abordagens da Psicologia

12 abordagens da Psicologia e Psicanálise

Posted on Posted in Psicanálise, Teoria Psicanalítica

Como você já deve saber, a Psicologia e a Psicanálise são estudadas juntas no mesmo curso de graduação. No entanto, você sabia que elas não são a mesma coisa? Assim, é possível falar de uma sem nem mencionar a outra. Levando isso em consideração, nós vamos te explicar em detalhe quais são as abordagens da Psicologia e quais são as abordagens da Psicanálise. Confira também quais abordagens as duas áreas compartilham juntas!

O que é uma abordagem?

Para quem já acompanha os nossos textos aqui no blog, o conceito de abordagem pode não parecer estranho. Contudo, é necessário ter em mente que muita gente por aqui pode ser leiga, isto é, estar começando seus estudos em Psicanálise por este texto. Assim, pensando em nosso público mais leigo, resolvemos explicar em linhas bem breves o que queremos dizer com a palavra abordagem.

Para isso, basta você ter em mente dois tipos de abordagem policial. Ao ver uma pessoa suspeita saindo de uma loja no shopping, o policial 1 escolhe ABORDÁ-LA imediatamente. Assim, ele busca ter um contato com a pessoa o mais rápido possível temendo que ela tenha cometido um crime. Podemos chamar essa abordagem de “agressiva” ou ainda “despreparada”, já que o policial abordou uma pessoa apenas por suspeitar que ela seja culpada.

Por outro lado, o policial 2 escolhe verificar a ação da pessoa suspeita nas câmaras da loja. Apenas ao constatar que de fato a pessoa cometeu o crime, é que o policial faz a ABORDAGEM do suspeito. Veja que ambas as abordagens possuem riscos. O policial 1 corre o risco de estar errado, enquanto o policial 2 corre o risco de demorar demais e perder a oportunidade de apreender alguém culpado.

Como entender o conceito de abordagem aqui

No exemplo acima, você viu que abordagem é uma espécie de aproximação, intimação. Pensando nisso, transfira essa ideia que você já tem para o ambiente da terapia. Agora, a pessoa que aborda é o terapeuta, enquanto a pessoa abordada é quem faz a análise. Por outro lado, o abordado pode nem ser o indivíduo, mas o problema que este traz para a terapia.

Tendo isso em vista, as abordagens da Psicologia e da Psicanálise são distintas. Você confere 6 exemplos de cada mais abaixo!

6 abordagens da Psicologia

Em linhas gerais, a Psicologia é a ciência que estuda o comportamento humano e seus processos mentais. No entanto assim como existem várias maneiras de abordar uma pessoa quando ela escolhe a Psicanálise, há diferentes maneiras de fazer Psicologia. Você verá que a diferença entre as abordagens da Psicologia, nesse contexto, diferem porque estudiosos diferentes lançaram suas propostas para a área. 

Psicologia analítica de Jung

Embora aqui no blog nós falemos muito de Carl Jung, seu trabalho se insere nas abordagens da Psicologia e não da Psicanálise! Isso ocorre porque Jung discordava de vários pontos da teoria de Freud, criador da Psicanálise. Se quiser ler mais sobre o assunto, nós temos um texto aqui que discute as diferenças entre Jung e Freud! Não deixe de checá-lo quando acabar de ler este aqui!

Voltando ao tema deste artigo, os principais pontos da psicologia junguiana são os sonhos e a arte.  Para Jung, objeto de estudo principal são os sonhos da pessoa analisada. Veja que, quando nós sonhamos, sonhamos com narrativas (histórias). Assim, Jung observou uma relação muito próxima entre a nossa imaginação ativa, que usamos para sonhar, e a procura pelo autoconhecimento.

Leia Também:  Psicologia e psicanálise: principais diferenças

Por essa razão, trabalhos seguindo a abordagem junguiana procuram estimular a manifestação artística dos pacientes. Não raro, as pessoas acabam desenvolvendo um vínculo profundo com pinturas, esculturas, desenhos e técnicas de escrita!

Behaviorismo ou Abodagem Analítico Comportamental

Não precisamos de muito espaço para explicar como funciona o behaviorismo. Trata-se de uma abordagem que estuda o comportamento das pessoas, como o próprio nome diz. Assim como é possível alterar a resposta de ratos de laboratório quando são estimulados de maneiras diferentes, aqui crê-se que diferentes ambientes condicionam as pessoas a respostas diferentes. Um dos grandes nomes reconhecidos nessa vertente é o de Burrhus Frederic Skinner.

Humanismo

No humanismo, temos um esforço do terapeuta com o paciente para que haja reconhecimento e aceitação de quem se é. Isso ocorre por conta da afirmação feita por um dos maiores nomes da área: Carl Rogers. De acordo com ele, “quando eu me aceito como eu sou, então eu mudo”. Esta é uma das abordagens da Psicologia reconhecida como muito efetiva principalmente com pacientes que têm problemas com drogas e álcool.

Psicoterapia Corporal

Na Psicoterapia corporal, a terapia extrapola o convencional. Quando você assiste filmes sobre o assunto, geralmente pensa no momento de terapia acontecendo dentro de uma sala. Lá, o terapeuta senta e fica riscando algumas coisas em um bloco de anotações, enquanto o paciente chora as suas pitangas. No entanto, nem todo momento de análise ocorre desse jeito.

Na presente modalidade de terapia, o terapeuta responsável trata dos problemas com conversas nas sessões, mas não é só isso. Durante o procedimento, há também uma direção tendo em vista modificações corporais, de postura, respiração e relaxamento das tensões de diferentes partes do corpo.

Abordagem Cognitivo-Comportamental (TCC)

Quando chegamos na Abordagem Cognitivo-Comportamental, voltamos para o âmbito exclusivo das palavras. Nessa vertente das abordagens da Psicologia, trabalha-se com as palavras que refletem uma mentalidade negativa. Pense, por exemplo, naquela pessoa que sempre está dizendo que não consegue fazer alguma coisa. Se ela se comprometer com a TCC, será estimulada a ter uma visão diferente sobre si mesma e as experiências que vivenciou.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Psicanálise

Por fim, chegamos na Psicanálise, que é nossa terapia favorita! Não falamos isso por desmerecer as outras abordagens da Psicologia, mas porque trabalhamos com a Psicanálise em um curso 100% online. Como você já sabe, ela foi desenvolvida por Sigmund Freud. Porém, não é possível falar em Psicanálise sem deixar de citar os desenvolvimentos feitos por outros estudiosos.

Confira a visão freudiana e as perspectivas que surgiram dela!

6 abordagens da Psicanálise

Freud

Bom, já que Freud é o pai da Psicanálise, é fundamental começar a falar das abordagens da Psicanálise começando pelos achados dele. Já adiantamos que é bastante coisa para estudar em um texto que não pode ser tão longo. Assim, recomendamos que você leia um de nossos artigos sobre o pai da Psicanálise.

Em linhas gerais, seu trabalho se concentrou no estudo do ego, que seria o mediador dos nossos impulsos quando lidamos com a realidade. A teoria por trás de quais são esses impulsos é complexa, mas adiantamos que sua proposta é bastante pautada no estudo da sexualidade. Além disso, um método efetivo para lidar com a análise de pacientes era o de Associação Livre, que despertaria memórias reprimidas.

Leia Também:  Sonhar com ameaça: recebendo ou ameaçando

Lacan

Por sua vez, Jacques Lacan trouxe uma vertente mais filosófica para o conjunto de abordagens da Psicanálise. Para ele, era fundamental estudar a construção entre o “eu” de uma pessoa e como ela e relaciona com o “outro” por meio da linguagem.

Winnicott

Para Donald Winnicott, por outro lado, era crucial investigar a relação da criança com sua mãe. Enquanto o ambiente familiar, econômico e social influenciam diretamente a formação do indivíduo, a relação materna é mais importante. De acordo com o psicanalista, todos nascemos com um grande potencial, e os primeiros contatos que temos em vida determinarão o quão bem desenvolveremos nosso lado emocional.

Klein

Enquanto muitos psicanalistas se dedicaram ao estudo de transtornos mentais em pessoas adultas, Melanie Klein se interessou pela mente das crianças. Para ela, estudar seus medos, fantasias e angústias era muito importante e ela conseguiu desenvolver um método lúdico para isso. Assim, se hoje podemos fazer psicanálise por meio de brincadeiras, devemos muito do que sabemos a ela.

Bion

Em Bion, voltamos para o âmbito das palavras que vimos lá nas abordagens da Psicologia. Porém, o psicanalista desenvolveu uma teoria que ficou conhecida como Teoria do Pensar. Para ele, nossos pensamentos são maneiras que conseguimos para lidarmos com nossas frustrações. 

Psicanálise Contemporânea

Por fim, falaremos rapidamente sobre as correntes da Psicanálise Contemporânea, isto é, a psicanálise como ela é feita hoje. Tenha em mente que tudo o que apontamos mais acima foi desenvolvendo ao longo do século XX, de modo que muita coisa já foi alterada. Em linhas gerais, a proposta contemporânea vai de encontro às emoções reprimidas para encontrar experiências novas e libertar o que passou.

Considerações finais sobre abordagens da Psicologia e da Psicanálise

Uau! Esse texto ficou bastante longo mas, ao mesmo tempo, está bastante informativo. Nele você aprendeu sobre as 6 principais abordagens da Psicologia e da Psicanálise. Para aprender mais, lembre-se do nosso curso 100% online de Psicanálise Clínica. Essa é uma formação que ajudará você a ter um currículo mais encorpado, trabalhar com coisas novas ou apenas cuidar de si mesmo. Confira nossos conteúdos e matricule-se por um preço especial!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 3 =