a mente neurótica

A mente neurótica: como funciona?

Posted on Posted in Transtornos e Doenças

Freud dizia que todos nós somos neuróticos. Uns mais, outros menos, mas todos nós temos experiências recalcadas e criamos mecanismos de defesa para sobreviver até hoje. Vamos abordar como é a o comportamento e a mente neurótica.

A forma como respondemos ao mundo funciona de acordo com o modo como a nossa mente foi “configurada” ao longo dos anos.

O próprio Freud, que fez anos de autoanálise, considerava-se uma pessoa neurótica. A questão é saber a quantidade de neurose que temos e se isso afeta a nossa vida em demasia. Avaliar se traz sofrimento excessivo a ponto de nos bloquear e impedir que manifestemos tudo o que podemos ser e fazer nessa existência.

Funcionamento da mente neurótica

Esse texto trata do funcionamento de uma mente neurótica que sofre e que precisa de auxílio assim como dos seus pontos chaves e características principais.

Você pode identificar-se com todos ou somente com alguns pontos e, talvez, esse pequeno texto traga-lhe um pouco de reflexão sobre o assunto.

A angústia é talvez uma das principais características do neurótico. Ele sabe que tem algo que o incomoda porém não consegue definir. Também há o temor de que coisas ruins aconteçam em sua vida e esse sentimento traz consigo um sofrimento desnecessário. É um grande pessimista por natureza.

Sempre pensa nas piores hipóteses e inconscientemente aguarda por elas. Esse sentimento de angústia é ineficientemente recalcado deixando-se transbordar diariamente em suas atitudes. Uma outra característica da mente neurótica é o sentimento de inadequação no mundo.

Necessidade de Aprovação

O neurótico tem uma grande necessidade da aprovação dos outros para sentir-se reconhecido. Em alguns casos luta para provar a todos que tem o seu valor. Pode buscar um parceiro amoroso forte que transmita-lhe a segurança que não possui e, consequentemente, frusta-se já que o outro não corresponde às suas expectativas.

Também costuma ser uma pessoa tensa e irritada pois como vive amedrontado gasta muita energia para elaborar seus mecanismos de defesa, portanto, pequenos contratempos do dia a dia tiram-lhe o chão aborrecendo-o excessivamente.

O egocentrismo também faz parte da configuração da sua mente. Acredita que tudo gira em torno de sua pessoa. Tudo acontece com o objetivo de irritar-lhe e ocasionalmente para agradar. Exige perfeição dos que o cercam o que torna suas relações difíceis e conflituosas tendendo ao isolamento.

Outro ponto importante é a rigidez de pensamento, com grande dificuldade de abrir mão de suas convicções por acreditar que sejam verdades absolutas. Essa rigidez na forma de pensar impede seu autoconhecimento e evolução como ser humano.

Sintomas da mente neurótica

O neurótico tende a apresentar também sintomas físicos decorrentes do conflito psicológico em que vive sua mente. Suor excessivo, aumento na quantidade de micções, insônia e palpitações cardíacas são alguns deles. Também há queixa de neurastenia que é uma fadiga física e mental de forma crônica.

Vive cansado e sem energia, por mais que descanse e durma muitas horas. A queixa de neurastenia pode vir acompanhada da queixa de dores pelo corpo. Alguns podem apresentar síndromes conversivas como a histeria onde nada é fisicamente encontrado porém é intensamente sentido.

As queixas de dormência e diminuição de sensibilidade em alguma parte do corpo são as mais comumente relatadas. Os medos excessivos podem converterem-se em fobias onde algo externo é escolhido para simbolizar todo seu temor interno.

Também pode estar presente o transtorno obsessivo compulsivo (TOC) onde a pessoa percebe que seu comportamento é irracional e sem fundamento porém não consegue deixar de fazê-lo gerando uma grande angústia e ansiedade dentro de si. Episódios de dissociação como amnésia, fuga dissociativa e sonambulismo também podem ocorrer nos casos mais graves.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Tratamento para a mente neurótica

    Com todas essas características não consegue sentir-se pleno e satisfeito com nada tornando-se extremamente infeliz. Normalmente joga a responsabilidade de sentir-se assim devido o comportamento dos outros.

    Leia Também:  Complexo de Inferioridade: o que é, como superar?

    Muitos dos sintomas da mente neurótica dificilmente desaparecerão por completo, porém, o processo de análise com um profissional capacitado contribuirá para o autoconhecimento de quem busca por auxílio.

    Com o método da associação livre a pessoa passará a discorrer sobre temas que provavelmente causam-lhe desconforto e descobrirá onde estão seus bloqueios e o que impede de ultrapassá-los. Não é um caminho fácil e exigirá persistência e coragem para olhar para as próprias sombras.

    Pela primeira vez pode ter que assumir características que não gosta em si mesmo; atitudes pelas quais se envergonha ou sente raiva porém que nunca conseguiu mudar. É como um ciclo vicioso. Você odeia ser assim, promete a si mesmo que vai mudar, mas basta um descuido da barreira do recalque e pronto!

    Tudo salta para fora novamente! Você frustra-se, sente-se mal e culpado … e tudo mais! A análise vai te ajudar a se conhecer melhor. Entenderá quais são seus gatilhos e como foram formados. Te ajudará a aceitar-se como é e diminuir o grau de exigência consigo mesmo.

    Poderá, talvez, até mesmo perdoar situações e pessoas do passado pois lançará um novo olhar para elas. Um olhar mais maduro e compreensivo digno de quem aprendeu a escolher pelo que realmente vale a pena sofrer.

    Este artigo sobre o comportamento neurótico e o funcionamento da mente neurótica foi escrito por Letícia Almeida ([email protected]), mãe, enfermeira, apaixonada pela psicanálise e pelos enigmas da vida e da mente humana.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *