psicóticos

Psicótico: o que é, sintomas, causas e como lidar

Posted on Posted in Transtornos e Doenças

O transtorno psicótico é quando a pessoa perde o contato com a realidade, podendo ter alucinações, mudanças de personalidade, pensamentos confusos, delírios, dificuldades sociais e problemas para fazer as tarefas do dia a dia.

Existem vários tipos de transtorno psicótico, mas o mais famoso é a esquizofrenia, que atinge cerca de 1% da população mundial.

A seguir, vamos te explicar o que é, quais são os sintomas, as causas e como lidar com esse transtorno!

O que é transtorno psicótico?

transtorno psicótico

No nosso dia a dia, costumamos ter uma noção clara do que é real. Mas algumas pessoas vivem uma realidade diferente, que é confusa e distorcida.

Isso é o que chamamos de psicose, uma condição que afeta a mente e muda a percepção do que é real.

A psicose é um termo geral para várias condições de saúde mental que causam essa perda de contato com a realidade.

Ela pode afetar os pensamentos, os sentidos, as emoções e o comportamento, tornando difícil diferenciar o que é real do que não é.

Pessoas em um surto psicótico podem ter alucinações, delírios, pensamentos desorganizados e dificuldades para funcionar no dia a dia.

Vale lembrar que a psicose não é uma doença por si só, mas um sintoma de algum problema de saúde mental subjacente.

Ela pode estar ligada a outras condições clínicas, como febres ou infecções, e também pode ser causada pelo uso de substâncias como álcool.

Sintomas

Os sintomas do transtorno psicótico podem variar de acordo com cada pessoa, mas geralmente eles incluem:

  • Alucinações: Ver, ouvir ou sentir coisas que não estão realmente presentes, como ouvir vozes ou ver figuras que os outros não veem.
  • Delírios: Crenças falsas e persistentes que não se baseiam na realidade, como achar que alguém está perseguindo você ou que você tem poderes especiais.
  • Pensamento desorganizado: Dificuldade em organizar pensamentos, resultando em fala incoerente ou dificuldade em seguir uma conversa.
  • Comportamento desorganizado ou anormal: Ações ou reações imprevisíveis e inapropriadas, como agitação excessiva ou falta de resposta ao ambiente (catatonia).
  • Sintomas negativos: Perda de motivação, diminuição da capacidade de sentir prazer, retraimento social, redução na fala, e negligência com a higiene pessoal.

Esses sintomas podem tornar difícil para a pessoa realizar tarefas diárias, manter relacionamentos e cuidar de si mesma.

Portanto, é muito importante procurar ajuda profissional para diagnóstico e tratamento adequados.

Causas

As causas do transtorno psicótico não são completamente compreendidas, mas sabe-se que vários fatores podem contribuir para seu desenvolvimento:

  • Genética: Histórico familiar de transtornos psicóticos pode aumentar o risco. Certos genes podem predispor uma pessoa a desenvolver esses transtornos.
  • Química cerebral: Desequilíbrios nos neurotransmissores, como dopamina e glutamato, podem estar envolvidos.
  • Estrutura e função cerebral: Anormalidades na estrutura ou função do cérebro podem contribuir para o desenvolvimento de transtornos psicóticos.
  • Experiências traumáticas: Eventos estressantes ou traumáticos, especialmente na infância, podem aumentar o risco.
  • Uso de substâncias: O uso de drogas, como cannabis, LSD ou anfetaminas, pode desencadear sintomas psicóticos em algumas pessoas.
  • Condições médicas: Certas condições de saúde, como lesões cerebrais, infecções ou doenças autoimunes, podem causar sintomas psicóticos.
  • Fatores ambientais: Complicações durante o nascimento, exposição a vírus ou desnutrição durante a gravidez podem aumentar o risco.

Esses fatores podem interagir de maneiras complexas, e a presença de um ou mais desses fatores não garante que uma pessoa desenvolverá um transtorno psicótico.

QUERO INFORMAÇÕES PARA ME INSCREVER NA FORMAÇÃO EM PSICANÁLISE

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quais são os tipos de transtorno psicótico?

    Segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5-TR) da Associação Americana de Psiquiatria, existem vários tipos de transtornos psicóticos.

    Eles incluem:

    • Esquizofrenia
    • Transtorno Esquizoafetivo
    • Transtorno Psicótico Breve
    • Transtorno Delirante
    • Transtorno Psicótico Induzido por Substância
    • Transtorno Psicótico Devido a Outra Condição Médica

    Cada um desses transtornos tem características específicas, mas todos envolvem uma percepção alterada da realidade.

    O DSM-5-TR fornece critérios para diagnosticar cada tipo de transtorno psicótico. Isso ajuda os profissionais de saúde mental a identificar corretamente a condição.

    Por exemplo, para ser diagnosticado com esquizofrenia, uma pessoa deve apresentar dois ou mais dos seguintes sintomas por pelo menos um mês: delírios, alucinações, discurso desorganizado, comportamento desorganizado ou catatônico, ou sintomas negativos.

    Além disso, esses sintomas devem causar problemas significativos no dia a dia e durar pelo menos seis meses.

    Tratamento

    Viver com sintomas psicóticos pode ser muito difícil para a pessoa, sua família e amigos. Essa “realidade confusa” pode causar sentimentos de medo, confusão e solidão.

    Coisas do dia a dia, como trabalhar, estudar e socializar, podem se tornar muito complicadas ou até impossíveis.

    A psicose também pode prejudicar os relacionamentos, já que a pessoa pode se afastar ou desconfiar dos outros por causa da sua percepção alterada da realidade.

    Imagine como seria ouvir vozes comentando tudo o que você faz ou dando ordens, como muitas pessoas com esquizofrenia vivenciam?

    É muito importante dar apoio e compreensão a quem passa por isso, pois a intervenção precoce e o tratamento são essenciais para o bem-estar dessas pessoas

    Felizmente, existem muitas opções de tratamento para pessoas com transtornos psicóticos. Medicamentos antipsicóticos podem ajudar a controlar os sintomas e diminuir a frequência e a intensidade dos episódios psicóticos, além de ajudar com a falta de interesse e motivação.

    A terapia, como a terapia cognitivo-comportamental (TCC) e a terapia familiar, também pode ser útil para lidar com os desafios diários e dar suporte durante as crises.

    Além disso, grupos de apoio e recursos comunitários oferecem um espaço para as pessoas se conectarem com outras que entendem suas experiências e se apoiarem mutuamente.

    A psicose pode levar uma pessoa a viver uma realidade muito diferente e difícil de imaginar. É importante reconhecer o impacto disso na vida das pessoas e oferecer apoio e compreensão.

    Hoje, sabemos que, com intervenção precoce e tratamento adequado, pessoas com transtornos psicóticos podem aprender a lidar com sua “realidade alterada” e ter uma vida plena, inclusa na sociedade e cercada de bem-estar.

    Considerações Finais

    Viver com transtornos psicóticos pode ser desafiador, mas com o tratamento certo e o apoio adequado, é possível levar uma vida plena e gratificante.

    Compreender mais sobre essas condições nos ajuda a oferecer o suporte necessário e a criar um ambiente mais inclusivo e compreensivo.

    Se você se interessa por psicologia e quer aprender mais sobre como ajudar pessoas com transtornos psicóticos e outras condições de saúde mental, convidamos você a conhecer nosso Curso de Psicanálise 100% EAD.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *