Freud: sobre Xadrez, Sexo e Dinheiro

Posted on Posted in Psicanálise e Cultura

Em 1939, alguns meses antes de sua morte, Freud concedeu uma entrevista onde lhe foi perguntado: O que é a vida?  Freud pragmaticamente responde: A vida é sexo e dinheiro.

Nessa sintética resposta existe uma obra fantástica de um dos maiores estudiosos da vida interior dos seres humanos e seus estudos concluem basicamente que   a sexualidade é a origem não só de todas as neuroses, como também de praticamente todo o comportamento humano.

Sabina Spielrein

O próprio Freud sorveu dessa sua afirmação quando se envolveu num triangulo amoroso com Carl Jung, sua esposa Emma e sua amante Sabina Spielrein, por vários anos.

O encadeamento das relações entre eles constitui um dos eixos decisivos da história da psicanálise que repercute até hoje.

Freud considerava Carl Jung seu príncipe herdeiro, aquele que iria continuar a sua obra depois de sua morte. Jung sentia profunda empatia com as ideias de Freud, apesarde ter divergência teórica em relação ao recalque e à sexualidade como causa primária. O primeiro encontro entre eles durou mais de 13 horas de conversa ininterruptas.

Sabrina Spielrein foi a primeira paciente de Jung, e por quem se apaixonou entre  muitas outras  e  um dos motivos do rompimento de Jung com Freud de maneira definitiva, em 1913. Era judia-russa, nascida em 1885.

Além de ser a primeira paciente de Jung foi também a primeira a ser “curada”, observando que a cura não existe na psicanalise, tornando-se uma das maiores psicanalistas e proporcionou legados teóricos a psicanalise valiosos como  a pulsão de morte e importantes teorias sobre o desenvolvimento da linguagem nas crianças. Aos 26 anos era a mulher mais jovem escrevendo e publicando artigos sobre Psicanálise.

Spielrein começou a apresentar sintomas de doença psiquiátrica ainda na infância, manifestada através de alucinações, retenção de fezes, intensa masturbação e sentimentos de excitação ao ver as mãos do pai. Aos 18 anos, Spielrein repudiava o contato visual com outras pessoas e apresentava crises de choro, risos e gritos.

Sabina Spielrein iniciou seu tratamento em agosto de 1904 aos 18 anos como primeirapaciente analisada por Jung, e recebeu alta em junho de 1905. Numa impressionante velocidade de “cura” nove meses depois da internação, pois apresentava-se perfeitamente bem. Após, ela cursou medicina no mesmo hospital em que ficou internada e se formou em 1911 e Jung foi seu orientador.

Certamente na resposta de Freud a pergunta inicial deste texto se entrelaça a análise de Sabrina com relação a uma nova abordagem para a histeria, que na época era tratada como disfunção orgânica,não podendo relacionar mente e corpo separadamente.

Dinheiro

Quanto ao dinheiro, segundo Freud, no inconsciente o dinheiro corresponde ao falo, relacionado aos aspectos simbólicos associados ao pênis como: poder de preencher, de nos completar, de suprir o que falta e ao mesmo tempo, de comprar, de consumir, de seduzir e de conquistar.

Ambos, o dinheiro e o pênis, possuem qualidade fálica, isto é, são ambos representantes do Poder, e Freud chegou esta conclusão ao longo de sua vida que foi na maior parte, bastante difícil muito em relação aos seus recursos financeiros.

Apesar de conseguir a habilitação de médico neurologista de nenhum modo constituiu um momento decisivo na sua vida, muito menos monetário. Ele preferiu continuar com suas pesquisas por um período eseguir em busca de uma cátedra. Em 1882, devido a sua má situação financeira, seu professor o aconselhou efusivamente a abandonar a carreira teórica acabando por deixar o Laboratório de fisiologia e ingressar no Hospital Geral de Viena.

Mesmo assim houve épocas em que teve que tomar dinheiro emprestado a amigos.

Com Josef Breuer tinha uma grande dívida de 1.500 florins (580 dólares à época).  Freud tinhasomente um objetivo nesta época, a busca de recursos para ter condições de casar. Houve um tempo que tentou economizar tempo e dinheiro, cozinhando para si mesmo. Comprou uma cafeteira e uma quantidade de presunto, queijo e pão, o que Martha Bernayssua futura esposa o aconselhou a não continuar com esta dieta.

Freud viveu em uma casa de aluguel por 47 anos, com os 6 filhos e passou sua vida ou no consultório ou no quarto das crianças que ficava no andar de cima do sobrado. Era um pai afetuoso. Todos os 6 filhos se tornaram adultos sadios.

Leia Também:  Suicídio na Adolescência: causas, sinais e fatores de risco

Freud não era capaz de distinguir investimento e especulação, durante quase toda sua vida não investiu um centavo do seu dinheiro, somente nos últimos anos de vida.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Freud nem sempre possuía serenidade e segurança interna tão característico nele nos anos em que se tornou bem conhecido. Por 10 anos, na década de 90 ele sofreu de uma psiconeurose muito considerável, que ele identificou como histeria de ansiedade.

    Mas na pior das épocas nunca deixou de atuar no seu trabalho diário e com suas investigações cientificas, seu cuidado e amor pela mulher e aos filhos continuaram inalterado e deu pouco sinais de manifestação neuróticas, exceto amigo Wilhelm Fliess. No entanto, seus sofrimentos eram muito intensos e nesses dez anos pode ter havido intervalos ocasionais em que a vida parecia valer a pena.

    Contudo, foi exatamente nos anos em que a neurose estava em seu auge, 1897-1900 que Freud realizou seu trabalho mais original, o livro A Intepretação dos Sonhos.

    Na carta “O que é a Guerra?”  em resposta a Albert Einstein datada de 1932, Freud mostra seu estado de melancolia e que podemos conferir no comentário à princesa francesa Maria Bonaparte:

    “o sortudo Einstein teve uma vida muito melhor que a minha. Contou com o apoio de uma série de predecessores desde Isaac Newton em diante, enquanto eu tive que abrir meu próprio caminho numa selva emaranhada.”

    Freud tinha um cuidado muito especial com a sua aparência, por exemplo indo diariamente ao barbeiro e também não comia couve-flor e nem aves.

    Freud gostava de jogar cartas e tinha um passatempoque ele considerava importante, jogar xadrez. O tema xadrez, utilizou em um dos seus textos, mas o jogo exigia muita concentração e por isso deixou de jogar por completo antes dos 50 anos.

    Freud e o Xadrez

    Freud se refere ao xadrez no início do texto, “SOBRE O INÍCIO DO TRATAMENTO (NOVAS RECOMENDAÇÕES SOBRE A TÉCNICA DA PSICANÁLISE I) de 1913, onde faz uma metáfora do jogo de xadrez para explicar o exercício da prática clínica.

    Assim escreve no texto:

    “Todo aquele que espera aprender o nobre jogo de xadrez nos livros, cedo descobrirá que somente as aberturas e os finais de jogos admitem uma apresentação sistemática exaustiva e que a infinita variedade de jogadas que se desenvolvem após a abertura desafia qualquer descrição desse tipo. Esta lacuna na instrução só pode ser preenchida por um estudo diligente dos jogos travados pelos mestres. As regras que podem ser estabelecidas para o exercício do tratamento psicanalítico acham-se sujeitas a limitações semelhantes”.

    Freud refere-se que no xadrez como na psicanálise, os inícios e términos das partidas parecem mais passíveis de uma conversação ordenada, ao contrário das infinitas e várias jogadas que caracterizam seu desenvolvimento, sempre sujeitas a admiradas e a novas intervenções que dependem do cenário encontrado. De modo análogo, a tentativa de apreender o que se passa em uma análise envolve a dificuldade de uma descrição prévia que transmita de forma resolutiva o que ocorre nesse processo, uma vez que o intervalo entre estes pontos é tão diversos quanto imprevisível.

    Praticamente na mesma época do texto de Freud, Rudolf Spielmann, conhecido como “o último cavaleiro do Gambito do Rei” e considerado o “mestre do ataque”, materializou o pensamento de Freud nos conceitos do xadrez, na frase: Jogue a abertura como um livro, o meio-jogo como um mago e os finais como uma máquina.”

    Conclusão

    Isador Henry Coriat (1875-1943),  psiquiatra e neurologista americano de ascendência judaica marroquina, foi um dos primeiros psicanalistas americano e umdiscípulo de Freud, escreveu sobre o xadrez em 1937 que

    “… o único objetivo do jogo era tornar o Rei – o pai – desamparado pelo xeque-mate, ou seja, castrá-lo. A vitória no jogo produziu uma sensação de prazer intenso, pois o xeque-mate era inconscientemente equiparado a uma vingança de castração”.

    Portanto, tudo se resume na maneira que iremos enfrentar alguma questão psicológica ou enxadrística.

    No diagrama a seguir temos o tema da estratégia do domínio espacial onde o último lance das pretas foi 22… Tc8-d8.  As brancas podem aumentar sua vantagem significativa de espaço podendo assim chegar à vitória. Qual o lance que dará esta vantagem?

    freud-xadrez-dinheiro-sexo tabuleiro.

    As brancas jogam e conseguem vantagem.

    1. Texto baseado no livro de ERNEST JONES – A Vida e Obra de Sigmund Freud

    Leia Também:  À Procura da Felicidade: 5 lições tiradas do filme

    O presente artigo foi escrito por Emilio Mansur (e-mail: [email protected]), Engenheiro Civil-Eletricista, e estudante de psicanálise pelo Instituto de Psicanálise Clínica (IBPC).

    2 thoughts on “Freud: sobre Xadrez, Sexo e Dinheiro

    1. Pegando o “gancho” do Xadrez, o nascer e o morrer, são processos que são, em essência, iguais, mas no nascer dependemos do “sim” principalmente materno já que nosso primeiro “habitat” é o útero; já o morrer dependerá de como foi o “durante” (o viver)! Ontem, me lembrava de um padre que disse a minha tia, outrora, que passava pela UTI, do hospital onde há uma Capela (à época sob direção dele) e UTI em que estava minha mãe e ele ministrou o Sacramento da Unção dos Enfermos à ela, todas as noites em que ela lá esteve! Quando soube essa necessidade que o Padre percebeu, já que os Sacramentos ministrados nessas circunstâncias há o pressuposto de validação pela Igreja, pensei no quesito espiritual, da minha mãe! Já com a minha tia, disse uma das minhas irmãs, que ela estava lúcida e por esta razão o padre pode informar o motivo da presença dele e pedir anuência da minha tia, ao Sacramento! Ai entra a questão do estado alterado da consciência, se havia ou não, quando minha mãe esteve na UTI, ou se ela mantinha a audição “em vigília” digamos assim, muitas vezes, responsável pela passagem pela “tênue linha da vida”! Para muitos, pode parecer surreal, o chamado “filme da vida” mas ele existe e o Universo não nos mostrará o que “deixamos de fazer”, mas o que precisa do nosso (sincero) arrependimento. Muitas pessoas vivem com “muitas certezas” sobre decisões tomadas, mas será que estavam 100% em sua essência ou guiadas pela “idolatria”, um “alerta” até de Jesus: cuidado com os idolos! A Sexualidade, pelos textos que leio por aqui sobre a “ótica” de Freud, será que a criança quando vai tendo a mãe como referência será um adulto atraído pelo gênero oposto? Ou seria a feminilidade dela que cativa a criança e um futuro “se desenha” de sentir atração pelo mesmo gênero? Quando percebo em leituras que a atração seja uma resposta hormonal atrelada ao gênero chamado biológico, talvez justifique ou fomente atitudes agressivas entre os casais “heteros”, onde até o legislador veio acrescentar a Lei Maria da Penha, proteção extendida aos homens gays agredidos por parceiros e maridos agredidos por esposa! Ou seja, nem toda relação tida hetera, de fato, seja hetera! Ai que entra a necessidade de Sexualidade Resolvida (Aceita Socialmente), evitando por outro ângulo, o chamado “boa noite cinderela”, a interação “sedução por dinheiro”!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.