Funcionamento dos mecanismos de defesa na Psicanálise

Posted on Posted in Uncategorized

Mecanismos de defesa são bloqueios gerados pela mente para bloquear o acesso a conteúdos reprimidos no inconsciente, impedindo que o paciente tenha acesso a descoberta de motivos traumáticos que geram os sintomas. Este artigo aborda a percepção sobre o funcionamento dos mecanismos de defesa na Psicanálise.

O psicanalista deve estar sempre atento  para identificar os vários mecanismos de defesa  usados pelo indivíduo que, através da parte inconsciente do ego, ajudará a reduzir tensões psíquicas internas, protegendo o psiquismo, durante as sessões de análise, bem como também estar atento aos chistes e aos diversos tipos de atos falhos.

Quais são mecanismos de defesa na Psicanálise?

Os mecanismos de defesa são a estratégia do ego, de forma inconsciente, para proteger a personalidade contra o que ela considera ameaça. São também, os diversos tipos de processos psíquicos, cuja finalidade é afastar o evento que gera sofrimento, da percepção consciente.

Eles são mobilizados diante de um sinal de perigo e desencadeados para impedir a vivência de fatos dolorosos, que o
sujeito não está preparado para suportar. Essa é mais uma função da análise, preparar o indivíduo para suportar tais eventos dolorosos.

Alguns dos principais mecanismos de defesa:

1. Recalcamento ou Repressão

O Recalque nasce do conflito entre as exigências do Id e a censura do Superego.  É o mecanismo que impede que os impulsos ameaçadores, desejos, pensamentos e sentimentos dolorosos e todos os conteúdos dolorosos, cheguem à consciência.

Através da Repressão, o histérico provoca o afundamento no inconsciente da causa de seu distúrbio. O recalcado se sintomatiza, transferindo para o próprio organismo as dores do inconsciente ou transforma-as em sonhos ou em algum sintoma neurótico. Os processos inconscientes  se tornam conscientes,  através dos sonhos ou neuroses.
Recalque é uma defesa inconsciente para a dificuldade em aceitar ideias penosas. Trata-se de um processo, que tem por objetivo, proteger o indivíduo, mantendo no inconsciente as idéias e representações das pulsões que afetariam o equilíbrio psíquico.

Recalque é uma força  contínua de pressão, que baixa a energia psíquica do sujeito. O Recalque pode surgir na forma de sintomas. E o tratamento psicanalítico visa o reconhecimento do desejo recalcado. E o fim dos sintomas é consequência do processo da análise.

2. Negação

É um mecanismo de defesa que consiste em negar a realidade exterior e a substituir por outra realidade fictícia. Tem a capacidade de negar partes da realidade desagradável e indesejável, pela fantasia de satisfação dos desejos ou pelo comportamento. A Negação é uma condição essencial para o desencadeamento de uma psicose.

3. Regressão

É o recuo do ego, fugindo de situações conflitivas atuais, para o estágio anterior. Um exemplo é quando um adulto volta a um modelo infantil onde se sentia mais feliz. Outro exemplo é quando nasce um irmão e a criança regride usando chupeta ou urinando na cama, como defesa.

4. Deslocamento

Quando os sentimentos (geralmente raiva) são projetados para longe da pessoa que é o alvo e, normalmente, para uma vítima mais inofensiva. Quando muda os sentimentos da sua fonte provocadora de ansiedade original, para quem você percebe  ser menos provável de lhe causar mal.

5. Projeção

É um tipo de defesa primitiva. É o processo onde o sujeito expulsa de si e localiza no outro ou em alguma coisa,
qualidades, desejos, sentimentos que ele desconhece ou recusa nele. É muito visto na paranoia.

Leia Também:  Sandor Ferenczi: síntese da vida e obra

6. Isolamento

É o mecanismo de defesa típico das neuroses obsessivas. Ele atua de forma a isolar um pensamento ou comportamento, fazendo com que as demais ligações com o conhecimento de si ou com outros pensamentos fiquem interrompidos. Assim, os outros pensamentos e comportamentos são excluídos da consciência.

7. Sublimação

A sublimação só existe se um recalque a precede. Ela é o processo, através do qual, a libido  se afasta do objeto da
pulsão, para outra espécie de satisfação. O resultado da sublimação é a mudança da energia libidinal do objeto de destino para outras áreas, como realizações culturais, por exemplo. A sublimação, para Freud, é um mecanismo de defesa muito positivo para a sociedade, pois grande parte dos artistas, dos grandes cientistas, das grandes personalidades e dos grandes feitos só foram possíveis graças à esse mecanismo de defesa. Pois ao invés de manifestarem seus instintos tais como eram, eles sublimaram os instintos egoístas e transformando essas forças, em realizações sociais de grande valor.

8. Formação reativa

Ocorre quando o sujeito sente desejo de dizer ou fazer alguma coisa, mas faz o oposto. Surge como defesa de reações
temidas e a pessoa procura encobrir algo inaceitável, através da adoção de uma posição oposta. Padrões extremos de formação reativa são encontrados na paranoia e no transtorno obsessivo compulsivo (TOC), quando a pessoa se prende em um ciclo de repetição de comportamento que ela sabe, a nível profundo, que é errado.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Como o psicanalista atua em relação aos mecanismos de defesa?

    O psicanalista deve estar atento e preparado para perceber as manifestações dos mecanismos de defesa do ego, que surgem da tensão entre o Id e o Superego, e o ego sofrendo pressão de ambos  se defende,  através de alguns mecanismos.

    O aumento dessa pressão, se refletindo sob a forma de medo, aumentando muito e isso cria uma ameaça para a estabilidade do ego, daí ele faz uso de certos mecanismos para se defender ou se ajustar. Como os mecanismos de
    defesa podem também falsificar a percepção interna da pessoa, o psicanalista deve estar atento para perceber os fatos, já que o que se apresenta é apenas uma representação deformada da realidade.

    Sobre a Autora: Karla Oliveira (Rio de Janeiro – RJ). Psicoterapeuta. Psicanalista formada no Curso de Formação em Psicanálise Clínica do IBPC.  Rio de Janeiro.  [email protected]

    4 thoughts on “Funcionamento dos mecanismos de defesa na Psicanálise

    1. Bom dia ! Estou enfrentando um divórcio desejado pela ex cônjuge. O curioso é que não houve traição, entretanto ela desejou após os 20 anos de casado e 2 filhas, divergência de ideias que acabam somatizando e construindo uma bola de neve, culminando, segundo ela que somos incompatíveis e outras coisas mais… Hoje mora com as minhas filhas no andar de cima do mesmo prédio que moro. Ela acaba de concluir uma pós graduação em psicanálise, portanto, utiliza-se de várias técnicas de bloqueio para me esquecer. Ainda gosto dela e não sei como aplicar as técnicas mencionadas no seu post ! Não aguento mais sofrer por algo que não vejo volta. Preciso de sua ajuda para literalmente esquecê-la.
      Desde de já, agradeço.

      1. Bom dia Carlos,
        Sou aluna do curso de psicanalise clinica tambem porem, como ainda nao sou formada, nao me considero no papel de te dar uma informacao que seja 100% genuina, mas prometo dar o meu melhor… Entao vamos la!

        Acredito que no seu caso a melhor opcao seria “enfrentar” essa questao atraves de terapias ao invez de tentar “bloquear” a sua ex da sua memoria. Como o proprio artigo acima ja explica, o bloqueio de memorias na mente de um individuo, cedo ou tarde, pode gerar sintomas, e quanto mais vc “atrasa” pra enfrentar uma questao, mais dificil ela fica de ser resolvida. Caso voce nao tenha condicoes de bancar um terapeuta no momento, te aconselho a pesquisar videos de auto-ajuda na internet. Dois canais no youtube muito bons que me ajudaram no passado sao: o da dra Anahi Barbosa e, o “Nós da questao”.
        Espero que vc passe por essa fase da melhor maneira possivel e consiga dar a volta por cima o quanto antes! Beijos.

      1. Jáfia, a sublimação talvez possa sim ser entendida como positiva, do ponto de vista da psicanálise, por ser uma forma inescapável e por ter uma utilidade social. Mas, do ponto de vista individual, quando excessiva, acaba se configurando um superego ultrarrígido, que não permite formas instintivas e pulsionais de prazer (por exemplo, pessoas workaholics). A racionalização aqui tem uma dimensão individual, não tem o viés “útil” da razão “produtiva”, então entendemos mais difícil considerar seu aspecto socialmente positivo. Acaba sendo positivo ao ego, para se defender enquanto tal. Sobre os dois temas que você mencionou, veja estes textos:

        Artigo sobre Racionalização.
        Artigo sobre Sublimação.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.