vontade de se isolar do mundo e das pessoas

Vontade de se isolar: o que isso sinaliza?

Posted on Posted in Comportamento

Afinal, por que uma pessoa sente vontade de se isolar? Entenda os motivos que levam uma pessoa a se isolar do mundo e dos outros. Quando isso é uma solução e quando é um problema?

Isolar-se do mundo

Atualmente, a palavra “isolamento” tem sido vista com frequência em todas as mídias sociais. A pandemia do novo corona vírus trouxe à tona o que para muitas pessoas já se tratava de algo rotineiro.

Mas o que significa “isolar-se”? Segundo definição do Dicionário Oxford Languages seria a condição da pessoa que se pôs ou foi posta à parte.

Trata-se, na verdade de uma separação. Quando alguém escolhe isolar-se significa que não quer ser notada ou vista.

É como se fosse um esconderijo. Muito se vê pessoas que tem estilos de vida diferenciados e optam por viver em lugares reclusos e distantes dos centros populacionais e longe de tudo o que possa retirar sua paz de espírito. Mas como foi dito, trata-se na verdade de um estilo de vida.

A vontade de se isolar é de fato uma decisão?

Mas e quando o isolamento é fruto de uma decisão na qual a pessoa quer ficar sozinha, dispensando qualquer tipo de companhia e/ou contato?

Neste caso, não se levando em consideração a pandemia e observando a situação sob a ótica de quando ainda não existia a declaração da pandemia do corona vírus, na qual o isolamento foi determinado como forma de salvaguardar a própria vida e também em prol da coletividade, há que se ver que o isolamento pode ser decorrente até mesmo de patologias.

As patologias causam vontade de se isolar

Vamos ver algumas patologias que podem estar por trás da vontade de se isolar.

Depressão

A patologia mais comum de todas e que traz como um dos sintomas o fato de a pessoa querer se isolar é a depressão. O indivíduo que sofre de depressão, em tese, sente vontade de ficar sozinho, não conversar, não falar e com isso se isola do mundo.

É como se a pessoa buscasse uma forma de sentir-se segura, longe de julgamentos, ironias, falas inadequadas ou até mesmo por pura falta de vontade de manter qualquer tipo de contato, já que muito deprimidos relatam ser a depressão como um “grande nada”/ausência de vontade.

Transtorno bipolar

Outro transtorno muito comum que também faz com que haja isolamento é o transtorno bipolar. Nele, o indivíduo altera períodos de grande euforia e períodos depressivos. Por ser conhecida como uma crise maníaco depressiva, não é raro encontrar pessoas que se isolam em decorrência do transtorno.

A mudança comportamental ocorre de forma intensa e quem convive, certas vezes, nem costuma entender o motivo do comportamento. Ora o portador do distúrbio está bem e ora se encontra depressivo, recluso, ora bem disposto, eufórico e intenso.

Transtorno de Borderline

O transtorno de borderline trata-se de transtorno de personalidade em que há um descontrole comportamental, diante de uma situação de frustração. Gritos, xingamentos, atitudes grosseiras e até mesmo agressões físicas fazem parte do ciclo de sintomas ocasionados no momento de fúria.

Leia Também:  Sonhar com pneu furado: 11 interpretações

O primeiro autor que utilizou o termo foi o psicanalista norte-americano Adolph Stern, em 1938, quando o chamou de “hemorragia psíquica”. Como o portador do transtorno também apresenta como sintoma o medo de ser abandonado, não é raro, a procura pelo isolamento antes que tal fato aconteça. Há um afastamento das relações.

Síndrome do pânico

Pode ter como disparador a Agorafobia. É o transtorno em que a pessoa pode sofrer crises de mero, desespero e insegurança. Pode apresentar palpitações, sudorese intensa e tremores. Inúmeras vezes, tem o medo da violência como causa e com isso, o isolamento apresenta-se como medida necessária para que se sinta mais segura. Um assalto ou qualquer outra situação de violência podem fazer com que o indivíduo venha a apresentar síndrome do pânico.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Outros tipos de isolamento

    O isolamento por motivos religiosos

    Há religiões que colocam o isolamento como forma de atingir um nível de espiritualidade e que faz com o indivíduo passe a fazer reflexões sobre si e sobre o mundo, sem qualquer intervenção do mundo externo.

    O isolamento voluntário

    Há diversas causas para que alguém opte pelo isolamento voluntário. Pode ser alguém que não quer lidar com as questões complexas advindas de qualquer tipo de relacionamento. Pode ser a fuga em razão da falta de paciência com os outros.

    Alguém que não quer aborrecer-se, estressar-se ou ainda alguém que, simplesmente não sente vontade de estar com outras pessoas por mera deliberação ou necessidade de estar consigo mesmo.

    A neurose obsessiva como base da vontade de se isolar

    Para a Psicanálise, o isolamento nada mais é que um mecanismo de neurose obsessiva. As neuroses apresentam como sintomas a ansiedade, fobias, paranoias, sensação de vazio, vontade de isolar-se, apatia, dentre outros.

    A vontade de isolar-se decorre deste distúrbio que causa intenso sofrimento psíquico ao ponto de fazer com que seja procurada uma forma de proteção da individualidade de maneira extrema.

    O homem é um ser social por natureza. A regra é que se estabeleçam laços, sendo que os relacionamentos vão sendo estabelecidos ao longo da vida. Há uma máxima que diz que ninguém é feliz sozinho. Por outro lado, também há o ditado de “antes só do que mal acompanhado”.

    No entanto, deve-se ponderar o que traz mais sensação de bem estar de acordo com o momento. Nem sempre estamos dispostos a conversar, a falar. Neste caso, o isolamento impõe-se como mecanismo de defesa.

    O importante é sempre avaliar a condição que está causando o isolamento. Caso seja patológica, procurar a ajuda do profissional indicado. Caso seja estilo de vida, seguir conforme a sua vontade, se possível.

    Esta conteúdo sobre vontade de isolar, explicando por que as pessoas se isolam e o que este comportamento indica foi escrito por Elen Lins ([email protected]), aluna da etapa prática do Curso de Formação Psicanálise Clínica, Analista Processual, Pós graduada em Direito Privado.

     

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *