o que são sonhos

O que são sonhos segundo a ciência?

Posted on Posted in sonhos

Quem nunca procurou o “significado” de algo com que sonhou? Eu era a pessoa que acordava e já ia para a internet procurar saber o o que são sonhos. Para algumas pessoas sonhos são apenas sonhos, para outras pode ter algum significado, como uma mensagem, um alerta, uma revelação, etc. E isso tem muito a ver com a cultura, religião e crenças de cada pessoa.

Eu lembro de ouvir pessoas falando que sonhar com bicho era pra jogar no bicho, se sonhasse com número, para jogar na mega sena e assim vamos crescendo e ouvindo coisas sobre sonhos. Aprendi com Freud que sonhos são desejos, desejos esses muitas vezes reprimidos, que ficam guardados e quando dormimos, na fase REM, que é a parte mais profunda do sono, realizamos esses desejos.

Sonhos para Freud e Jung

Freud e Jung viam os sonhos de maneira diferente, enquanto Freud dizia que sonhos são desejos, Jung acreditava que os sonhos eram a busca do equilíbrio da psique por meio de compensação. Para Jung os sonhos são uma fora do inconsciente se expressar.

Na psicanálise aprendi também que os sonhos têm carga emocionais que ficam guardadas no inconsciente, com a interpretação dos sonhos podemos chegar na raiz das emoções que geram as imagens dos sonhos.

E isso é um dos motivos que não devemos interpretar os sonhos procurando seu significado na internet, pois cada parte do sonho precisa ser analisada, pela pessoa e se necessário junto com o psicanalista para poderem entender o que aquele sonho quer dizer, o que está por trás deles, quais emoções, medos, o nosso inconsciente está nos mostrando.

As descobertas

Para muitas pessoas, culturas, religiões, sonhos podem ser revelações, conhecemos algumas histórias de que grandes mensagens foram reveladas através dos sonhos para algumas pessoas da história. Sabemos dessas revelações no catolicismo, islamismo, com filósofos, matemáticos, cientistas, entre outros.

Grandes descobertas foram feitas depois de um sonho. Através dos estudos de Freud podemos aprender que para interpretar os sonhos dois elementos são importantes: o conteúdo manifesto, que é o conteúdo que a pessoa que sonhou conta, a história contada pelo sonhador e o conteúdo latente, que é o sonho avaliado, estudado e seu significado.

Quando uma pessoa conta seu sonho e pergunta seu significado, precisamos dividir esse sonhos em várias partes e interpretá-las de forma separadas e buscar para cada parte uma associação.

As associações são individuais e o que são sonhos

As associações são individuais, não temos como comparar a associação do meu sonho com a associação de outra pessoa, mesmo os sonhos sendo parecidos.

Para mim sonhar com uma pessoa grávida vai fazer eu representar e associar o significado deste sonho de um jeito e uma amiga sonhando com outra pessoa grávida vai ter um significado e associação totalmente diferente da minha. Por isso essas associações e interpretações são individuais.

Para a elaboração dos sonhos são necessárias sete fases, para então o sonho passar pela censura da parte do inconsciente do ego.

O ID e os sonhos

Os sonhos são elaborados a partir de impulsos que estavam reprimidos no id, criando assim o disfarce e a distorção, formando a fantasia que aparece no sonho manifesto. Cada uma das sete fases envolvidas na formação do sonho, atua como um disfarce do conteúdo latente para torná-lo desconhecido no sonho manifesto.

Leia Também:  Sonhos na psicanálise: o mundo onírico segundo Freud

Para que o sonho seja elaborado são necessários alguns mecanismos: como dramatização ou concretização: no sonho as imagens são concretas, não existe imagens abstratas porque elas são transformadas em imagens concretas mesmo que isso não tenha lógica; condensação: sensações, pensamentos, desejos e pessoas, geralmente tudo se transforma em apenas uma única pessoa formando o conteúdo latente do sonho.

Uma única pessoa com várias características de outras coisas condensadas; desdobramento: aqui já acontece o contrário da condensação, objeto ou coisa do conteúdo latente vai corresponder a dois ou mais objetos, coisas, pessoas, no conteúdo manifesto, exemplo: uma pessoa que sonha com partes extras do corpo, que fogem do normal; deslocamento: essa parte é onde ocorre a transformação mais importante de deformação, quando o sonho do conteúdo latente é substituído para outra imagem do conteúdo manifesto.

A projeção de emoção

Não há o deslocamento de imagem, existe uma projeção de determinada emoção, ou seja, se determinado comportamento alterado aparece em outra pessoa no conteúdo latente, no conteúdo manifesto quem tem esse comportamento fora do padrão é quem sonhou; representação pelo oposto: quando uma pessoa de fora ou quem sonha tem um sentimento ou reação muito intensa no conteúdo latente, se apresenta de forma contrária no conteúdo manifesto.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Se no conteúdo latente ele faz uma coisa, no conteúdo manifesto ele vai fazer o oposto; representação pelo nímio: quando a exibição do conteúdo latente aparece em detalhes insignificantes em uma imagem do conteúdo manifesto e por último temos a representação simbólica: também pode ser conhecida como uma forma especial e deslocamento.

    Quando de forma simbólica uma exibição de objeto, imagem ou ato não aparece da mesma maneira no conteúdo manifesto, aparece apenas na forma de um símbolo. Eles são uma maneira de penetrar no nosso inconsciente, o psicanalista junto com o paciente vai ajudá-lo a interpretar os sonhos da melhor maneira possível, o que ele representa, o que aquele sonho significa.

    Este texto sobre o que são sonhos foi escrito por Sthefanie Duarte exclusivamente para o blog Psicanálise Clínica.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *