método psicanalítico segundo Freud

O método psicanalítico segundo Freud

Posted on Posted in Teoria Psicanalítica

A psicanálise é um método de tratamento, usado principalmente para neurose e psicose. Método psicanalítico segundo Freud pode ser entendido como uma interpretação baseada no conteúdo subconsciente das palavras, ações e produtos ficcionais do paciente. Essa interpretação é feita por psicanalistas com base na associação livre e na chamada empatia.

O método psicanalítico segundo Freud

A psicanálise é o oposto do conselho hipnótico na tentativa de resolver os sintomas. A psicanálise é uma terapia causal, ou seja, tenta determinar a relação entre causa e efeito. Resultado: sintomas ou desconforto relatados pelo paciente.

A alma seria o equivalente a mente e a inteligência. A psicanálise é a investigação da mente do ser humano, sobre o seu domínio estão diversos tipos de tratamentos de saúde clínica. Os principais objetivos da psicanálise consistem nas interpretações das representações mentais com o sonho, desejo, pensamentos e lembranças.

Quando o entrevistado (candidato a análise) se encontra face a face com o profissional, será realizada a primeira entrevista que é uma das ferramentas do diagnóstico psicológico e o principal método da psicoterapia psicanalítica, cujo objetivo principal é a compreensão a personalidade do paciente. O comportamento defeituoso refere-se a erros de linguagem, memória e desempenho físico.

O Psicanalista e o método psicanalítico segundo Freud

O profissional vai trabalhar na busca de ajudar o cliente a conseguir a sua cura emocional. A suposição é inconsciente, são os desejos inconscientes que são realizados por meio do comportamento defeituoso.

Freud provou que o comportamento falho é como um sintoma, que constitui um compromisso entre a intenção consciente da pessoa e a intenção reprimida. A falha também inclui erros na leitura, audição e palavras que distraem.

São situações ocasionais sem valor e sem consequências reais. Muitas pessoas interpretam os comportamentos errados como falta de atenção, fadiga e contingência. A liberdade de associação é uma técnica psicanalítica criada por Sigmund Freud, um pioneiro neste campo clínico. Inclui convidar o cliente a expressar seus pensamentos durante o tratamento.

Dispositivo psicológico e o método psicanalítico segundo Freud

A consciência faz parte da nossa ciência, mas Freud está mais interessado no inconsciente que é uma área menos explorada e exposta. O nível de consciência se refere à experiência que um indivíduo, incluindo a memória e o comportamento deliberado.

Os pensamentos pré-conscientes podem ser relembrados e é fácil “tornar-se consciente. Inconsciente” refere-se a elementos instintivos que são inacessíveis à consciência. Segundo o pensador Freud, que definiu dois modos funcionais de dispositivos mentais: da perspectiva do indivíduo: o processo principal representa o sistema inconsciente, e o processo secundário representa o sistema pré-consciente.

Freud afirma que o processo secundário é de maneira geral a função da pré-consciência / consciência, em parte devido à composição do self, e principalmente tem com objetivo a inibição do processo principal.

O pensamento de Freud

Para o pensador Freud, deslocamento e condensação são características do processo principal. A representação obtém todo o investimento devido à outra forma de representação, ocorre o deslocamento, de maneira que a segunda forma de representação eventualmente substitui completamente a primeira forma de representação.

A concentração é um resumo de ideias que têm algo em comum e existe uma analogia entre elas. Na projeção, o sujeito será atribuído aos aspectos psicológicos do objeto externo, que são seus, mas não considerados seus. A identificação compõe a forma mais primitiva de se expressar vínculo emocional com outra pessoa.

O inconsciente é um sistema caracterizado pela falta de sequência de tempo, falta de conceitos contraditórios, linguagem simbólica e valores iguais da realidade interna e externa.

Leia Também:  Atos falhos: significado e exemplos na Psicanálise

O equilíbrio psicológico

A relação entre a representação da palavra e a representação do objeto é simbólica. O símbolo se refere a associações de objetos, não a objetos externos, que são incognoscíveis.

Em psiquiatria e neurologia, o valor da realidade interna é maior ou maior do que o valor da realidade externa. Freud acredita que na vida espiritual o princípio da hedonicidade é melhor do que o princípio da realidade, devido à necessidade de equilíbrio psicológico.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    São três componentes para os exercícios das interações entre a vida mental de um indivíduo. A personalidade humana é o produto da luta entre nossos impulsos destrutivos e a busca de prazer, sem deixar para trás as restrições sociais como entidade reguladora.

    Considerações finais

    Este conceito estruturalista está claramente corporificado no “self e id”, que inclui a divisão do pensamento em três instâncias psicológicas: self, self e superego. O id pode ser identificado com a fonte da energia psíquica (libido).

    Ego, id e superego: a definição deste conceito foi criada por Freud para conceituar a função da mente do ser humano, sendo o ego a parte do consciente do indivíduo, o Id está associado aos institutos, esta estrutura foi formada segundo este pensador por impulso dentre outros. Nota-se que o ego está associado com o racional e controla os institutos do ser humano.

    O superego é relacionando com moral da personalidade das pessoas, sendo responsável por domar o ID, reprimindo os institutos primitivos do ser humano com base nos valores morais e culturais de cada indivíduo.

    O presente artigo foi escrito pela autora Fabiana Machado([email protected]), Administradora, Hipnoterapeuta e estudante de Psicanálise.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *