelho. Se olhe e use do silêncio para se analisar.

Busque analisar suas qualidades e como você é uma pessoa boa. Se questione sobre os aspectos da sua vida e reflita sobre como está e como gostaria que estivesse. Depois se pergunte como você pode chegar lá. É importante ser sincero e justo com você. Não é um momento de sofrimento, mas de busca. Seja justo, não esqueça.


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.


A Janela de Johari:

A janela de Johari é uma matriz que busca contrastar nossa percepção e a percepção dos outros. Nessa matriz você divide uma folha em 4 partes.

Na área aberta você precisa colocar tudo que você é, incluindo habilidades e sentimentos e que você mostra aos outros. Na área cega está tudo aquilo que você não enxerga sobre si, mas os outros enxergam. Na área potencial estará o que você acha que pode manifestar, mas que ainda não consegue. Já na área oculta estão as qualidades que você tem e reconhece, mas não mostra aos outros.

Nós estaremos cruzando as informações e buscaremos aumentar a área aberta. Essa área aberta é considerada uma transparência e o quanto mais transparente somos, mais seremos nós mesmos.

Se questionar

É impossível exercitar a autopercepção sem se questionar. Faça uma lista com perguntas que você acha pertinente, Por exemplo, “Quais são meus objetivos de vida?” “Como posso alcançar meus objetivos?” “Quais as minhas qualidades?”, assim por diante. E seja sincero. A gente já te disse o quanto isso faz diferença no processo.

Por fim

A autopercepção não é só analisar e compreender comportamentos, é mudar o que a gente acha que não está tão legal. Não é fácil, acho que já dissemos isso, mas vale a pena. Crescer dói, sabe? Mas é preciso.

Nós esperamos que esse artigo lhe tenha sido útil e que você considere aplicar esses exercícios na sua vida. Deixe nos comentários sua opinião, suas sugestões e dúvidas. Estamos ansiosos para saber o que você acha sobre autopercepção. Além disso, caso tenha interesse, falamos sobre esse assunto em nosso curso de Psicanálise Clínica 100% online. Confira a programação!

2 thoughts on “O que é autopercepção e como desenvolver?

  1. Fiquei maravilhada com todo conteúdo da matéria.
    Me encontro hoje nesse processo de autoconhecimento e afirmo, essa busca rompe barreiras emocionais, racionais e espirituais.

    1. Michele, muito obrigado por suas palavras de incentivo e por nos permitir acompanhá-la neste jornada. Equipe Psicanálise Clínica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − 10 =