luto e melancolia

Luto e Melancolia: diferenças em Freud e Psicanálise

Posted on Posted in Conceitos e Significados

Luto e Melancolia (Freud, 1917) é uma obra na qual Freud descreve a forma como o ser humano lida com perdas e como cada indivíduo lida com as mesmas para sua reconstrução. Manter uma ligação com o que se perde é essencial para o ser humano, porém cada indivíduo age e reage a esta perda de forma específica.

Significado de luto e melancolia

A seguir descrevo algumas de minhas impressões, porém antes de iniciar com minhas colocações a respeito do tema escolhido e estudado deixo a seguir explicado os significados descritos pelo dicionário de Oxford languages, desta forma, entendo, ficará um pouco mais fácil o entendimento das semelhanças e diferenças.

Luto (Definições de Oxford Languages) substantivo masculino;

1. sentimento de tristeza profunda pela morte de alguém.

2. luto (acp. 1) originado por outras causas; amargura, desgosto.

3. tempo durante o qual devem manifestar-se certos sinais do luto (acp. 1).

4. conjunto de sinais externos (p.ex., negro no vestuário do mundo cristão, mas azul no Japão, branco na China etc.) que os costumes associam à perda de parente próximo ou pessoa querida.

5. FIGURADO (SENTIDO) • FIGURADAMENTE a morte.

Melancolia substantivo feminino

1. PSICOPATOLOGIA•PSIQUIATRIA estado mórbido caracterizado pelo abatimento mental e físico que pode ser manifestação de vários problemas psiquiátricos, hoje considerado mais como uma das fases da psicose maníaco-depressiva.

2. estado de grande tristeza e desencanto geral; depressão. “a morte do pai mergulhou-o em profunda m.”

O que é Luto em Psicanálise?

Manifesta-se quando ocorre a perda de alguém amado, ou um animal de estimação ou de algum objeto de grande estima. O luto não é considerado patologia, não está relacionado a uma condição patológica, uma vez que ocorre por um certo período de tempo e em decorrência de uma perda específica.

Este período pode levar de 1 ano a 2 anos e para que o luto seja superado, para que a pessoa enlutada se recupere, o processo deve ocorrer gradativamente e de forma individual. Este processo despende muita energia e esforço do enlutado.

Diferenças entre luto e melancolia

O luto possui como características o desânimo, pode haver desinteresse pelo que acontece à volta do enlutado, condição que pode se modificar caso se trate de algo ligado ao ente / objeto perdido. Pode ocorrer também a cessação de atividades.

No processo de luto não ocorre, como veremos na melancolia, baixa auto-estima e auto-recriminação, o enlutado não se sente culpado pela morte que ocorreu, o que pode ocorrer é um sentimento de culpa por não ter ajudado mais ou de perda de oportunidade para desfrutar mais a companhia do ente que partiu. Como já mencionado acima o luto pode durar entre 1 a 2 anos, o primeiro ano é onde ocorrem situações antes desfrutadas em conjunto com a pessoa que partiu, tais como aniversários, comemorações de Natal e Ano Novo, etc.

No segundo ano a tendência é ocorrer um alívio nestes sentimentos. Caso o luto se estenda se faz necessário analisar bem o indivíduo enlutado para garantir que não tenha ocorrido uma evolução à um processo de depressão.

Os cinco estágios do luto

Há cinco estágios do luto a se considerar:

1) Negação: ocorre quando se recebe a notícia da morte;

2) Raiva: quando não se pode negar o fato ocorrido (a morte do ente querido), há a ocorrência da revolta;

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    3) Barganha: há uma falsa esperança de cura ou retorno do ente querido, pois o enlutado acredita que merece receber esta graça;

    4) Depressão: surgem sentimentos de solidão, abandono, saudade;

    5) Aceitação: quando finalmente o enlutado entende e aceita a perda ocorrida. Neste momento a vida passa a ter outro significado e o passado vira lembrança e respeito à história vivida.

    Características da Melancolia

    Na melancolia também ocorre uma perda, mas não necessariamente por uma morte real, física, do objeto de amor ou do ente querido. Na melancolia ocorre uma tristeza intensa, sem motivo e pode chegar a causar uma evolução para uma depressão. Em ambos os processos pode-se considerar que cada indivíduo tem seu tempo e sua forma de processar a perda.

    Leia Também:  Somatizar: significado em psicologia e psicanálise

    Para quem perde um ente querido, por exemplo, alguém a quem se tinha muita afinidade, pode ocorrer um período um pouco mais longo de adaptação a vida sem este ente. O amor pelo ente ou objeto perdido não pode ser esquecido, mesmo que ambos o sejam, e isso causa sofrimento profundo. A melancolia tende a se transformar em mania e é caracterizado pelo abatimento mental e físico.

    A pessoa melancólica perde o interesse por coisas que antes ela gostava, se interessava. Para Freud a definição de melancolia é: “Luto sem perda” onde há uma tristeza intensa, sem motivo e que pode desenvolver-se a uma depressão.

    Sintetizando as diferenças e semelhanças entre Luto e Melancolia

    Luto / Melancolia

    Sentimento de perda real / Sentimento de perda abstrato

    Prazo específico para terminar / Sem prazo específico para terminar

    Desânimo com o que ocorre à sua volta, porém pode ocorrer interesse quando é algo relacionado ao objeto/ente que morreu / Desânimo com o que ocorre à sua volta

    Não é considerado patologia / Relacionado à patologia maníaco-depressivo

    Há algum interesse e interação pelo mundo externo / Nenhum interesse pelo mundo externo

    Inibição curta de atividades / Inibição de atividades.

    Abordagens e tratamentos para luto e melancolia

    A melhor forma de tratar uma pessoa com quadro de melancolia é o acolhimento, o psicanalista deve escutar ativamente o que lhe revela o paciente. Tanto para quadro de luto quanto para melancolia a sugestão deve ser sempre para o paciente buscar atividades que lhe proporcionem prazer, algo que o leve a ter seu foco no objeto que lhe traz prazer desviando assim o foco da perda.

    Este artigo sobre luto e melancolia foi escrito por Adriana Gobbi([email protected]), formada em Pedagogia e formanda em Psicanálise Clínica.

    3 thoughts on “Luto e Melancolia: diferenças em Freud e Psicanálise

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.